• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Governo Federal cogita instalar placas solares no Rio São Francisco

Governo Federal cogita instalar placas solares no Rio São Francisco

O objetivo é utilizar a energia solar no bombeamento da água, reduzindo o consumo de energia elétrica. A instalação das placas também auxiliaria na economia de água

Texto: Yuri Soares

O objetivo é utilizar a energia solar no bombeamento da água, reduzindo o consumo de energia elétrica. A instalação das placas também auxiliaria na economia de água


O eixo Norte do Projeto de Integração do São Francisco está com suas obras em fases finais e deve ser entregue até maio deste ano (Créditos: divulgação/ Agência de Notícias da Assembleia Legislativa)

13/03/2019 | 10:02 - O presidente Jair Bolsonaro divulgou, por meio de sua conta no Twitter, que o Governo estuda a possiblidade de instalar placas solares ao longo dos canais de integração do Rio São Francisco. O objetivo é utilizar a energia solar no bombeamento da água, reduzindo o consumo de energia elétrica.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, a demanda anual nas fases pré-operacional e operacional do Projeto de Transposição do Rio São Francisco gira em torno de 746 mil MW. O consumo de energia elétrica representa aproximadamente 80% dos custos da operação do empreendimento.

Além de diminuir os gastos com energia elétrica, a instalação das placas sobre espelho d'água possibilitaria que a evaporação fosse reduzida, auxiliando na economia de água. Os painéis solares também auxiliariam na redução do custo de manutenção e prolongariam a vida útil dos equipamentos.

Bolsonaro também comentou que o eixo Norte do Projeto de Integração do São Francisco está com suas obras em fases finais e deve ser entregue até maio. A conclusão das obras irá viabilizar que as águas do Velho Chico voltem a percorrer os canais em direção ao Ceará.

O Eixo Leste do empreendimento foi entregue no ano passado e beneficia cerca de 1 milhão de habitantes em 35 cidades dos Estados da Paraíba e de Pernambuco. No final de fevereiro, o governo liberou R$ 82 milhões para as obras da Adutora do Agreste, localizada no sertão pernambucano, para expandir o abastecimento na região.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro