Seta Direita

Busca por Fornecedor ou ProdutoUtilize a barra de busca para procurar
o fornecedor ou produto que você deseja!

> > Aço é solução durável e sustentável

Aço é solução durável e sustentável

Ecoeficiente em seu processo produtivo e 100% reciclável, material pode ser utilizado em qualquer tipo de obra, do projeto mais simples até o mais elaborado

Redação AECweb / e-Construmarket

Optar por um sistema construtivo baseado em estruturas metálicas garante maior rapidez e menor impacto no canteiro, se comparado a uma construção tradicional. O uso do aço proporciona a precisão de medidas, possibilitando a realização de uma obra aprumada e nivelada, o que facilita a inserção dos demais componentes. É uma solução que pode ser adotada em terrenos com os mais variados tipos de desníveis, evitando gastos com grandes movimentações de terra e aterros. Em grandes centros urbanos, com altos índices de congestionamento e dificuldade de mobilidade, permite menor movimentação de carga, auxiliando na redução da emissão de CO2.

O engenheiro Fernando Matos, gerente executivo do Centro Brasileiro da Construção em Aço (CBCA), comenta que na construção com aço pode-se ter uma redução de até 40% no tempo da obra. “A fabricação da estrutura é feita em paralelo às fundações, permitindo trabalhar em diversas frentes de serviços simultaneamente. A diminuição de formas e escoramentos e o fato da montagem da estrutura ser menos afetada pela ocorrência de chuvas são outros fatores que contribuem para esta redução”, explica.

O material oferece também a possibilidade de reabilitação e utilização para construção de áreas anteriormente consideradas ruins ou inadequadas para suportar edificações convencionais. “A estrutura em aço mostra-se especialmente indicada nos casos onde há necessidade de adaptações, ampliações, reformas e mudança de ocupação de edifícios, em melhor aproveitamento do espaço interno e aumento da área útil”, complementa o engenheiro. Mais leve, a modalidade pode reduzir em até 30% o custo das fundações e ainda tornar viável o uso de solos com baixa capacidade de carga.

A estrutura em aço mostra-se especialmente indicada nos casos onde há necessidade de adaptações, ampliações, reformas e mudança de ocupação de edifícios, em melhor aproveitamento do espaço interno e aumento da área útil

EspecificaÇÃo

Novos sistemas construtivos estão sendo implementados no Brasil. Hoje, há opções como a estrutura moldada in loco, a metálica, a pré-moldada em concreto, a metálica com pilar misto, a metálica com pilar pré-moldado e o light steel framing. “A partir da década de 80, observou-se um incremento na construção industrializada com a criação de novos sistemas, cada um com suas características e aplicações. Esta modalidade construtiva caracteriza-se pela velocidade de execução aliada à qualidade do produto final e elevada produtividade. A escolha do melhor sistema deve ser realizada com base nas necessidades de cada obra”, afirma Matos.

Segundo ele, a pergunta que deve ser feita pelos profissionais, construtores ou investidores, preocupados com o melhor resultado para o conjunto da obra, é qual o tipo de estrutura mais adequada para cada necessidade. “Na construção em aço, o setor conta com uma metodologia de avaliação, disponibilizada no Manual de Viabilidade Econômica do CBCA que utiliza planilhas interativas e possibilita a fácil simulação dos resultados de um empreendimento com estruturas de aço, podendo também fazer a comparação com outros sistemas estruturais”, diz.

O projetista de estruturas em aço é o profissional responsável por definir os tipos de materiais que serão utilizados e os sistemas de ligações a serem adotados. Em geral, são engenheiros civis e devem ter experiência em cálculo estrutural e especialização em estruturas de aço. “No que diz respeito aos materiais, o projeto deverá ter indicações explícitas dos elementos adotados, como os tipos de aço e seus limites de escoamento e de ruptura mínimos, tipos de parafusos, eletrodos para solda e conectores”, menciona o gerente executivo.

NormatizaÇÃo

Para a elaboração de projetos estruturais em edifícios de aço, o profissional deverá ter pleno conhecimento das normas técnicas brasileiras vigentes. “Uma das principais inovações introduzidas pela norma de projeto de estruturas de aço e estruturas mistas de aço e concreto para edifícios, a ABNT NBR 8800:2008, diz respeito às exigências para garantir que, independente da estrutura projetada, seja obtida a vida útil prevista para o ambiente existente, com a manutenção preventiva especificada, dentro das condições de carregamento impostas. No Anexo N (normativo) dessa norma, que trata da durabilidade de componentes de aço frente à corrosão, são apresentadas informações sobre a qualificação do ambiente, escolha do sistema de proteção e detalhamento de projeto. A conformidade dos produtos de aço com as normas técnicas brasileiras, bem como o combate às importações fraudulentas, são ações que o setor já vem praticando há um bom tempo”, argumenta Matos.

AplicaÇÃo

Estruturas em aço consomem apenas 6,3% do ciclo de vida total da energia de uma residência, o restante é utilizado na climatização e iluminação

As estruturas de aço são constituídas por um grupo de peças que, após serem unidas, formarão um conjunto estável que sustentará a edificação. A fabricação destes elementos acontece em uma unidade industrial, onde estão centrados os meios de produção, tais como, máquinas e equipamentos, matérias-primas, operários etc. “Na construção cada peça possui seu lugar específico na estrutura e desempenha um papel. O ato de unir os elementos no canteiro de obras para formar um conjunto é conhecido como montagem”, explana o engenheiro.

Para a montagem, são necessários equipamentos mecânicos que possibilitem o içamento das peças, tais como gruas estacionárias ou móveis, guindastes etc. Esta ação exige do montador habilidades específicas e conhecimento dos riscos envolvidos. “A segurança do acesso dos operários aos pontos de montagem deve ser garantida com todas as medidas preventivas cabíveis, tais como, andaimes, cabos-guia para ligação do cinto de segurança e trava-quedas”, adverte o profissional.

ManutenÇÃo

A vida útil das estruturas envolve uma análise abrangente de todas as etapas do processo construtivo. Os engenheiros, que já pensam normalmente no ciclo de vida das estruturas, estão cada vez mais conscientes da necessidade de manutenção e se preparando para fazer o monitoramento e a manutenção preventiva e corretiva das estruturas. “Hoje, é fato conhecido que cada sistema construtivo tem as suas características e seus cuidados específicos. Portanto, a durabilidade das estruturas dependerá basicamente do cuidado com os detalhes no projeto, do nível de exposição da estrutura e de uma proteção adequada à agressividade do ambiente”, alerta Matos.

Vantagens

As estruturas em aço apresentam um conjunto de características que as destacam como solução construtiva para determinadas aplicações. “Na fase de montagem a estrutura de aço chega a ser muito mais eficiente se comparada com outros tipos de estruturas. Qualidade que viabiliza um retorno mais rápido do capital investido, proporcionando ganho adicional pela ocupação antecipada do imóvel”, afirma o gerente executivo.

Outras importantes distinções das estruturas metálicas são a sua flexibilidade, precisão em milímetros e elevada resistência mecânica, que possibilitam a utilização de elementos estruturais com menores dimensões e capacidade de vencer grandes vãos. “Com a utilização desta solução, há a possibilidade de abrir diversas frentes de serviço simultâneas, tais como lajes, paredes e instalações. O aço apresenta também um ótimo desempenho termoacústico”, explica o profissional.

Ele menciona que o principal entrave ao sistema está relacionado aos fatores culturais. “Trata-se de uma casa leve confrontando com os tradicionais elementos pesados utilizados no mercado. Porém, a leveza dos materiais não traz nenhuma desvantagem em relação à segurança ou conforto”, comenta.

Sustentabilidade

Obras feitas em aço têm menor impacto negativo sobre o meio ambiente em termos de uso de energia, consumo de matérias-primas, geração de detritos e de impactos no canteiro de obras, como a criação de resíduos, emissão de poeira, tráfego e ruídos sonoros. “O material economiza água, justamente no momento em que este recurso vem se tornando mais escasso. Estruturas em aço consomem apenas 6,3% do ciclo de vida total da energia de uma residência, o restante é utilizado na climatização e iluminação. Além disso, em uma casa de 200 metros², por exemplo, a estrutura em aço pode gerar apenas um metro cúbico de resíduos recicláveis durante a construção”, afirma o engenheiro.

Há também uma melhor organização do canteiro devido, entre outros motivos, à ausência de grandes depósitos de areia, brita, cimento, madeiras e ferragens, reduzindo o inevitável desperdício desses materiais. O ambiente limpo oferece, ainda, melhores condições de segurança ao trabalhador contribuindo para a redução dos acidentes. “Além disso, é um material 100% reciclável e ecoeficiente em seu processo produtivo, podendo ser reciclado em sua totalidade sem perder nenhuma de suas qualidades”, diz o gerente executivo.

É bom saber

Com a criação do CBCA em 2002, que tem como gestor o Aço Brasil, o mercado da construção e seus profissionais, passaram a contar com um centro dinâmico de serviços, com foco exclusivamente técnico e capacitado para promover e ampliar a construção em aço no mercado nacional. “Disponibilizamos manuais técnicos da construção em aço para download gratuito e oferecemos cursos à distância. O Guia Brasil da Construção em Aço é outra iniciativa que visa o crescimento do setor, mapeando e divulgando toda a cadeia produtiva que participa da construção em aço, facilitando o acesso dos consumidores aos diferentes produtos, serviços e soluções disponíveis no mercado”, finaliza Matos.

COLABOROU PARA ESTA MATÉRIA

Fernando Matos – Engenheiro metalúrgico formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui pós-graduação em Relações Internacionais pela Universidade Cândido Mendes. Iniciou sua carreira na área de P&D de materiais de uso aeronáutico, do Centro Técnico Aeroespacial (CTA), tendo trabalhado posteriormente na área de Controle da Qualidade e Assistência Técnica a exportação em usina do setor siderúrgico. Desde 1996 no Aço Brasil, ocupa a Gerência da Qualidade, coordena o Programa Setorial da Qualidade de Barras e Fios de Aço do PBQP-H (Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat/Ministério das Cidades). Atualmente, responde também pela Gerência Executiva do Centro Brasileiro da Construção em Aço (CBCA), que tem o Aço Brasil como gestor, com o objetivo de promover e ampliar a participação da construção em aço no mercado nacional.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos do Portal AECweb.