• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

O portal da Arquitetura,
Engenharia e Construção
Receba Boletins e Informativos. Saiba mais
Fechar


  • Home

  • Seta CimaFornecedores
  • Seta CimaProdutos
  • Seta CimaArquitetura
  • Canais
  • Seta CimaRevista Digital
  • Seta CimaWeb Seminários
  • Seta CimaConexão AEC
  • Seta CimaBlog
  • cotar produto
Seta Direita

Busca por Fornecedor ou ProdutoUtilize a barra de busca para procurar
o fornecedor ou produto que você deseja!

> > > Os desafios do mercado da Automação Residencial

Os desafios do mercado da Automação Residencial

Artigo de José Roberto Muratori, diretor executivo da AURESIDE – Associação Brasileira de Automação Residencial

Analisando a evolução do mercado de Automação Residencial no Brasil na última década através de diferentes vertentes, encontramos informações de grande valia e que merecem um aprofundamento.

Inicialmente, o número de fabricantes presentes no mercado teve um rápido crescimento nos últimos anos. Dentre estas empresas, encontramos desde multinacionais e grupos estrangeiros, que têm na Automação Residencial mais um dos segmentos de atuação dentro de uma ampla gama de produtos; até pequenas empresas nacionais que surgiram e cresceram rapidamente fornecendo soluções especificas. Esta maior oferta trouxe uma queda de preços devido à maior concorrência e maior variedade de soluções à disposição dos consumidores.

O número de fornecedores triplicou em menos de cinco anos e embora se trate de um crescimento considerável, ainda vivemos a infância deste mercado, portanto alguns ajustes são inevitáveis entre os personagens que dele participam e isto é natural em qualquer mercado emergente. Canais de distribuição, políticas comerciais e de suporte, entre outras atividades, passam no momento por uma estruturação que, em médio prazo, deverá consolidar bases definitivas para sustentar o seu inevitável crescimento.

Dizemos inevitável, pois o consumidor já iniciou o seu processo de “descoberta” dos benefícios da Automação Residencial e é apenas uma questão de tempo a adoção cada vez mais intensa de sistemas integrados em nossas residências. A evolução tecnológica dos últimos anos trouxe maior aproximação entre consumidores, a princípio receosos e céticos com os novos recursos colocados à sua disposição, principalmente equipamentos móveis como tablets e smartphones. As vantagens proporcionadas por estas novidades que, ao mesmo tempo nos dão mobilidade, mas nos mantêm no controle da situação (ou de nossas casas...), estão trazendo novas sensações e experiências nunca antes vividas pelos moradores. Enfim, o caminho está aberto para ofertas inovadoras e excitantes e para a descoberta de novos consumidores em cada condomínio, enfim, em cada esquina de nossas cidades.

No entanto ainda devemos vencer sérios desafios para tornar este cenário perfeito. Faltam profissionais e empresas capacitadas para atender esta nova demanda. Constatamos que inúmeros consumidores potenciais construíram, reformaram ou passaram a habitar novas residências e deixaram de investir (e, portanto, também de usufruir) os benefícios da Automação. Por quê?

Na maior parte porque não contaram com a assessoria de um profissional habilitado que pudesse trabalhar em tempo hábil um projeto de Automação compatível com as suas necessidades e orçamentos. Este profissional, denominado Integrador de Sistemas Residenciais é o responsável por traçar este projeto e especificar as soluções que serão adotadas numa residência.

Levantamentos realizados pela AURESIDE demonstram o tamanho deste desafio: o Brasil teria hoje pelo menos 1,8 milhões de residências com potencial para utilizar sistemas automatizados. No entanto este número é de, no máximo, 300 mil neste final de 2013. Ou seja, já temos um déficit de pelo menos 1,5 milhão de residências que precisariam ser atendidas imediatamente. Porém, dispomos de apenas 15% do contingente de profissionais necessários para suprir este gap... Ou seja, além de não conseguirmos atender o mercado já existente, ainda estamos despreparados para enfrentar o grande crescimento aguardado para os próximos anos. O que fazer, então?

Capacitação profissional é a palavra de ordem! E, neste caso, temos uma boa noticia: não será necessário recorrer a um período de formação longo, como por exemplo, o ciclo de um curso técnico ou superior, de três a cinco anos, para formar estes novos profissionais. Como a Automação é uma tecnologia de integração que incorpora conhecimentos de diversas áreas como sistemas de segurança eletrônica, de áudio & vídeo, de informática, de redes e TI, entre outras, podemos encontrar profissionais experientes destas áreas e rapidamente transformá-los em Integradores aptos a atender clientes de Automação Residencial.

Esta capacitação será de curta duração, estimada entre três a seis meses, e envolve agentes como a AURESIDE, entidades similares e os fabricantes, estes os maiores interessados em colocar bons profissionais no mercado que possam zelar pelos produtos que vendem e instalam.

Portanto, profissionais e estudantes de áreas ligadas à tecnologia de forma geral são bem vindos ao mundo da Automação Residencial! Sua presença conosco, estabelecendo novos e inovadores negócios, será essencial para colaborar de forma definitiva nesta etapa delicada, mas extremamente promissora do mercado, até atingirmos a sua tão esperada consolidação.

 

 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro