• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Confiança na construção atinge o maior nível desde janeiro de 2015

Confiança na construção atinge o maior nível desde janeiro de 2015

Medido pela FGV, indicador subiu 2,9 pontos e chegou a 84,7 pontos em novembro. Expectativas de recuperação da demanda influenciaram a terceira alta consecutiva

Texto: Yuri Soares

Medido pela FGV, indicador subiu 2,9 pontos e chegou a 84,7 pontos em novembro. Expectativas de recuperação da demanda influenciaram a terceira alta consecutiva


Segundo representante da FGV, indicador de atividade mostra uma retomada ainda muito lenta, mas que já repercute sobre o emprego (Créditos: Shutterstock/ Bannafarsai_Stock)

28/11/2018 | 09:51 - O Índice de Confiança da Construção (ICST), apurado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 2,9 pontos entre outubro e novembro, registrando sua terceira alta consecutiva. O indicador chegou a 84,7 pontos, o maior nível desde janeiro de 2015 (85,4 pontos).

De acordo com a FGV, a alta do ICST foi influenciada majoritariamente pela melhora das perspectivas para o curto prazo. “Nos três últimos meses, as expectativas de recuperação da demanda e de melhoria dos negócios no curto prazo aumentaram a confiança dos empresários do setor, um movimento que foi impulsionado com o desfecho das eleições. Paralelamente, o indicador de atividade mostra uma retomada ainda muito lenta, mas que já começa a repercutir sobre o emprego”, observa Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção da FGV IBRE.

Em novembro, o Índice de Situação Atual, que apura a confiança do empresário da construção no momento presente, avançou 1,1 ponto e alcançou 74,1 pontos. O índice foi impactado, principalmente, pela alta do indicador que mede a percepção sobre momento atual, que cresceu 1,9 pontos, alcançando 76,4 pontos, o maior desde março de 2015 (77,9 pontos)

O Índice de Expectativas (IE-CST) – cálculo da confiança do empresário da construção para os próximos meses – cresceu 4,8 pontos, chegando a 95,8 pontos, voltando ao nível de janeiro deste ano. Além disso, o Nível de Utilização da Capacidade do setor (Nuci) recuou de 1,3 ponto percentual e alcançou 64,7%.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro