• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > > Nasa e Prefeitura do Rio criam software para prever deslizamentos

Nasa e Prefeitura do Rio criam software para prever deslizamentos

Programa está em estágio final de desenvolvimento e será testado no fim do ano. Regiões com maior probabilidade de acidentes serão visualizadas em um mapa de calor

Texto: Yuri Soares

Programa está em estágio final de desenvolvimento e será testado no fim do ano. Regiões com maior probabilidade de acidentes serão visualizadas em um mapa de calor


Software avalia, em tempo real, os dados históricos sobre as regiões com maior probabilidade de sofrer deslizamentos (Créditos: Divulgação/Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais)

18/09/2018 | 17:13 - Um novo software que irá auxiliar na previsão de possíveis deslizamentos de terra na cidade do Rio de Janeiro está sendo desenvolvido pela Prefeitura, em parceria inédita com a Nasa, agência espacial norte-americana. O projeto já está em fase final de desenvolvimento e será testado nos próximos meses de novembro e dezembro, período em que ocorrem chuvas intensas.

Segundo a pesquisadora da Nasa, Dalia Kirschbaum, o programa auxiliará para que a agência americana possa testar seus próprios modelos e ferramentas de previsão em uma escala local. “Este aprendizado nos permite entender melhor como as questões do meio ambiente afetam as cidades e ampliam formas de gerar impactos positivos. Esta experiência com o Rio servirá de caso de estudo para ser replicado em outras cidades do mundo", explicou.

O software opera considerando modelos globais da Nasa e dados locais da Fundação Geo-Rio. Ele avalia, em tempo real, os dados históricos sobre as regiões com maior probabilidade de sofrer deslizamentos, que são visualizadas por meio de um mapa de calor.

Durante evento realizado no Rio, o prefeito Marcelo Crivella declarou que o projeto é fundamental para a cidade ser mais eficiente e assertiva ao estabelecer suas prioridades. “Quanto mais cedo a gente conseguir prever a intensidade destes fenômenos naturais, mais vidas conseguiremos salvar em casos de deslizamentos de terra”, declarou.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro