• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Como são feitas as estruturas pré-fabricadas de concreto

Como são feitas as estruturas pré-fabricadas de concreto

Da indústria ao canteiro de obra, as peças são submetidas a etapas rigorosas de projeto, especificação de materiais, concretagem, cura e movimentação. Saiba como esse processo avança

Texto: Gabriel Bonafé

A estruturas de concreto pré-fabricadas são feitas fora do canteiro de obras, processo que apresenta vantagens em termos de agilidade e controle de qualidade em comparação com as estruturas moldadas in loco. A desvantagem do sistema pode ser compreendida nas etapas de transporte e montagem das peças, as quais exigem cuidados particulares.

De acordo com a NBR 9062, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o concreto pré-fabricado é diferente, ainda, do concreto pré-moldado, no qual a execução pode acontecer em instalações temporárias em canteiros de obra.

No entanto, isso não significa que a qualidade dos pré-moldados seja inferior. “O importante é que haja a conformidade com todos os requisitos estabelecidos em norma para ambos os casos”, pontua Íria Doniak, presidente executiva da Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (Abic).

pre-fabricacao-de-concreto
Indústria de pré-fabricação de concreto (Divulgação/ acervo Leonardi Construção Industrializada)

ASPCETOS DE PROJETO

Segundo o departamento técnico da Precon Engenharia, projetar uma estrutura pré-fabricada de concreto começa com a análise do projeto arquitetônico do cliente e avança para a compatibilização com o projeto estrutural em concreto pré-fabricado.

Após a análise de disponibilidade de fornecedores na região onde as peças serão feitas, o projeto é encaminhado para os devidos cálculos estruturais e detalhes construtivos, quando se torna fundamental a presença de um projetista de estrutura com experiência.

A modulação possibilita a redução no tempo de fabricação das peças por meio de índices baixos de alteração de formas, permitindo produzir o maior número de peças iguais com um mesmo recurso
Carlos Alberto Gennari

Responsável por determinar o tamanho e a repetitividade das peças, a modulação é o principal fator para otimizar o projeto. “Ela possibilita a redução no tempo de fabricação das peças por meio de índices baixos de alteração de formas, permitindo produzir o maior número de peças iguais com um mesmo recurso”, explica Carlos Alberto Gennari, sócio-proprietário da Leonardi Construção Industrializada.

Outros aspectos a serem considerados são os equipamentos necessários para acesso e montagem das peças na obra e detalhamento das ligações das peças — também chamados de emendas ou conexões. “Devido ao manuseio e transporte, as peças são seccionadas e precisam ser unidas umas às outras no canteiro de obras”, esclarece Doniak.

QUALIDADE

As exigências em infraestrutura para pré-fabricação do concreto podem variar de acordo com o escopo do projeto. Em suma, a indústria precisa atendar aos itens dispostos na NBR 9062.

Além disso, o Selo de Excelência da Abcic, conhecido em todo o segmento, é utilizado para avaliar a qualidade, a segurança e o meio ambiente de plantas industriais de empresas fornecedoras de estruturas pré-fabricadas de concreto. "O programa tem como referência as normas ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001, PBQP-h, bem como as normas técnicas aplicáveis ao setor", conta a presidente executiva da associação.

MATERIAIS PARA CONCRETO ARMADO

Os materiais para produção de concreto armado variam de acordo com o processo em que as peças serão submetidas. De acordo com a NBR 7480 (Aço para estruturas de concreto armado – Especificação), os aços indicados são o CA-50 e CA-60.

Já para protensão das peças, processo usual na fabricação de lajes, painéis alveolares, telhas e estacas, recomenda-se o uso de fios e cordoalhas, conforme indicam as normas NBR 7482 (Fios de aço para estruturas de concreto protendido - Especificação) e NBR 7483 (Cordoalhas de aço para estruturas de concreto protendido - Especificação).

“Uma das cordoalhas mais utilizada é a de 03 e 07 fios CP-190 RB, que quer dizer um aço com resistência à tração mínimo de 1.900 MPa (190 kgf/mm²), de relaxação baixa — propriedade do aço ligada à perda de tensão ao longo do tempo”, aponta Daniel Sabino, gerente de produção da Leonardi Construção Industrializada.

transporte-de-pre-fabricado
Caminhão para transporte de peça pré-fabricada (Divulgação/ acervo Leonardi Construção Industrializada)

CUIDADOS PARA A CONCRETAGEM

A concretagem dos pré-fabricados deve seguir critérios de qualidade relacionados ao acabamento final da peça. Nesse sentido, é necessário cuidado especial em relação à etapa de vibração, cujas técnicas variam de acordo com os níveis de consistência (slump) do concreto.

Uma solução recomendada por especialistas para minimizar deficiências nessa etapa é o concreto autoadensável. “Ele elimina a vibração, adensando-se apenas pelo seu próprio peso. Por reduzir o índice de bolhas, proporciona acabamento superficial melhor e mais uniforme em comparação ao concreto convencional”, constata Patrícia Ribeiro da Silva Brandão, gerente de qualidade, segurança, saúde e meio ambiente da Leonardi Construção Industrializada.
Outro cuidado da etapa de concretagem consiste em garantir que as peças resistam aos esforços de movimentação aos quais serão submetidas. “O processo de desforma só pode ocorrer quando as resistências iniciais especificadas forem atingidas”, afirma Doniak.

CURA E CONTROLE DE QUALIDADE

O processo de desforma só pode ocorrer quando as resistências iniciais especificadas forem atingidas
Íria Doniak

A cura inicial do concreto — período entre o término da concretagem e seu saque da forma — pode ser feito convencionalmente com cobertura de filme plástico para evitar a evaporação da água ou pode ser acelerado com uso de cura térmica, no qual se aplica vapor de água quente para agilizar as reações de hidratação do cimento e resistência do concreto, otimizando o uso das formas e pistas.

Embora o tempo de cura seja variável, admite-se que a peça fique na fábrica por uma semana antes de ser enviada à obra. “Essa etapa é necessária para que o concreto desenvolva uma dada resistência, de modo que o elemento possa tanto ser posicionado na obra sem sofrer deformações consideráveis quanto garantir sua integridade na estrutura”, ressalta Brandão.

A qualidade final da peça é atestada por meio de ensaios laboratoriais, nos quais se verifica se o concreto atingiu os valores determinados nos corpos de prova, como resistência à compressão, módulo de elasticidade e outras propriedades solicitadas pelo engenheiro calculista.

portico-para-pre-fabricado
Movimentação de peça pré-fabricada com equipamento pórtico (Divulgação/ acervo Precon Engenharia)

TRANSPORTE INTERNO

O transporte dos elementos pré-fabricados dentro da indústria requer extremo cuidado para evitar que as peças sofram trincas, fissuras e qualquer tipo de danificação. De acordo com o departamento técnico da Precon Engenharia, as peças de concreto possuem alças adequadas para sua movimentação, que também são utilizadas para a montagem na obra.

O transporte interno divide-se em dois tipos: vertical e horizontal. O primeiro está relacionado à movimentação de saque e desforma com auxílio de máquinas específicas, como pontes rolantes e pórticos, pois as peças de concreto possuem dimensões variáveis e pesos que podem ultrapassar 25 toneladas.

“Já o transporte horizontal está relacionado à movimentação desses elementos do local de produção (forma ou pista) até seu estoque temporário na fábrica, e normalmente é realizado com auxílio de carretas”, completa Sabino.

portico-para-pre-fabricado
Peças pré-fabricadas de concreto organizadas no canteiro de obras
(Divulgação/ acervo Leonardi Construção Industrializada) )

TRANSPORTE ATÉ A OBRA

As peças pré-fabricadas devem ser transportadas até a obra em carretas comuns, extensivas ou especiais, variando de acordo com a necessidade de cada elemento, sendo que peso e comprimento são os principais fatores a ser considerados.

O empilhamento deve ser feito com calços para impedir que as peças de concreto se danifiquem. “Os elementos são submetidos a uma amarração especial com cabos de aço ou cintas têxteis de alta resistência, além do uso de apoios especiais como cantoneiras e calços plásticos que protegem o acabamento e cantos das peças”, acrescenta Gennari.

É importante, ainda, definir a logística do transporte, com os melhores acessos e trajetos, além dos equipamentos corretos para descarga na obra, como munck para estruturas leves, guindastes para estruturas mais pesadas, entre outros. Por fim, também se definem os dispositivos de içamento para montagem da estrutura, como balancins e gruas.

Leia também:
Industrialização pode aumentar produtividade da construção
Fachadas pré-fabricadas de concreto: resistência e qualidade

Colaboração técnica

Carlos Alberto Gennari – Sócio-proprietário da Leonardi, empresa com 28 anos de atuação no segmento de construção industrializada em pré-fabricados de concreto, exercendo a função de Diretor de Operações. Conselheiro do Deconcic (Departamento de Construção Civil da Fiesp), do Sinaprocim (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento) e da FAM (Fundação Antonio Meneghetti). Conselheiro e ex-presidente da ABCIC (Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto). Engenheiro Elétrico pela FAAP.
Daniel Sabino – Formado em engenharia civil pela Universidade de Taubaté (Unitau). Pós-graduado em tecnologia da pré-fabricada pelo Instituto IDD – Curitiba/PR. É gerente de produção da Leonardi Construção Industrializada.
Íria Doniak – Presidente executiva da Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (Abic).
Patrícia Ribeiro da Silva Brandão – Formada em engenharia civil pela Faculdade Araucária/PR. Mestre em engenharia civil pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, especializada em Tecnologia do Concreto. É gerente de Qualidade, Segurança, Saúde e Meio Ambiente da Leonardi Construção Industrializada.
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro