Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Varandas e escadas pré-fabricadas de concreto dão velocidade à obra

Varandas e escadas pré-fabricadas de concreto dão velocidade à obra

Esses elementos são usados como opção aos moldados in loco, mas exigem cuidados que começam na fase de concepção do projeto, principalmente considerando os aspectos estruturais do edifício

Redação Portal AECweb / e-Construmarket

escadas-sacadas
As escadas e varandas pré-fabricadas de concreto se destacam pela rápida execução (foto: shutterstock.com / Grand Warszawski)

Escadas e varandas pré-fabricadas de concreto apresentam uma série de características em comum. Ao serem comparadas às construídas in loco, se diferenciam pela rapidez da execução e redução das atividades no canteiro. Quanto ao preço, cada caso deve ser avaliado individualmente.

“Não é possível abordar esse assunto de forma simplificada. A viabilidade econômica está relacionada ora com a produtividade e repetições de peças, ora com a complexidade executiva e exigência de qualidade. A diferença de valor entre esses critérios é significativa”, afirma o engenheiro Fernando Palagi Gaion, diretor geral da Stamp Pré-Fabricados Arquitetônicos, que produz os dois elementos.

Veja escadas pré-fabricadas de concreto no Portal AECweb

Veja fornecedores de escadas pré-fabricadas de concreto no Portal AECweb

Para o engenheiro Alex Alves, gerente do Centro Operacional e de Planejamento da Leonardi Construções Industrializadas, são muitas as variáveis que compõem esta análise. “Se considerado, simplesmente, o metro quadrado ou o volume relativo ao custo do material, o pré-fabricado pode ter preço mais alto que o sistema in loco. Mas, se avaliadas todas as outras variáveis, em muitos casos a equação se inverte”, destaca.

A geometria deve ser definida pensando nas repetições de peças, na capacidade do equipamento de montagem, nas dimensões máximas e na quantidade de peças que podem ser transportadas em uma carreta
Fernando Palagi Gaion

De acordo com Gaion, não há restrições quanto ao concreto empregado nas varandas pré-fabricadas, desde que cumpra os requisitos da ABNT NBR 9062. Não existe limitação técnica em relação ao formato das peças fabricadas, porém ele tem grande influência na viabilidade econômica. “A geometria deve ser definida pensando nas repetições de peças, na capacidade do equipamento de montagem, nas dimensões máximas e na quantidade de peças que podem ser transportadas em uma carreta”, explica.

VARANDAS

Construções com estrutura 100% pré-fabricada e as convencionais de concreto, além das metálicas, recebem bem essas sacadas. “Não há restrição quanto ao sistema construtivo, mas suas ligações e dimensões vão variar de acordo com o sistema adotado”, informa o diretor da Stamp.

Assim como em todos os projetos com elementos pré-moldados, o principal cuidado está na região das ligações, que devem ser bem projetadas e executadas com rigoroso controle de locação. A aplicação das varandas pré-fabricadas nas lajes em balanço exige atenção especial no seu escoramento e nivelamento.

“Além disso, é importante considerar o impacto no projeto influenciado por instalações elétricas e hidráulicas. Para lajes em balanço, por exemplo, é recomendável que a captação de água pluvial seja realizada o mais longe possível da ligação de engaste, de forma a minimizar o risco de acúmulo de água nessa região”, ensina Gaion.

A especificação do sistema pré-fabricado de sacadas em substituição ao produzido in loco deve ser feita, de preferência, na fase inicial do projeto. O diretor da Stamp indica a utilização quando houver repetitividade de peças; complexidade de execução in loco devido a grandes alturas (pé-direito x escoramento); formatos complexos como curvas, relevo e texturas especiais; e quando o equipamento de montagem (grua e guindaste) previsto para a obra for compatível com o peso da peça pré-fabricada.

“Por outro lado, é melhor optar por varandas moldadas in loco se for necessário alterar a capacidade da grua para instalação das sacadas pré-fabricadas e, também, quando se tratar de varandas simples e sem repetitividade”, informa Gaion.

A logística de canteiro e os fluxos de produção das varandas pré-fabricadas obedecem aos mesmos requisitos dos demais elementos industrializados de concreto. Ou seja, as sacadas pré-fabricadas deverão ser produzidas e estocadas até o concreto atingir a resistência indicada em projeto, antes da sua instalação. A produção deve ser antecipada o suficiente para atender a evolução da obra.

A aplicação de varanda pré-fabricada em construção existente e retrofit tende a valorizar o imóvel. Mas, é essencial analisar previamente a viabilidade econômica, considerando a relação custo x valorização do imóvel. Tecnologia e conhecimento para tal aplicação já existem. A dificuldade está na capacidade estrutural da edificação existente.

“O acréscimo do peso resulta em aumento de esforços nas vigas em que serão fixadas e, consequentemente, em maior carga na fundação. Nos casos em que esse aumento de esforços não resulte em reforços estruturais, ou ainda em casos em que já estejam sendo previstos reforços estruturais por outras razões, aí a solução pode se tornar viável economicamente”, expõe Gaion.

ESCADAS

De acordo com Alex Alves, a opção por escadas pré-fabricadas de concreto em grandes empreendimentos deve ser avaliada caso a caso e levando em conta algumas variáveis. Ele destaca aspectos como viabilidade de acesso e montagem; previsão das cargas na estrutura; e a contribuição do elemento no comportamento estrutural do prédio. “Assim, escadas podem ser viáveis em qualquer situação, desde que sua aplicação seja analisada detalhadamente por uma empresa ou profissional especializado”, orienta.

Ao projetar e executar empreendimentos com esse tipo de elemento é preciso dedicar atenção aos níveis e geometria da obra. “Devido à alta precisão das estruturas pré-fabricadas de concreto, as variações em níveis entre os pavimentos influenciam no detalhamento e posterior execução das escadas”, explica Alves.

Além disso, sua utilização deve ser validada pelo engenheiro estrutural da obra, considerando o tipo de vinculação e as cargas da escada pré-fabricada no comportamento projetado para a estrutura. Ele orienta, ainda, que o projeto deve considerar, em sua concepção, as necessidades e dimensões de patamares e possíveis sobrecargas, como paredes apoiadas em suas bordas.

Segundo o gerente da Leonardi, lances retilíneos e com dimensões padronizadas aumentam a produtividade e viabilizam com mais facilidade a solução. “Entretanto, é possível utilizar escadas com formas e geometrias especiais, levando-se em conta outras variáveis como prazo, repetição e qualidade exigida”, diz. Qualquer que seja a solução é muito importante que as normas técnicas e as regras do Corpo de Bombeiros sejam respeitadas, para evitar problemas na obtenção de alvarás e outras documentações de legalização da edificação.

Sem dúvida, o maior benefício da utilização das escadas pré-fabricadas está no prazo de execução e na diminuição das atividades no canteiro de obras
Alex Alves

“Sem dúvida, o maior benefício da utilização das escadas pré-fabricadas está no prazo de execução e na diminuição das atividades no canteiro de obras”, destaca Alves. Escadas em concreto moldadas no local não são elementos simples de serem produzidos, principalmente em ambientes multipavimentos, pois demandam fôrmas, escoramentos, um grande volume de trabalho e controle de execução.

Vantagem adicional do uso da pré-fabricação é que imediatamente após a montagem as escadas pré-fabricadas já estão liberadas ao uso. “E podem ser utilizadas como acesso principal de pessoas e equipamentos aos andares superiores”, diz. O elemento pré-fabricado evita construções de acessos provisórios e outras soluções próprias das escadas moldadas no local, que demandam tempo de cura e remoção de escoramentos sem que seja possível seu uso.

No canteiro, a montagem de vários pavimentos pode ser feita num mesmo dia. A produção também pode acompanhar no mesmo ritmo. “A única ressalva é que o projeto esteja bem pensado e definido, pois variações na geometria afetariam o prazo considerado e o custo, em razão de retrabalhos em projetos e fôrmas”, conclui Alves.

Leia também:

Fachadas pré-fabricadas de concreto: resistência e qualidade

Industrialização pode aumentar produtividade da construção

Colaboração técnica

alex-gabriel
Alex Gabriel Marques Alves – Graduado em Engenharia Civil pela UNESP. Especialista em Gestão Industrial pela POLI-USP. Atualmente cursa MBA em Gestão de Projetos na ESALQ – USP. Em sua carreira no mercado da construção industrializada atuou nas empresas Munte e Sudeste, gerenciando áreas de qualidade, projetos, produção e montagem de estruturas armadas e protendidas de concreto pré-fabricado. Atualmente gerencia o Centro Operacional e de Planejamento da Leonardi Construções Industrializadas. É professor do Curso de Especialização em Pré-fabricação do IDD em disciplinas de produção, gestão e logística, voltadas para o setor de pré-fabricação. Tem experiência com Lean Manufacturing and Construction, BIM (Building Information Modeling) e obras e produtos diversos em pré-moldados em concreto.
fernando-palagi
Fernando Palagi Gaion – Engenheiro Civil formado pela Escola de Engenharia Mauá. É diretor Geral da Stamp Pré-Fabricados Arquitetônicos Ltda e diretor Financeiro da Associação Brasileira dos Fabricantes de Placas de Concreto para Pisos e Revestimentos (Abrasplac).
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro