• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > > O futuro dos escritórios: requisitos cruciais para os novos espaços de trabalho

O futuro dos escritórios: requisitos cruciais para os novos espaços de trabalho

Por Peter Duine, diretor de subsegmento global para escritórios da Signify

Mudanças na forma como as empresas concebem os escritórios, novas expectativas sobre o que o espaço deve oferecer aos funcionários e inovações na tecnologia do setor da construção estão se combinando para impulsionar uma revolução que está transformando o conceito de ambiente de trabalho – para melhor.

A pandemia da Covid-19 está aumentando a velocidade com que as empresas devem se adaptar e mudar. Ao mesmo tempo em que o trabalho remoto se tornou uma opção viável para muitos, as empresas devem considerar como ajustar seus espaços de trabalho físicos cumprindo os requisitos do "novo normal" pós-pandemia. A mudança do formato dos escritórios não é mais algo “bacana de se ter”, mas uma necessidade. As empresas agora têm a oportunidade de transformar os seus espaços em ambientes seguros, de apoio e atraentes – lugares para os quais os funcionários queiram se deslocar todos os dias, seja de maneira obrigatória ou não.

Aqui estão alguns “requisitos” que as empresas devem ter em mente ao negociar a transição para uma nova forma de trabalhar.

1 - Os escritórios devem promover o engajamento dos funcionários e o bem-estar holístico

A ideia simples por trás do escritório do futuro é a seguinte: funcionários felizes e confortáveis com o ambiente de trabalho se tornam mais produtivos, tornando a maximização do bem-estar e do conforto uma meta de primeira importância da “criação de espaços” no escritório.

Mas como felicidade e conforto são conceitos difíceis de definir, as empresas confiarão cada vez mais em padrões e credenciais para validar até que ponto seus escritórios são “centrados nas pessoas” e para quantificar o quão bem esses escritórios fazem às pessoas que trabalham neles.

O International WELL Building Institute (IWBI), com sede em Atlanta (Estados unidos), gerencia a certificação WELL, padrão global para espaços centrados no ser humano, que desempenhará um papel significativo aqui. A certificação descreve benchmarks relacionados ao fornecimento de luz, água limpa e ar puro. E considera elementos como espaços de relaxamento que promovem a saúde mental e emocional.

O IWBI agora também está promovendo conversas sobre o assunto e desenvolvendo estratégias para preparação e resiliência no local de trabalho na era da Covid-19. Enquanto a ameaça de infecção continuar, a felicidade e o conforto dos colaboradores dependerão (em parte) de se sentir seguro e da confiança de que os empregadores estão tomando medidas apropriadas e eficazes para proteger sua saúde e bem-estar.

2 - Os escritórios devem empregar tecnologias inteligentes

A Internet das Coisas (IoT) continua a se expandir no universo do trabalho. Entre 2014 e 2019, a proporção de empresas que usam tecnologia IoT cresceu de 13% para 24%. Em 2023, o número de dispositivos conectados em uso em todo o mundo terá quase triplicado as cifras de 2018.

No escritório, os dispositivos conectados costumam servir como componentes de sistemas dentro de plataformas integradas que controlam os ambientes para tornar os espaços os mais amigáveis possível aos colaboradores. Ao fazer isso, esses dispositivos equipados com sensores coletam dados e os enviam de volta para aplicativos analíticos alimentados por Inteligência Artificial (IA), que os gerentes de edifícios podem usar para obter informações sobre como executar melhor as coisas

Quando se trata do que esse sistema inteligente pode fazer, o céu é o limite. Para dar apenas um exemplo, a tecnologia de sensores incorporados pode monitorar as temperaturas em várias áreas de um prédio comercial à medida que o sol percorre o céu. Ao receber essa informação de temperatura, o sistema de janela pode responder fechando ou abrindo as cortinas conforme necessário.

Ao mesmo tempo, o sistema de iluminação pode responder aos dados captados, diminuindo os níveis de luz do escritório quando a quantidade de luz natural ultrapassa um limite específico. Da mesma forma, o sistema de aquecimento pode diminuir sua produção, evitando que um espaço com janela fique muito quente e economizando custos de energia.

3 - Escritórios devem ser flexíveis e adaptáveis

A pandemia da Covid-19 obrigou muitas empresas e seus funcionários a trabalharem de casa. Um resultado poderoso dessa mudança é a crescente aceitação da ideia de que o escritório não precisa necessariamente ser um lugar estático – uma sala em um prédio comercial na qual se passa a maior parte de cada dia de trabalho. Em vez disso, o escritório pode existir como um “espaço psicológico”, sendo um lugar onde os trabalhadores possuam tecnologias confiáveis para se conectar com colegas de trabalho, supervisores, clientes e outros.

"Escritório como serviço" é a frase que descreve este novo modelo – e, por mais "virtual" que esse modelo possa ser, as empresas podem aplicá-lo para melhorar os espaços físicos dos escritórios aos quais os trabalhadores quase certamente retornarão após a crise da Covid-19.

Quando o escritório não é mais considerado um local estático, ele se torna algo que as empresas podem adaptar melhor às necessidades dos funcionários. Os espaços de trabalho podem ir além do escritório de plano aberto para apresentar várias zonas: para trabalho individual, para relaxamento, para reuniões grandes ou pequenas.

A tecnologia pode tornar esses espaços fluidos e ajustáveis ao modificar seu regime de iluminação e layout: uma área de relaxamento se torna ótimo lugar para uma sessão de brainstorming da equipe – ou para o happy hour de sexta-feira à tarde. Essas mudanças de layout serão mais fáceis de fazer quando os móveis e outros equipamentos forem engenhosamente modulares.

O espaço pode não determinar por si só a cultura corporativa, mas tem um efeito mensurável. Um ambiente físico flexível e responsivo pode ajudar a promover uma cultura corporativa flexível e responsiva.

O mundo percorreu um longo caminho para tornar seus espaços viáveis para pessoas com deficiência, idosos e outras pessoas com problemas de acessibilidade e o escritório do futuro dará continuidade a esse progresso.

A IoT permitirá características individualizadas dependendo das necessidades dos funcionários. Em todo o local de trabalho, a iluminação centrada no ser humano tornará as condições melhores para todos, criando uma base de conforto. A iluminação que suporta o funcionamento humano se tornará o padrão. Os sistemas de iluminação inteligentes podem fornecer doses adequadas de luz azul, que ajuda no despertar durante a manhã e, em seguida, fazer a transição para um espectro mais calmante à tarde – um benefício para todos os trabalhadores, sejam eles portadores de deficiência física ou não.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro