• Busque fornecedores, produtos e matérias

Produto indisponível

O produto que você buscou se encontra indisponível no momento.

> > > > BNDES investiu US$ 10 bi na exportação de serviços de engenharia

BNDES investiu US$ 10 bi na exportação de serviços de engenharia

Levantamento do banco estatal de desenvolvimento apontam que, nos últimos 20 anos, financiamento de serviços de engenharia e bens associados abrangeu 15 países

Texto: Yuri Soares

Levantamento do banco estatal de desenvolvimento apontam que, nos últimos 20 anos, financiamento de serviços de engenharia e bens associados abrangeu 15 países


Entre 2003 a 2018, os financiamentos para serviços de engenharia e bens associados representaram 1,3% dos desembolsos totais do BNDES (Créditos: divulgação/Governo Federal)

16/04/2019 | 16:42 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou, em seu Portal na Internet, por meio da iniciativa "Aqui você tem transparência", que, nos últimos 20 anos (entre 1998 e março de 2019), desembolsou US$ 10,499 bilhões para o financiamento da exportação de serviços de engenharia e bens associados para 15 países.

Segundo a entidade, do valor de financiamento, o saldo devedor foi de US$ 3,119 bilhões em 31 de março deste ano. Na mesma data, as prestações em atraso somaram US$ 518 milhões.

Ainda conforme a plataforma do BNDES, de 1998 a março de 2019, os principais destinos para este tipo de exportações financiadas pelo banco são Angola (US$ 3,27 bilhões), Argentina (US$ 2 bilhões), Venezuela (US$ 1,5 bilhão) e República Dominicana (US$ 1,2 bilhão).

Entre 2003 a 2018, os financiamentos para serviços de engenharia e bens associados representaram 1,3% dos desembolsos totais do BNDES, enquanto que 36% corresponderam ao investimento na área de infraestrutura.

Os dados apontam, ainda, que o Fundo de Garantia à Exportação (FGE) – que cobre as garantias prestadas pelo banco, caso o devedor esteja inadimplente – é superavitário, pois recebeu, entre 1998 (data de sua criação) e março de 2019, US$ 1,313 bilhão em prêmios e pagou US$ 546 milhões em indenizações, mesmo com os atrasos recentes. Com isso, o saldo positivo ficou em US$ 767 milhões.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins.

Complete seu cadastro