Argamassa para assentamento de alvenaria: como escolher?

A argamassa utilizada para unir blocos deve possuir boa trabalhabilidade, aderência e resistência mecânica. Saiba como comprar

Publicado em: 31/08/2022

Texto: Juliana Nakamura

foto de uma pessoa segurando uma espátula e uma tabua com argamassa líquida em cima
(Foto: Verin/Shutterstock)

Seja para vedação, seja para fins estruturais, a alvenaria é um método construtivo de uso consagrado no Brasil. O desempenho dessas paredes, que podem ser compostas por blocos de concreto ou cerâmicos, é altamente influenciado pela qualidade da execução e pelos materiais utilizados, com destaque para a argamassa para assentamento.

Embora muitas obras ainda prefiram a argamassa virada no canteiro, a opção pelo produto industrializado, pré-dosado, é crescente. Isso se deve, principalmente, a fatores como prazos de execução mais curtos e canteiros com espaço limitado, além de maior preocupação ambiental e com a redução de desperdícios.

O que são argamassas para assentamento de alvenaria?

Compostas por uma mistura de cimento, cal hidratada, areia natural e aditivos, as argamassas podem ser encontradas com diferentes composições. Em todos os casos, elas devem garantir trabalhabilidade e boa aderência, contribuir para a distribuição adequada das cargas, absorver as deformações e suportar os esforços mecânicos.

A escolha do produto mais adequado requer a análise de alguns fatores durante a etapa de planejamento. O primeiro deles é se a alvenaria possui função estrutural.

“Quando falamos de alvenaria estrutural, as próprias paredes da edificação garantem a sustentação da construção. Neste caso, as argamassas de assentamento devem ser estruturais, com resistências pré-definidas em projetos”, explica Guilherme Pinto, chefe de produtos da linha de Fachadas e Construção Industrializada na Saint-Gobain Produtos para Construção. Para alvenarias internas ou externas que somente cumprem a função de vedação e de separação de ambientes, podem ser utilizadas argamassas de assentamento convencional, sem papel estrutural.

“Outros aspectos a serem observados ao escolher uma argamassa são o tipo de blocos utilizado, o revestimento que será aplicado, a altura da edificação, o tipo de modulação ou amarração adotado, e se a alvenaria é externa ou interna”, adiciona Carlos Flores, gerente geral da Unidade de Negócio de Argamassas da Votorantim Cimentos.

Quais são os principais tipos de argamassa para alvenaria?

A indústria oferece diferentes produtos para o assentamento de blocos. Há, por exemplo, as argamassas para assentamento de vedação e encunhamento com fácil manuseio e aplicação, além de ótimo rendimento. Existem, também, as argamassas para utilização com blocos cerâmicos e de concreto de alvenaria estrutural.

É possível encontrar, ainda, produtos multiúso, que podem ser utilizados para o revestimento de paredes, bem como no assentamento de blocos de alvenaria de vedação.

Alguns fabricantes desenvolvem argamassas cimentícias brancas especialmente desenvolvidas para assentamento de blocos de vidro, e argamassas refratárias, resistentes a altas temperaturas, para assentamento de blocos e tijolos em lareiras, fornos e churrasqueiras.

Para Guilherme Pinto, a evolução das argamassas industrializadas é um reflexo do aprimoramento da indústria de modo geral. “A atualização das normas técnicas é outro passo importante para a melhoria da qualidade técnica desses produtos”, diz ele, citando como exemplo a ABNT NBR 13.281, norma que apresenta requisitos, critérios e métodos de ensaios das argamassas para revestimento e para assentamento, atualmente em revisão.

Boas práticas de execução de alvenarias

Para evitar manifestações patológicas futuras, há uma série de pontos críticos que exigem cuidado especial durante a execução de paredes de alvenaria e o uso de argamassas de assentamento.

Carlos Flores, da Votorantim Cimentos, destaca a adição correta de água para cada porção de argamassa, indicada na embalagem e/ou ficha técnica do produto. “Além disso, é fundamental respeitar o tempo máximo entre mistura e aplicação para garantir que o produto tenha a trabalhabilidade e resistência adequadas”, diz ele, ressaltando a importância de não adicionar materiais estranhos à argamassa. Afinal, os produtos industrializados precisam apenas de água na quantidade certa e de homogeneização.

Embora pareça um material com aplicação trivial, é importante lembrar que a argamassa de assentamento possui papel fundamental no desempenho, qualidade e vida útil das alvenarias. “A argamassa contribui para o desempenho técnico e para o conforto do usuário. Por isso é tão importante que o assentamento siga boas práticas, como a previsão de juntas com espessuras mínimas e a utilização de materiais adequados para o encunhamento”, finaliza o engenheiro da Saint-Gobain.

Leia também:
Projeto de alvenaria racionalizada é solução para evitar perdas
Bom projeto e execução são essenciais para evitar patologias em alvenarias

Colaboração técnica

Carlos Vicente Flores – Com mais de vinte anos de experiência na indústria de materiais de construção, desde 2017 é head do negócio de argamassas da Votorantim Cimentos. Formado em engenharia elétrica pela Universidade Carabobo, na Espanha, tem MBA em Finanças e em Liderança.
Guilherme Oliveira Pinto – Engenheiro civil pela Universidade Federal de Minas Gerais, é chefe de produtos da linha de Fachadas e Construção Industrializada na Saint-Gobain Produtos para Construção.