O portal da Arquitetura,
Engenharia e Construção
Receba Boletins e Informativos. Saiba mais
Fechar


  • Home

  • Seta CimaFornecedores
  • Seta CimaProdutos
  • Seta CimaArquitetura
  • Seta CimaEquipamentos
  • Seta CimaRevista Digital
  • Seta CimaWeb Seminários
  • Seta CimaConexão AEC
  • Seta CimaBlog
Seta Direita

Busca por Fornecedor ou ProdutoUtilize a barra de busca para procurar
o fornecedor ou produto que você deseja!

> > > > Como fazer a manutenção e limpeza das fachadas de vidro

ABRAVIDRO

ABRAVIDRO - Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos

ABRAVIDRO

Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos

EntidadeSão Paulo, SP
Telefone:(11) 3873-9908

Como fazer a manutenção e limpeza das fachadas de vidro

Saiba como manter e prolongar todos os benefícios que o vidro oferece

Saiba como manter e prolongar todos os benefícios que o vidro oferece



(Divulgação Abravidro)

Fachadas de vidro, seja em arranha-céus ou em prédios baixos ou residências, são um atrativo estético para as construções — sem contar os outros benefícios que o nosso material oferece. Mas, além da instalação, é preciso que, de tempo em tempo, seja feita corretamente a manutenção e limpeza da estrutura, a fim de manter e prolongar todos os benefícios que ela oferece. Para isso, confira as nossas dicas!

Planejamento é essencial

Já na hora de instalar a fachada, é necessário que os responsáveis pensem em como serão feitas, posteriormente, a manutenção e limpeza. O ideal é inserir pontos de fixação nas coberturas para a utilização de balancins ou de cordas profissionais, como as utilizadas em rapel. Se não for possível, existe a alternativa de se criar aberturas nas fachadas para o acesso dos profissionais da manutenção.

Trabalhos em construção baixas

Nesses lugares, é possível trabalhar no chão, com a ajuda de escovas e rodos equipados com hastes de longo alcance. Evite usar máquinas que geram jatos d’água: a estanquidade das estruturas pode ser comprometida por conta da pressão pontual da água.

Em edifícios altos

A primeira regra é se preocupar com a segurança, tanto de quem irá limpar, como dos pedestres e do patrimônio. A Norma Regulamentadora 35 (NR35), do Ministério do Trabalho e Emprego, estabelece as medidas de proteção para o trabalho em altura — toda atividade executada acima de 2 m do nível inferior. Nesses casos, a limpeza deverá ser feita por meio de balancim ou corda (rapel).

Cuidado com os produtos utilizados

Durante o processo de limpeza, é proibido agredir o vidro com produtos abrasivos ou que possam causar corrosão. E não é só o nosso material que pode ser danificado: tratamentos superficiais das esquadrias (como pintura eletrostática e anodização) também podem sofrer.

Dupla imbatível: sabão neutro e água

Esses dois, com o auxílio de esponja ou pano macio, retiram grande parte das sujeiras. Diversos produtos para limpeza estão disponíveis no mercado, mas fique atento às informações nos rótulos das embalagens. Algumas empresas usam, por exemplo, água desmineralizada, para potencializar a ação. Existem ainda itens à base de silicone e teflon que formam uma “camada” invisível, tampando os poros do vidro.

A limpeza deve ser feita de quanto em quanto tempo?

Depende da localização. Se o prédio está em locais com muito trânsito (com fuligem, culpa da fumaça dos carros); em parques e regiões costeiras (com maresia e limo); ou em regiões onde chove bastante (água com alto teor de minerais, como cálcio e magnésio), a limpeza deve ser feita mensalmente.


Fonte: Abravidro

Notícias

Siga o Portal AECweb no Facebook
Fique informado e atualizadoNovidades e tendências do setorCuriosidades da EngenhariaReferências da ArquiteturaConteúdo leve e descontraído

Complete seu cadastro

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos do Portal AECweb.

+55 (11) 3879-7777

Fale conosco