• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Como instalar placas cimentícias? Confira passo a passo e cuidados

Como instalar placas cimentícias? Confira passo a passo e cuidados

Apesar de simples e rápido, o procedimento demanda cálculos precisos, mão de obra especializada, atenção a ângulos e distâncias nas fixações

Redação AECweb / e-Construmarket

placa-cimenticia
A placa cimentícia pode ser usada como fechamento de estrutura metálica, shaft, parede-diafragma ou detalhe decorativo (Foto: divulgação/Brasilit)

As placas cimentícias podem cumprir variadas funções. Bastante versátil, a solução é utilizada tanto como elemento de fechamento de estruturas metálicas, quanto como detalhe decorativo. “Há também a possibilidade de aplicações técnicas, como shafts e paredes-diafragma”, comenta o arquiteto Gabriel Pontes, gerente de Marketing e Divisão Técnica da Eternit.

“O produto é indicado para empreendimentos residenciais, comerciais e industriais, sendo muito utilizado, inclusive, em obras de ampliações e reformas”, completa o arquiteto Thiago Dorlhac Kaschny, gerente de Produtos da Brasilit.

A escolha pelo material deve acontecer ainda na etapa de projeto, sendo especificado em conjunto com sistema construtivo que atenda a todas as necessidades da edificação.

Veja placas cimentícias no Guia de Produtos do Portal AECweb

Encontre fornecedores de placas cimentícias no Portal AECweb

SISTEMAS CONSTRUTIVOS

As placas cimentícias são bastante comuns em obras com Light Steel Framing, solução que não utiliza concreto ou alvenaria. “Ela é composta por perfis leves de aço galvanizado, que, quando integrados, formam a estrutura da edificação”, explica Kaschny. Outra maneira de empregar os painéis é de maneira mista, ou seja, juntamente com outros sistemas construtivos, como madeira, alvenaria, concreto armado ou aço pesado.

A solução é compatível com as construções secas e obras convencionais, com blocos ou tijolos. E apresenta vantagens em relação aos demais produtos disponíveis no mercado. “Por exemplo, o material é capaz de suprir algumas das restrições apresentadas pelo drywall, elemento não indicado para áreas externas ou molhadas”, destaca Pontes.

PLANEJANDO A INSTALAÇÃO

No momento de planejar a instalação, o ponto de atenção deve estar no projeto estrutural, elaborado por um calculista habilitado e que emita a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica). O profissional precisa garantir a correta distribuição de cargas provenientes dos pavimentos superiores ou, até mesmo, da cobertura da edificação. Essa preocupação é importante, pois as placas não são elementos estruturais, mas sim de fechamento.

“É a estrutura da obra e a correta fixação que garantem a estabilidade do produto aplicado e, consequentemente, a qualidade do acabamento”, informa Pontes. O uso dos painéis em conjunto com o Light Steel Framing resulta em paredes mais finas do que as de alvenaria ou de blocos de concreto. “Assim, haverá interessante ganho de espaço e é fundamental que o projeto arquitetônico saiba aproveitar essa vantagem”, diz Kaschny.

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS

Antes de iniciar o procedimento de instalação, é preciso que o responsável já deixe separadas as ferramentas que utilizará.

Parafusadeira Tesoura (usada no corte dos perfis)
Serra mármore (para corte das placas)
Trena, prumo de face e cordão ou laser (para marcação e nível).
Desempenadeira (para tratamento de juntas)
• Espátula (para tratamento de juntas)
• Agitador de massa (pode ser do modelo acoplável na parafusadeira)

MÃO DE OBRA

É sempre recomendado que o profissional que executará o trabalho seja especializado e tenha experiência nesse tipo de obra. “Assim como para qualquer sistema construtivo, a mão de obra deve ser qualificada”, destaca Pontes. Contar com instaladores preparados é fundamental para garantir a qualidade final da construção.

PASSO A PASSO

O procedimento de instalação é rápido e necessita de prazo muito menor se comparado com as construções tradicionais
Thiago Dorlhac Kaschny

Apesar de necessitar de mão de obra especializada, a instalação das placas cimentícias é bastante simples. “O procedimento é rápido e necessita de prazo muito menor se comparado com as construções tradicionais”, conta Kaschny. Basicamente, o sistema é composto por perfis de aço galvanizado (guias e montantes) que são fixados com uso de parafusos específicos.

“As placas cimentícias são acopladas sobre a estrutura, também utilizando parafusos próprios”, destaca Kaschny. A instalação tem sempre que respeitar o afastamento de 3 a 5 mm entre os painéis. Na sequência, é realizado o tratamento da junta, etapa em que é permitido deixar a placa aparente, mostrando aspecto de cimento, ou então, finalizá-la com pintura, texturas ou revestimento cerâmico.

Nos projetos com placa cimentícia aparente, a recomendação é que seja aplicada uma pintura incolor para proteção da superfície. “Todo processo de construção moderno e tecnológico exige precisão. Por isso, devem ser cumpridas à risca as recomendações do fabricante. Em especial, no que se refere ao vão entre as estruturas, ao distanciamento dos pontos de fixação e aos acabamentos”, recomenda Pontes.

CUIDADOS NA INSTALAÇÃO DE PLACAS CIMENTÍCIAS

Durante a instalação, alguns cuidados precisam ser tomados. Por exemplo, evitar que sejam formados ângulos de 45º entre as fixações dos cantos e vértices das placas. “As distâncias recomendadas são de 5 cm em um sentido e 10 cm no outro”, informa Pontes. Também é importante alternar as linhas de fixação de duas placas localizadas no mesmo montante, assim não são acumulados muitos furos na mesma região, evitando que o perfil fique fragilizado.

A distância de fixação dos parafusos de uma mesma linha, na posição dos montantes, tem que estar sempre entre 20 e 30 cm. “As mesmas medidas devem ser obedecidas nas fixações das linhas de guias”, diz Pontes.

VANTAGENS

Com o procedimento de instalação realizado de maneira satisfatória, o sistema proporciona uma série de vantagens. Entre as principais estão a impermeabilidade, o fato de não ser elemento inflamável e de ter resistência a flexão e intempéries, além de imunidade contra fungos, insetos, roedores e oxidação.

As placas cimentícias trazem também benefícios para a própria obra, com a possibilidade de elaborar cronogramas mais definidos e gerar menos resíduos
Gabriel Pontes

“As placas cimentícias trazem também benefícios para a própria obra, com a possibilidade de elaborar cronogramas mais definidos e gerar menos resíduos”, complementa Pontes. Há, ainda, ganho de área útil e menor sobrecarga nas fundações e lajes — paredes executadas com os painéis podem chegar a 1/10 do peso de estrutura semelhante e construída com a alvenaria tradicional.

A solução ainda proporciona maior facilidade na execução com relação aos demais sistemas da edificação. “A sequência construtiva e os espaços internos existentes entre as estruturas e as placas simplificam a aplicação das instalações elétricas, hidráulicas, de telefonia, entre outros”, ressalta Kaschny. “Se, no futuro, forem necessárias manutenções desses sistemas, as placas cimentícias permitem que o trabalho seja realizado sem a necessidade de quebradeira”, finaliza o especialista.

Leia também:

Placas cimentícias conferem versatilidade e estética a construções modulares

Placas cimentícias podem ser associadas a sistemas de construção a seco

Colaboração técnica

gabriel-pontes
Gabriel Pontes – Arquiteto e Urbanista (Faculdade de Belas Artes de São Paulo) especializado em Sistemas Construtivos desde 2004 com referências nacionais e internacionais. Gerente de Marketing com MBA pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Também responsável pela equipe de Consultores Técnicos da Eternit para o desenvolvimento de mercado e de soluções técnicas para projetos de construções industrializadas de alta tecnologia.
thiago-dorlhac-kaschny
Thiago Dorlhac Kaschny – Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo e MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Atualmente é Gerente de Produtos Diferenciados na Brasilit, atuando fortemente na linha de Construção Industrializada, Telhas Metálicas e Shingle.
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro