O portal da Arquitetura,
Engenharia e Construção
Receba Boletins e Informativos. Saiba mais
Fechar


  • Home

  • Seta CimaFornecedores
  • Seta CimaProdutos
  • Seta CimaArquitetura
  • Seta CimaEquipamentos
  • Seta CimaRevista Digital
  • Seta CimaWeb Seminários
  • Seta CimaConexão AEC
  • Seta CimaBlog
Seta Direita

Busca por Fornecedor ou ProdutoUtilize a barra de busca para procurar
o fornecedor ou produto que você deseja!

> > > Passos práticos para gerar energia solar fotovoltaica em casa

Passos práticos para gerar energia solar fotovoltaica em casa

Artigo de Lucas Santana, engenheiro eletricista e instrutor técnico da Blue Sol Energia Solar

Se você ainda não sabe como gerar energia solar, esse problema acaba aqui. De forma resumida, existem algumas fases que você deve percorrer. Quer saber quais são? Explico:

#1 – Orçamento e Negociação do Sistema Fotovoltaico
Nessa etapa, você provavelmente irá se deparar com uma equipe de vendas. Ela será responsável por sanar todas as dúvidas que você possa ter sobre as características de funcionamento de um sistema fotovoltaico, processos de geração de energia elétrica, equipamentos indicados para a instalação, e claro, os retornos que você terá com o investimento em sistema solar. Para isso, é importante que você busque uma empresa com uma equipe bem preparada.

Preste atenção nos serviços envolvidos na instalação do seu sistema fotovoltaico. Fique atento aos preços. Suspeite de orçamentos muito mais baixos e verifique se o orçamento que você recebeu engloba somente o kit de equipamentos ou o serviço completo (kit + instalação e suporte).

Caso você escolha comprar somente o kit de energia solar, tenha em mente que todos os riscos e trabalhos derivados para as instalações dos equipamentos ficarão por sua conta. Se você deseja fugir desse tipo de transtorno, pergunte se a empresa escolhida fornecerá todo o apoio para a instalação.

#2 – Fechamento do Sistema Fotovoltaico
Na etapa seguinte, inicia-se o processo de fechamento do projeto. Os contratos são criados, enquanto os documentos necessários para a elaboração de todo o processo são enviados para a empresa escolhida, como documentos de identificação (RG, CPF ou CNH) e comprovante de endereço (conta de luz, por exemplo).

#3 – Visita Técnica
Na sequência, um técnico vai até o local de instalação do sistema para coletar as imagens e dimensões dos locais que receberão os módulos, o inversor, a string box e o local de conexão do sistema à unidade consumidora.

Instalações em telhados receberão cuidados especiais, pois os técnicos deverão se atentar para a inclinação e condições das telhas, bem como para as condições estruturais do madeiramento e a posição do telhado em relação ao norte. Também serão verificadas as condições elétricas do imóvel, a qualidade dos materiais utilizados, a existência ou não de aterramento e se o ramal de entrada (poste, disjuntor, medidor e cabos) da unidade consumidora está respeitando as normas técnicas da concessionária que fornece energia elétrica para o local.

O técnico também verifica os locais disponíveis para desembarque dos produtos relacionados ao sistema fotovoltaico e para elevação das estruturas e módulos nas instalações em telhados.

#4 – Projeto Executivo
Feito isso, a equipe de engenharia fará o estudo de viabilidade do sistema solar fotovoltaico que será instalado, utilizando softwares de simulações fotovoltaicas. Assim, é possível obter com precisão a existência ou não de sombreamentos, picos máximos e mínimos de geração fotovoltaica, rendimento do sistema perante as condições da temperatura ambiente do local e demais fatores que possam intervir na geração fotovoltaica da residência. Também é neste momento que se verifica a estética do projeto.

#5 – Instalação do sistema fotovoltaico
Deve ser feita por profissionais treinados e capacitados, evitando problemas futuros que causarão a diminuição do rendimento do sistema fotovoltaico. A instalação começa com a estrutura de fixação do sistema. Os trilhos devem ser parafusados e nivelados para que os módulos fotovoltaicos, quando instalados, não sofram com problemas de torção ou mau encaixe. Depois, inicia-se a instalação da parte elétrica. O inversor interativo é fixado na parede; logo em seguida, a string box (com os fusíveis), DPS, chave seccionadora e disjuntores.

O instalador faz também a conexão elétrica do sistema com cabos fotovoltaicos, assim como o aterramento de todos os componentes metálicos ou que possuam contatos elétricos, desde o inversor até o trilho de fixação. Além disso, o inversor interativo é conectado à unidade consumidora (casa) pelo quadro de distribuição do imóvel ou pelo ramal de entrada do local. Em ambos os casos, essa conexão é feita com disjuntores.

Por fim, a equipe de instalação faz os últimos testes no sistema. A conexão de todos os componentes de proteção é checada, juntamente com os módulos fotovoltaicos e cabeamento. O técnico afere os níveis de tensão e corrente de geração, instala as placas sinalizadoras de geração distribuída na unidade consumidora e finaliza o atendimento.

#6 – Medidor de energia trocado
Para finalizar, a concessionária de energia elétrica realiza uma vistoria em sua casa, já com o sistema solar fotovoltaico instalado, para averiguar as condições de instalação dos equipamentos utilizados. Ela verifica se o projeto apresentado foi realmente cumprido e se as instalações elétricas do ramal de entrada da unidade consumidora estão de acordo com as normas técnicas da concessionária. Após a vistoria técnica, a concessionária faz a substituição do medidor de energia elétrica existente por outro – digital e bidirecional, que é capaz de registrar a quantidade de energia consumida pelo imóvel e gerada em excesso pelo sistema fotovoltaico. A substituição é gratuita para consumidores que se enquadram na microgeração distribuída, com potência instalada de geração em até 75 kW (quilowatts), de acordo com a Resolução Normativa 687. Para os consumidores em minigeração distribuída, os custos com as atualizações necessárias são divididos com a concessionária de energia elétrica.

Finalmente, o sistema fotovoltaico passa pelos últimos testes, para verificar o tempo que o inversor interativo leva para ligar e se desligar da rede. Se aprovado no teste, o sistema solar fotovoltaico já pode ser conectado à rede de distribuição!

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.
Lucas SantanaArticulistaLucas Santana

PERFIL

Engenheiro eletricista e instrutor técnico da Blue Sol Energia Solar, empresa referência no desenvolvimento de projetos, instalação de sistemas e capacitação de empreendedores e mão de obra no setor de energia solar fotovoltaica.

Santana e outros profissionais da Blue Sol Energia Solar oferecem mais dicas e falam sobre curiosidades relacionadas à energia solar fotovoltaica no Blog da Blue Sol (www.blog.bluesol.com.br)

ARTIGOS DESTE AUTOR

    Mais artigos deste autor

    Complete seu cadastro

    Receba gratuitamente os Boletins e
    Informativos do Portal AECweb.