O portal da Arquitetura,
Engenharia e Construção
Receba Boletins e Informativos. Saiba mais
Fechar


  • Home

  • Seta Cima Fornecedores
  • Seta Cima Produtos
  • Seta Cima Arquitetura
  • Seta Cima Equipamentos
  • Seta Cima Revista Digital
  • Seta Cima Web Seminários
  • Seta Cima Conexão AEC
  • Seta Cima Blog
Seta Direita

Busca por Fornecedor ou Produto Utilize a barra de busca para procurar
o fornecedor ou produto que você deseja!

> > > Dólar opera em alta

Dólar opera em alta

A moeda dos Estados Unidos encerrou a sessão em alta de 0,56%, a R$ 3,0841 na venda

A moeda dos Estados Unidos encerrou a sessão em alta de 0,56%, a R$ 3,0841 na venda

17 de fevereiro de 2017 - O dólar opera em alta nesta sexta-feira (17), retornando ao patamar de R$ 3,10, bem acima da mínima de R$ 3,03 atingida na véspera, com fluxo pontual de compra e valorização da moeda norte-americana no exterior.

Às 14h30, o dólar comercial subia 0,72%, a R$ 3,1065.

O ambiente externo mais negativo colabora para o movimento de ajuste. O dólar avança frente a uma série de divisas emergentes, recuperando-se de mínimas em mais de três meses. A demanda por risco no mercado internacional se mostra mais retraída. O índice futuro do VIX opera perto de máximas em mais de três semanas, as bolsas de valores americanas devem se afastar das máximas recordes recentes, enquanto os preços dos Treasuries e o iene sobem, numa indicação de maior demanda por porto seguro.

Aqui, a correção dos ativos é alimentada depois de dias de forte otimismo local, que derrubou o dólar a mínimas em 20 meses e impulsionou o Ibovespa a máximas em cinco anos.

Por ora, expectativas de fluxos e entradas físicas já observadas amparam a possibilidade de o dólar ainda testar novos pisos, mas esse cenário fica mais turvo conforme a moeda retoma fôlego no exterior e os mercados esperam novas surpresas locais positivas em um ambiente doméstico já otimista.

A tendência de baixa do dólar no mercado brasileiro vem sendo sustentada principalmente pela expectativa de ingresso de recursos, sobretudo diante das recentes captações feitas por empresas no exterior, destaca a Reuters. O mercado também estava otimista com a perspectiva de aprovação de reformas no Congresso Nacional, como a Previdência, necessária à recuperação das contas públicas.

O Banco Central realizou nesta sessão seu quarto leilão de até 6 mil swaps tradicionais - equivalentes à venda futura de dólares -, para rolagem dos vencimentos de março e que somam quase US$ 7 bilhões. Com esta oferta, o BC continuou indicando que fará apenas rolagem parcial, faltando ainda US$ 5,754 bilhões do total.

Véspera

Na véspera, a moeda dos Estados Unidos encerrou a sessão em alta de 0,56%, a R$ 3,0841 na venda, após ter encerrado na véspera a R$ 3,067, menor preço desde 18 de junho de 2015.

Fonte: G1
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos do Portal AECweb.

+55 (11) 3879-7777

Fale conosco