6 dicas para usar a calha de PVC corretamente

Verificar o tamanho e a inclinação adequados, instalar de maneira correta e fazer a manutenção preventiva são alguns cuidados. Entenda

Publicado em: 16/04/2023Atualizado em: 24/04/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

foto de uma pessoa segurando uma espátula e uma tabua com argamassa líquida em cima
(Foto: seeshooteatrepeat/Shutterstock)

Calhas em PVC são peças prontas e leves, e devem ser entendidas como um sistema para telhados. O engenheiro Joaquim Coelho, diretor Comercial da Astra e Japi, explica que o sistema é constituído por 19 tipos de componentes. “Para estruturar o telhado com as calhas em PVC, basta se atentar às medidas do telhado e realizar os cálculos por meio do simulador disponível no site da marca”, diz.

1. Faça a escolha certa da calha

É importante observar alguns requisitos, a começar pela facilidade de instalação com sistema de click e que as calhas e componentes sejam fabricados em PVC, com aditivo de dióxido de titânio que garante maior resistência ao sol. “As cabeceiras e emendas devem ter vedação. E duas opções de tamanhos de bocais de saída, com sistema de compensação termal para absorver a dilatação e a contração da calha, que ocorre com a variação de temperatura do ambiente”, explica. As medidas dos produtos encontrados no mercado variam – no caso da marca, têm 119 x 84 mm, em duas opções de tamanho: 1 e 3 m de comprimento.

Veja também:
Inspeções de qualidade em obra

2. Verifique o tamanho e dimensões necessárias

Para uma compra mais assertiva do sistema de Calhas em PVC o engenheiro recomenda ter em mãos as medidas do telhado. As principais são:
1. Largura do telhado (m);
2. Comprimento do beiral (m);
3. Altura do telhado (m);
4. Altura da calha até o chão (m).

“Com essas dimensões, é possível estimar de maneira correta a quantidade de peças necessária para a montagem do sistema de calhas”, observa.

3. Garanta a inclinação adequada para o escoamento

A inclinação adequada para as calhas garante o escoamento da água pluvial até os pontos de drenagem previstos. “A calha deve ter uma inclinação média de 2 mm por metro em direção ao bocal para garantir a queda da água”.

4. Instale de maneira correta e segura

Além das medidas corretas do telhado e da inclinação média, outros procedimentos precisam ser seguidos para instalar o sistema de calhas de maneira correta:

  • Atenção em relação à vazão das calhas. A vazão é definida pela quantidade de bocais de saída do sistema. Quanto maior o volume da chuva, maior o número de saídas que o sistema de calhas deverá ter para dar conta da vazão. De forma geral, cada 30 m² de telhado deve corresponder a um bocal de saída.
  • Escolha do suporte fixador. Para escolher o suporte correto para o seu projeto, verifique se o telhado possui tabeira alinhada com o final da telha.

5. Realize a manutenção preventiva

Os resíduos e sujeira provenientes da água da chuva que são levados para as calhas podem causar danos à estrutura, comprometendo sua durabilidade. “Como solução, a principal manutenção preventiva das calhas é a limpeza. É imprescindível manter o telhado limpo e em boas condições”, orienta Coelho. Em regiões com altos índices pluviométricos, é recomendada a limpeza a cada seis meses.

6. Evite obstruções e entupimentos

Além da limpeza periódica das calhas para manter a capacidade de drenagem da água que cai no telhado, é importante instalar o componente anti folhas no bocal de saída da calha. “Essa ação vai reter a sujeira mais grossa, principalmente no caso de captação e armazenamento de água pluvial para outros fins”, ensina.

Medida igualmente interessante é a realização da poda de árvores que possam ocasionar a queda de folhas e frutos sobre o telhado. “Esse cuidado garante períodos maiores sem necessidade de manutenção e limpeza”, comenta.

Leia também: Calhas e condutores

Colaboração técnica

Joaquim Coelho  – É engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da USP, com MBA em Marketing pela FIA. Atua no setor de materiais para construção desde 1997, quando ingressou na Astra como trainee. Atualmente, é diretor Comercial da ASTRA e da JAPI. Possui ampla vivência em campo e sólida experiência na elaboração de estratégias comerciais e ampliação de portfólio e canais de distribuição.