• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > > Arquitetos poderão solicitar financiamento imobiliário a bancos

Arquitetos poderão solicitar financiamento imobiliário a bancos

Ministério do Desenvolvimento Regional e CAU/BR encaminham acordo para que profissionais organizem demandas de clientes e solicitem os financiamentos a projetos e obras

Texto: Yuri Soares

Ministério do Desenvolvimento Regional e CAU/BR encaminham acordo para que profissionais organizem demandas de clientes e solicitem os financiamentos a projetos e obras


De acordo com o segundo vice-presidente do CAU/BR, com a participação dos profissionais serão mitigados os riscos dos projetos, garantindo a conversão dos financiamentos em obras adequadas (Créditos: PhuShutter/ Shutterstock)

18/06/2019 | 09:02 - Em reunião realizada entre representantes da Secretária Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional e do Conselho Nacional de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR), em Brasília (DF), foi definido que as duas entidades firmarão um acordo para criar métodos que permitam à arquitetos e urbanistas participarem diretamente de financiamentos imobiliários em todo o território nacional. Os procedimentos deverão ser desenvolvidos junto a agentes financeiros.

De acordo com o segundo vice-presidente do CAU/BR, arquiteto e urbanista Wilson Andrade, a ideia é que arquitetos credenciados por agentes financeiros, como a Caixa Econômica Federal, organizem as demandas junto aos clientes interessados e solicitem os financiamentos aos projetos e obras. Além disso, os profissionais deverão se responsabilizar pela execução ou fiscalização dos empreendimentos, certificar-se do trabalho realizado e prestar contas ao final.

“O Brasil forma anualmente milhares de novos arquitetos. Parte desse contingente certamente se engajará na produção de habitação de interesse social se for incentivado o empreendedorismo fora do modelo tradicional que só cuida do financiamento da produção em massa. Necessitamos colocar o arquiteto em contato direto com a população”, disse Andrade.

O segundo vice-presidente do CAU/BR explicou, ainda, que a iniciativa trará maior retorno aos agentes financeiros, pois com a participação dos profissionais habilitados serão mitigados os riscos dos projetos, garantindo a conversão dos financiamentos em obras adequadas.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro