Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > Equipamentos para movimentação de carga são destaques na Embraport

Equipamentos para movimentação de carga são destaques na Embraport

O empreendimento, construído há dois anos, é um dos mais modernos terminais de carga do Brasil

Redação PE

O setor portuário brasileiro movimenta cerca de 900 milhões de toneladas por ano e responde por mais de 90% das exportações. Para dar ao mercado nacional a devida infraestrutura portuária, foi preciso muito investimento na ampliação e modernização dos portos.

A Embraport (Empresa Brasileira de Terminais Portuários) é um dos mais modernos terminais privados do Brasil e esta localizada dentro do complexo portuário de Santos com o objetivo principal de aumentar a capacidade e a competitividade do porto.

Hoje, o terminal tem capacidade de movimentar 1,2 milhões de TEUS (unidade de medida para movimentação de containeres).

Equipamentos para movimentação de cargas

Os equipamentos para movimentação de cargas portuárias são bem específicos. A Embraport está equipada com 6 portainers, 22 RTGS e 42 tractors em operação:

- Portainers - são pórticos que movimentam os contêineres do navio para o pátio (ou vice-versa) com capacidade de carga de até 42 toneladas

- RTGS (Guindastes de pórtico sobre pneus) - estruturas autoportantes com mecanismo de tração, direção e içamento, apto para movimentar os contêineres quando estão no pátio

-Tractors - versões de caminhões próprios para movimentação de contêineres  com fácil encaixe e mobilidade

A obra

    O material que estava contaminado foi encapsulado e conseguimos, limpamos o estuário e reduzimos a quantidade do material de aterro necessário para construir o terminal

    A construção do terminal foi realizada em menos de 3 anos. Ao todo, foi utilizado 160 mil metros cúbicos de concreto, 30 mil toneladas de aço, mais de 2000 estacas de concreto e 3 milhões de metros cúbicos de material dragado.

    Geogrelhas e sobrecargas foram aplicadas já que a maior parte do terminal foi construída sobre um aterro. Já os serviços de dragagem contaram com geotubes, pois parte do material dragado estava contaminado e precisava ser tratado para permitir a reutilização.

    “Nós fizemos uma espécie de reciclagem. O material que estava contaminado foi encapsulado nos geotubes e com isso conseguimos limpar o estuário além de reduzir a quantidade do material de aterro necessário para a construção do terminal.” Explica Wilson Lozano, gerente de novos projetos da Embraport.

    Para a fundação do cais foi utilizado o cantitravel, um equipamento próprio para obras portuárias em que estruturas metálicas suportam um guindaste. Ele realiza o içamento e crava as estacas dentro d’água conforme a movimentação do equipamento.

     

     

    Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

    Complete seu cadastro