Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > > Saiba como especificar, instalar e cuidar do porcelanato

Saiba como especificar, instalar e cuidar do porcelanato

Profissional da obra deve conhecer os tipos de porcelanato e atender aos requisitos das normas técnicas quanto à escolha e à instalação do material

Redação AECweb / e-Construmarket

Piso de Porcelanato

Durabilidade, facilidade de limpeza e design: essas são as principais vantagens do piso de porcelanato, material que precisa ser bem especificado para garantir tais benefícios. “Entre as tipologias, há o porcelanato técnico ou massa única, porcelanato esmaltado, porcelanato polido, revestimento para parede, piso cerâmico, além de acessórios e pastilhas de vidro. Cada alternativa tem local de aplicação adequado, determinado pela classe de uso. Essas informações são encontradas na embalagem, site do fabricante e também podem ser passadas pelo vendedor”, afirma Magda Madeira, coordenadora de showroom na Cecrisa Revestimentos Cerâmicos, lembrando que esse tipo de piso pode ser antiderrapante, acetinado, polido ou natural.

Conhecer a classe de uso do material é o ponto de partida para uma boa compra. “O produto polido/acetinado é indicado para áreas internas. Já o natural, pode ser aplicado em ambientes cobertos, porém, em que existe contato com água, como box de banheiros ou varandas”, comenta Magda, ressaltando que há ainda as opções para espaços externos.

APLICAÇÃO

Entre as tipologias, há o porcelanato técnico ou massa única, porcelanato esmaltado, porcelanato polido, revestimento para parede, piso cerâmico, além de acessórios e pastilhas de vidro. Cada alternativa tem local de aplicação adequado, determinado pela classe de uso. Essas informações são encontradas na embalagem, site do fabricante e também podem ser passadas pelo vendedor

Antes de iniciar a aplicação do material é preciso atenção aos elementos estruturais (contrapiso e paredes), que devem estar totalmente curados após terem secado durante quatro semanas e apresentarem uma coloração cinza-claro. Além disso, deve haver caimento para ralos, no caso do contrapiso, ou prumados, em paredes. “O revestimento cerâmico não pode ser assentado sobre um piso ‘verde’, sendo que a estrutura ideal tem que estar homogênea, limpa e com rugosidade apropriada, nivelada, sem eflorescência, impermeabilizada, mecanicamente resistente, isenta de partículas soltas, sem fungos e sem fissuras”, detalha Magda.

Depois da adequação dos elementos estruturais, a instalação do piso tem início com a preparação da argamassa de assentamento. “Para os aditivos iniciarem sua ação, a argamassa colante deve ficar em repouso por um período de tempo indicado na embalagem do produto e, a seguir, deve ser amassada novamente”, diz a profissional. Após preparação, a pasta deve ser espalhada em faixas, para facilitar a colocação das placas cerâmicas. “A extensão das faixas deve ser determinada para cada caso e depende das condições locais. Para esse trabalho, é recomendado o uso do lado liso da desempenadeira de aço dentada, apertando-a de encontro à superfície do contrapiso e formando uma camada uniforme de cerca de três a quatro milímetros”, explica.

Outra dica da especialista é que sejam feitos cordões (sulcos) com a aplicação do lado dentado da desempenadeira em ângulo de 60 graus, formando cordões que facilitam o nivelamento e a fixação das placas cerâmicas. A aplicação das peças acontece sobre os cordões, de preferência das extremidades para o centro, sempre pressionando com as mãos. “Deve-se obedecer a disposição prevista para as placas e a largura das juntas de assentamento com o auxílio de espaçadores plásticos previamente gabaritados e que também funcionam como ‘amortecedores’”, orienta.

Após a colocação, pode-se utilizar um martelo de borracha para bater sobre o revestimento, amassando por completo os cordões de argamassa e expulsando o ar retido. O controle do alinhamento das juntas é realizado com o auxílio de uma linha esticada longitudinal e transversalmente. Já o nivelamento é feito com o auxílio de uma régua de madeira. Para finalizar a aplicação, um pano pode ser utilizado para retirar as sobras de argamassa nas juntas e sobre o revestimento. “O ideal é deixar secar por três dias antes do rejuntamento. Outro cuidado é proteger os revestimentos com madeira e só pisar diretamente sobre eles após 14 dias”, recomenda Magda.

QUALIDADE

Além da facilidade de manutenção e limpeza, o piso de porcelanato (...) tem absorção de água menor que 0,5%. Isso torna o material resistente a impactos e aumenta sua durabilidade

A ABNT e a International Organization for Standardization (ISO) – estabelecem padrões referentes ao revestimento cerâmico. As normas técnicas brasileiras foram baseadas na ISO 13.006:1995 e na ISO 10.545:1995 - Parte 1 a 17. As principais normas que norteiam esse setor são a ABNT NBR 13.816 – Placas cerâmicas para revestimento -, ABNT NBR 13.817 – Placas cerâmicas para revestimento – Classificação, e ABNT NBR 13.818 – Placas cerâmicas para revestimento – Especificação e método e ensaio. “Também se destacam as normas referentes a assentamento de revestimento cerâmico, que são ABNT NBR 13.753 – Revestimento de piso interno ou externo com placa cerâmica e com utilização de argamassa colante – Procedimento, ABNT NBR 13.754 – Revestimento de paredes internas com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante – Procedimento, e ABNT NBR 13.755 – Revestimento de paredes externas e fachadas com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante – Procedimento”, complementa Magda.

MANUTENÇÃO

Os revestimentos cerâmicos se caracterizam por apresentarem as menores exigências em termos de manutenção e facilidade de limpeza. “No entanto, devem ser tomados alguns cuidados, como proteger os pés dos móveis que podem ser arrastados, com carpete ou feltro, para não riscarem o piso; evitar a queda de objetos pesados ou pontiagudos que podem quebrar o esmalte dos revestimentos; e realizar a limpeza com água e detergente neutro. Para eliminar sujeiras mais difíceis, o uso de saponáceo é permitido com a condição de sempre secar o revestimento após a limpeza”, afirma a profissional.

VANTAGENS

Além da facilidade de manutenção e limpeza, o piso de porcelanato apresenta outra característica que o diferencia das demais alternativas disponíveis no mercado – a absorção de água menor que 0,5%. “Isso torna o material resistente a impactos e aumenta sua durabilidade”, conclui Magda.

Colaborou para esta matéria

Magda Madeira – Formada em administração, exerce o cargo de coordenadora de Showroom na Cecrisa Revestimentos Cerâmicos.
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro