• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > São Paulo suspende limitação de volume das caçambas dos caminhões

São Paulo suspende limitação de volume das caçambas dos caminhões

Secretaria municipal derruba regra que proibia veículos com caçambas de remoção de terra e entulho de obras com volume superior a 12 metros cúbicos

Texto: Yuri Soares

Secretaria municipal derruba regra que proibia veículos com caçambas de remoção de terra e entulho de obras com volume superior a 12 metros cúbicos


O Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) deverá acompanhar a padronização das dimensões dos veículos (Crédito: Alf Ribeiro/Shutterstock)

08/10/2018 | 16:13 - A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo publicou no Diário Oficial da União a Portaria SMT 154, que suspende a exigência de que a caçamba dos caminhões de remoção de terra e entulho de obras passem a ter dimensão máxima de 12 metros cúbicos.

De acordo com o documento, o Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) vai acompanhar os trabalhos visando à padronização das dimensões dos veículos no âmbito de todas as Secretarias Municipais, responsáveis pela autorização da prestação do serviço de transporte de terra e entulho por esses veículos e/ou equipamentos.

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) já havia solicitado ao secretário municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo, João Octaviano de Machado Neto, a suspensão da premissa em audiência no dia 24 de setembro.

A entidade argumentou que o limite reduziria 33% da quantidade máxima de metros cúbicos que os caminhões poderiam transportar, o que obrigaria as construtoras a contratarem mais veículos. Sendo assim, o número de caminhões trafegando pela cidade seria maior e prejudicaria ainda mais o trânsito e o meio ambiente da capital.

Romeu Ferraz expôs ainda que a exigência geraria um custo adicional, não previsto nos orçamentos das obras, onerando as construtoras que já haviam contratado os serviços de remoção.

Para ler na íntegra a Portaria SMT 154, acesse o Diário Oficial da União de 3 de outubro.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro