5 estratégias para reduzir emissões de poluentes no canteiro

Planejamento e práticas simples podem ajudar a minimizar impactos ambientais. Saiba mais

Publicado em: 19/03/2020

Texto: Juliana Nakamura

Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, a construção civil é responsável por quase 30% das emissões dos gases do efeito estufa (foto: Budimir Jevtic/shutterstock)

Em todas as indústrias, reduzir o lançamento de poluentes na atmosfera em decorrência da produção é uma preocupação, seja por pressões da sociedade, seja pela imposição de novas legislações e tratados internacionais. No caso da construção civil, esse também é um assunto urgente, sobretudo porque o setor é responsável por quase 30% das emissões dos gases do efeito estufa, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

Fabricantes de materiais de construção, como cimento e aço, têm adotado práticas como a elaboração de inventários visando a redução de emissões. As construtoras, por sua vez, também vêm se mobilizando com ações de grande impacto, especialmente para os trabalhadores e para as comunidades do entorno. Confira a seguir algumas estratégias recomendadas:

1) Controle de particulados

Uma das primeiras medidas a serem adotadas nos canteiros é controlar a propagação de material particulado. Essas partículas muito finas de sólidos ou líquidos suspensos no ar podem causar danos ao sistema respiratório e agravar doenças. Elas também podem poluir solos, rios e comprometer o crescimento das plantas.

Controlar essas emissões no canteiro depende de um planejamento que identifique os riscos envolvidos e as atividades emissoras. Além disso, é necessária a instalação de redes de retenção de pó nas fachadas em execução. “Tal medida reduz bastante o espalhamento da poeira produzida”, comenta David Fratel, diretor executivo da Kallas Engenharia. Segundo ele, outra boa prática é prover ao canteiro sistemas de aspersão de água (com retenção da retenção de chuva) para conter a propagação da poeira.

2) Atenção à movimentação de terra

Atividades de movimentação de terra e processos de corte e perfuração em concreto costumam ser intensos geradores de poluição no canteiro. Por isso, uma boa ação é, ainda na fase de projeto, promover equilíbrio entre cortes e aterros (terraplenagem) com solo local e assim evitar os bota-foras e importação de solo. A obra também deve ter um plano de gerenciamento de resíduos. Nas demolições, o uso de barreiras físicas e a aspersão de água podem reduzir o espalhamento da poeira.

3) Descarte de materiais cuidadoso

O controle da emissão de particulados passa, também, por cuidados no armazenamento de insumos no canteiro e no descarte de materiais. Manter entulho e areia expostos ao vento e às chuvas, por exemplo, contribui para a difusão das partículas. "É importante garantir que os caminhões betoneira descarreguem a borra de concreto em locais próprios de reciclagem ou descarte. Isso evita que eventuais perdas de material tornem-se resíduo e prejudiquem o entorno", comenta Fratel.

4) Seleção de matérias-primas e uso de sistemas industrializados

A utilização de materiais reciclados para pavimentação, como por exemplo, concreto britado/reaproveitado, evita a exploração de pedra natural e reduz a emissão de poluentes com o frete
David Fratel

Há uma série de ações relacionadas à seleção de materiais e de sistemas construtivos que podem contribuir para reduzir o impacto ambiental das obras. "A utilização de materiais reciclados para pavimentação, como por exemplo, concreto britado/reaproveitado, evita a exploração de pedra natural e reduz a emissão de poluentes com o frete", cita Fratel.

"É necessário que os produtos sejam certificados conforme as exigências normativas e disponham de declarações ambientais e garantia de qualidade. Outro ponto importante é a utilização de produtos que tenham origem de uma região próxima à obra, estimulando o negócio local e diminuindo a emissão de gases durante o transporte", acrescenta Sergio Domingues, diretor técnico da Incorporadora e Construtora Tarjab.

De modo geral, a produção e aplicação de concretos e argamassas nas obras costuma gerar poeira. Isso pode ser atenuado com a opção por materiais pré-fabricados. "A intensificação do uso de sistemas industrializados deve ser uma meta", sugere Fratel.

É necessário que os produtos sejam certificados conforme as exigências normativas e disponham de declarações ambientais e garantia de qualidade. Outro ponto importante é a utilização de produtos que tenham origem de uma região próxima à obra
Sergio Domingues

5) Uso racional de equipamentos à combustão

Antes de comprar ou alugar um equipamento, é recomendável comparar a eficiência e o nível de emissões dos diferentes modelos disponíveis. Além disso, o uso criterioso de veículos de transporte e de equipamentos de produção é uma prática salutar para reduzir a emissão de gases do efeito estufa.

No mais, durante o transporte, procedimentos simples podem surtir ótimo resultado. Um exemplo é diminuir a altura do lançamento de terra da retroescavadeira para as caçambas dos caminhões, minimizando a quantidade de poeira que é dissipada no ambiente.

Leia também: Conheça boas práticas para a lavagem de rodas de caminhão

Colaboração técnica

David Fratel – Engenheiro civil pós-graduado em planejamento e controle na construção civil e em gerenciamento de empreendimentos. É diretor executivo da Kallas Engenharia.
Sergio Fernando Domingues – Engenheiro Civil, mestre em inovação na construção civil pela Escola Politécnica da USP. É diretor técnico da Incorporadora e Construtora Tarjab, além de membro do Comitê de Tecnologia e Qualidade do Sinduscon-SP.