Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

100% natural, linóleo alia resistência e fácil manutenção

Sustentável, oferece conforto termoacústico e pode ser instalado sobre outro piso

Publicado em: 25/10/2013Atualizado em: 12/11/2020

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

MarmoleumDivulgação Forbo

O piso de linóleo está completando 150 anos (só não é mais velho do que a madeira e a cerâmica). Bastante utilizado na Europa, entra e sai de moda no Brasil. “Ele não é muito popular por aqui, mas agora voltou a ser tendência porque é natural e as pessoas estão mais preocupadas com a questão da sustentabilidade”, justifica Mauro Ortis, gerente comercial da unidade brasileira da Forbo.

Por não ser o tipo de piso mais utilizado no Brasil, ainda há muitas dúvidas. Veja, a seguir, as mais comuns.

Especificações

Os pisos de linóleo são encontrados em forma de manta e placa. As mantas, que têm 2 metros de largura por 34 m de comprimento e 2,5 mm de espessura, são indicadas para áreas extensas, pois possuem poucas juntas, o que facilita a limpeza e assepsia. Já as placas (33m x 33m, e 2,5mm de espessura) costumam ser colocadas em pequenos espaços, geralmente comerciais.

Onde usar e onde não usar

O linóleo é bastante utilizado em escolas, restaurantes, hospitais, escritórios e lojas, mas também pode ser instalado em ambientes residenciais.

Por ser adesivado, não é recomendado para ambientes úmidos ou com possibilidade de infiltração – como banheiro – e para áreas externas, pois pode descolar.

É bom saber

Linóleo x vinílico

É comum confundir esses dois tipos de piso. Enquanto o linóleo é composto quase totalmente por matérias-primas naturais, o vinílico possui maior composição sintética (principalmente, vinil - PVC). Além disso, o linóleo é produzido com técnicas tradicionais, o que não permite grande variação de padrão, apenas de cores. Já o vinílico é fabricado de diferentes formas, por isso, possui inúmeras cores e variados padrões. Os pisos vinílicos não são contemplados pela ISO 24011, mas pela norma europeia EN651, cuja versão brasileira é a NBR 14917.

Cote pisos de linóleo no Portal AECweb

Instalação

Piso vinílicoComo o linóleo é colado ao contrapiso, este deve estar desempenado, rígido, seco, impermeabilizado e limpo, livre de vestígios de pó, poeira, gesso, óleo ou outras substâncias que possam prejudicar a aderência do produto.

Embora a instalação seja simples, para que o acabamento fique impecável, Ortis, da Forbo, e Bianca Tognollo, gerente de marketing da Tarkett, recomendam a contratação de um profissional especializado e treinado pelo fabricante.

Manutenção

Como já vem protegido com cera acrílica, o aspecto visual do piso de linóleo é mantido por cerca de seis meses a um ano. Após esse período, deve-se retirar a cera e passar outra.

No dia a dia, o piso de linóleo pode ser limpo com solução de água e detergente, utilizando-se mop, vassoura ou um pano. Bianca sugere que, em grandes áreas, a limpeza seja feita com máquinas especiais e que, periodicamente, o piso seja polido a seco para remover riscos e arranhões. “Nosso piso de linóleo não requer a utilização de cera ou spray buffing durante toda a sua vida útil, devido ao seu tratamento de superfície ser bastante resistente e com baixa porosidade”, indica.

Vantagens

- É sustentável (composto por farinha de madeira, óleo de linhaça, resina de árvore, pigmentos naturais, juta e cal);
- Oferece conforto termoacústico: acompanha a temperatura do ambiente e não faz barulho – o famoso toc toc – quando se caminha sobre ele;
- Tem poucos poros e juntas, o que, além de garantir a estética, facilita a assepsia;
- A instalação é fácil e rápida;
- Pode ser instalado sobre outro piso;
- É fácil de limpar e a manutenção é simples;
- É resistente, inclusive em locais públicos e com grande movimento de pedestres. “O piso do antigo prédio do Banco Mercantil, em São Paulo, tem 60 anos, e o do Hospital do Coração [também na capital paulista], 26”, comenta Ortis.

Desvantagens

- Não podem ser instalados em áreas externas e/ou úmidas;
- Sua resistência ao desbotamento é baixa, pois é fabricado com pigmentos orgânicos;
- Como a base é de juta, pode descolar mais rapidamente do que outros tipos de piso se o contrapiso não estiver perfeitamente seco e curado, ou ainda se houver qualquer indício de infiltração.

Custo

- Esse tipo de piso ainda não é fabricado no Brasil. Na Forbo, custa em média R$60 o m² mais R$25 da instalação.

Padrões de qualidade

Os fabricantes se baseiam na ISO 24011, que estabelece os métodos para testes de qualidade, como identação residual, estabilidade dimensional, flexibilidade, classificação de fogo e fumaça, resistência ao escorregamento, dentre outros.

Colaboraram para esta matéria

Mauro Ortis – Sociólogo, trabalha no mercado de construção há 23 anos. Há 13 é gerente comercial da unidade da Forbo no Brasil. Também é membro da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
Bianca Tognollo – Formada em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário Belas Artes, tem MBA em Marketing pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Trabalha há 15 na indústria de produtos para construção civil. Hoje, é gerente de marketing da Tarkett.

Leia também: Veja como especificar e comprar pisos cerâmicos para áreas molhadass
Compra de pisos intertravados deve atender a NBR 9.781s