Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Maio pode ser marcado por greves, avisam sindicalistas

Texto: Redação AECweb

Pauta das reivindicações é o aumento de salário

02 de maio de 2012 - O mês de maio deve ser marcado por mobilizações intensas de categorias como os trabalhadores da construção civil e dos transportes do Estado de São Paulo. Com data-base no dia 1.º, as negociações com os representantes patronais não avançaram e os sindicalistas já falam em paralisações.

"Tivemos uma ou duas reuniões por semana desde o começo de março e ainda não conseguimos avançar na pauta de reivindicações", queixa-se Antônio de Souza Ramalho, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon). "Estamos mobilizados para uma greve por tempo indeterminado a partir do dia 7", avisa ele.

Na campanha dos operários da construção civil estão juntos os sindicatos de várias centrais sindicais como Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Central Geral dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CGTB). Juntas, elas representam mais de 1 milhão de trabalhadores. Só na base do Sintracon, ligado à Força Sindical, são 370 mil operários.

A categoria reivindica aumento real de 5%, além da reposição da inflação acumulada nos últimos 12 meses. O sindicato patronal não apresentou contraproposta, informa Ramalho. "Mesmo assim, temos esperança de que haja um entendimento, porque uma greve geral desgasta todo mundo, principalmente quem comprou imóveis na planta", diz o sindicalista.

Segundo ele, as construtoras têm atrasado, em média, em nove meses a entrega das chaves dos apartamentos por falta de mão de obra. Mais do que isso, ele afirma que os consumidores reclamam muito do acabamento dos imóveis. Na falta de mão de obra, tem se trabalhado em regime de empreitada.

Fonte: O Estado de São Paulo

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: