• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Financiamento imobiliário: as vantagens do crédito associativo

Financiamento imobiliário: as vantagens do crédito associativo

Artigo escrito por Aline Ev, diretora comercial da Rôgga Empreendimentos.

O crédito associativo é um tipo de financiamento imobiliário cujo principal diferencial consiste na possibilidade de contratá-lo ainda no período da construção, ao adquirir um imóvel na planta. A construtora ou incorporadora organiza um grupo de pessoas interessadas em comprar unidades de um empreendimento a ser construído. Quando se atinge um número mínimo de compradores, realiza-se um contrato com uma instituição financeira, que oferece o crédito para a construção do imóvel e acompanha todo o processo.

O crédito é concedido diretamente ao comprador, não para a construtora ou incorporadora. O saldo devedor junto à construtora é corrigido, devido aos juros, até o momento da assinatura do contrato de financiamento com o banco, que pode ocorrer após a compra ou, em alguns casos, em até um ano, aproximadamente. Depois disso, o saldo congela.

Conforme o empreendimento é construído, o dinheiro é liberado em fases pela instituição financeira. Nesse período, o comprador paga somente os juros referentes aos repasses do banco para a construtora e as parcelas de entrada do imóvel. O financiamento começa a ser pago pelo futuro morador após a averbação da conclusão da obra junto ao cartório (um prazo, em média, de seis meses após a entrega das chaves). Um dos maiores benefícios, portanto, é a economia, que pode chegar em até 35% do valor do imóvel.

Muitos ignoram a correção dos juros até o final da obra e, quando estão prestes a fazer o financiamento, descobrem que o saldo devedor está muito além do que podem financiar.

Outro ponto é que, como a contratação do financiamento junto ao banco é imediata ou em um curto prazo, os riscos inesperados de desemprego e comprometimento de renda, por exemplo, são menores. O contrato tem força de escritura pública: o imóvel já fica registrado em nome do cliente; o valor das despesas é calculado sobre o valor original do imóvel e o registro é feito no ato da assinatura com o banco, culminando em menos despesas.

O processo de aprovação da construtora é extremamente rigoroso para eliminar os riscos para a instituição bancária, que por sua vez oferece uma taxa de juros diferenciada para clientes que compram apartamentos na planta dentro dessa modalidade.

Também é possível utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para adquirir ainda na planta e financiar um valor menor. Outra medida de segurança é o seguro de vida do contrato, que quita total ou parcialmente o débito em caso de alguma fatalidade, como falecimento ou invalidez do comprador.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.
Aline EvArticulistaAline Ev

PERFIL

Aline Ev é Diretora Comercial da Rôgga S/A Construtora e Incorporadora, atua na gestão corporativa a 10 anos, na sua carreira profissional somou experiências na Multinacional KaVo do Brasil (grupo Danaher) e Infraero de Joinville, todos voltados ao setor comercial, estratégia de mercado e licitações. Bacharel em Administração com ênfase em Marketing, tem MBA em Gestão Comercial pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), certificada em Coaching corporativo.

ARTIGOS DESTE AUTOR

    Mais artigos deste autor

    Complete seu cadastro