• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > > Rachaduras em Maceió são resultado de mineração inadequada, diz CPRM

Rachaduras em Maceió são resultado de mineração inadequada, diz CPRM

Relatório divulgado aponta que atividades desestabilizam as cavidades do terreno, provocando a movimentação do sal e, consequentemente, o afundamento da superfície

Texto: Yuri Soares

Relatório divulgado aponta que atividades desestabilizam as cavidades do terreno, provocando a movimentação do sal e, consequentemente, o afundamento da superfície


Documento apura, ainda, que falta de rede de drenagem pluvial efetiva e de saneamento básico adequado acelera processo erosivo do solo (Créditos: Pei Fon/ Secom Maceió)

17/05/2019 | 09:26 - Segundo relatório divulgado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o surgimento das rachaduras e afundamentos nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, em Maceió (AL), é resultado de atividades inadequadas de mineração de sal-gema (material usado na fabricação de soda cáustica e PVC), realizadas pela empresa Braskem.

As patologias tiveram início no ano passado e desde então têm comprometido vários imóveis e ruas da região, causando, inclusive, a interdição de algumas moradias.

O documento emitido pela CPRM é conclusivo e foi elaborado durante um ano por uma equipe com mais de 50 profissionais. Conforme os resultados apresentados, a mineração está gerando a desestabilização das cavidades do terreno, provocando a movimentação do sal e, consequentemente, o afundamento da superfície. Os danos são agravados pela infiltração da água de chuva nas fissuras e pelas novas fraturas.

"Este processo erosivo é acelerado pela existência de pequenas bacias endorreicas, falta de uma rede de drenagem pluvial efetiva e de saneamento básico adequado", diz o relatório.

O documento recomenda, ainda, a adoção de medidas para tentar estabilizar os processos erosivos, como instalação de rede drenagem eficiente nos bairros.

A Braskem afirmou, em nota, que irá analisar as conclusões do relatório e ressaltou que desde o início do agravamento das patologias tem auxiliado as autoridades na identificação das causas e divulgado os estudos realizados por empresas de renome internacional.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro