Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Areia para construção civil: preço, tipos, onde usar e mais

Saiba o preço do metro cúbico da areia para construção civil em 2024. Veja também quais são os tipos e as aplicações de cada um deles.

Publicado em: 10/05/2023Atualizado em: 15/05/2024

Texto: Vinícius Veloso

Monte de areia em uma obra da construção civilA areia é um dos principais insumos da construção civil (Foto: Thanagornsoisep/Shutterstock)

Insumo essencial na construção civil, a areia é constituída, principalmente, de dióxido de silício (sílica). Além disso, pode conter outros minerais na composição devido ao seu processo de formação — que ocorre pela fragmentação de rochas causada a partir da erosão ou por conta da ação da água e do vento.

A cor da areia indica qual é o mineral predominante. As mais claras, por exemplo, são as que têm grande quantidade de quartzo.

Clique aqui, siga o canal do Portal AECweb no WhatsApp e receba os melhores conteúdos sobre construção civil no seu celular.

O material usado nas obras brasileiras é extraída de leitos de rios, planícies aluviais ou rochas sedimentares. Pode ser retirada, também, de mantos de alteração de rochas cristalinas. Vale destacar que a areia da praia ou de dunas não deve ser utilizada na construção, pois tem granulação irregular e o sal em sua composição reduz a qualidade de concretos e argamassas.

Preço da areia para construção civil em 2024

O preço da areia para construção civil em abril de 2024 é R$ 197,77 (metro cúbico da areia média). Esse valor médio foi calculado com base nas cotações realizadas no Portal AECweb e no Construcompras. Considerando os últimos três meses, a média do preço da areia é R$ 189,40.

Confira, também, como os valores variaram ao longo dos últimos 12 meses.

MêsPreço da areia
Abril de 2024R$ 197,77
Março de 2024R$ 181,41
Fevereiro de 2024R$ 189,03
Janeiro de 2024R$ 177,09
Dezembro de 2023R$ 172,40
Novembro de 2023R$ 186,91
Outubro de 2023R$ 170,36
Setembro de 2023R$ 192,90
Agosto de 2023R$ 172,90
Julho de 2023R$ 179,11
Junho de 2023R$ 177,96
Maio de 2023R$ 166,42

Tipos de areia para construção civil

A areia utilizada na construção civil pode ser separada em tipos levando em conta a sua granulometria (fina, média ou grossa) ou pelo seu processo produtivo (lavada, usinada ou reciclada). Com isso, as principais classificações são:

  • Areia fina
  • Areia média
  • Areia grossa
  • Areia lavada
  • Areia usinada
  • Areia reciclada

Areia fina

Tem granulometria que varia de 0,05 mm a 0,42 mm e é usada na execução do reboco e do acabamento interno. Utilizar a areia fina na última camada de argamassa do acabamento é importante para melhorar as condições do substrato. Também colabora com o melhor resultado na aplicação da tinta ou da massa para colagem do revestimento.

Monte de areia em uma obra da construção civilA areia é composta, principalmente, de dióxido de silício (Foto: Mironmax Studio/Shutterstock)

Areia média

A areia média tem granulometria de 0,42 mm a 2 mm e é empregada no preparo da argamassa utilizada na alvenaria (para assentar blocos e tijolos). É, ainda, um dos componentes da mistura usada no chapisco e do concreto para o preenchimento de vigas e pilares.

Areia grossa

Com granulometria que vai de 2 mm a 4 mm, a areia grossa é utilizada na execução do contrapiso e nos concretos usados em vigas, pilares, entre outros elementos construtivos. Por outro lado, não deve ser empregada nas misturas para assentar blocos e tijolos ou na preparação das argamassas de acabamento.

Areia lavada

A areia lavada é a mais usada na construção civil. Após ser retirada da natureza, seu processo produtivo consiste na separação do material sólido por meio da decantação. Na sequência, passa pelo processo de peneiramento para retirada de impurezas.

Areia usinada

Composta de agregados gerados da britagem de rochas, a areia usinada — ou industrializada — pode substituir a areia lavada em todas as situações (atendendo às demandas técnicas). Com produção que causa menos danos ao meio ambiente, é uma opção mais sustentável para a construção civil.

Leia também

Cimento: quais são os tipos, onde usar, preços e mais
Argamassa: preço, tipos, como usar e mais

Areia reciclada

A areia reciclada tem origem de resíduos classe ‘A’ da construção. Possui características semelhantes à da areia lavada, com o detalhe de que podem existir partículas de cimento em sua composição. Opção economicamente mais interessante do que as demais, é indicada para assentar a alvenaria de vedação e para a execução de calçadas, revestimentos e contrapisos.

Por outro lado, essa alternativa mais sustentável não deve ser empregada em misturas que cumprirão função estrutural.

Monte de areia em uma obra da construção civilA areia é composta, principalmente, de dióxido de silício (Foto: component/Shutterstock)

Como comprar areia para construção civil?

A compra de areia varia conforme o porte da obra. Nas menores e pequenas reformas, o material é adquirido por volume (metros cúbicos ou quilos). Já nos projetos maiores, o mais comum é a aquisição de areia por caminhões basculantes (que têm de 5 m³ a 13 m³).

Durante a compra, recomenda-se atenção com os fornecedores. Deve-se, sempre, optar por empresas certificadas e que sejam capazes de comprovar a origem do insumo. Esse simples cuidado é importante para garantir que o material entregue seja de qualidade e que a sua extração da natureza seguiu todas as boas práticas ambientais.

Outras dicas importantes são pesquisar o melhor preço da areia e não receber materiais sujos de óleo ou com a presença de outros resíduos, como galhos ou terra.

Por que usar areia na construção?

Quando a água e o cimento entram em contato, ocorre uma grande evaporação do líquido. Já a areia é inerte e não reage a esse processo químico. Por isso, é adicionada à mistura para mitigar a perda de água — ação fundamental para evitar o surgimento de manifestações patológicas, como fissuras e trincas.

A areia de sílica também é a principal matéria-prima do vidro. Responsável por 72% da composição do material, é combinada com outros elementos (sódio, cálcio e magnésio) antes de a mistura ser colocada em fornos que atingem temperaturas de 1.600°C. Após ser derretida, vira um líquido viscoso que posteriormente se transforma em vidro.