Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Até o ano que vem! Edição 2017 da GBC Brasil Expo chega ao fim

Em sua oitava edição, evento contou com diversas palestras, lançamento de certificações, exposições e até mesmo com um escape room temático para os visitantes

Publicado em: 11/08/2017

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

A 8ª edição da Greenbuilding Brasil – Conferência Internacional e Expo chegou ao fim. Realizada entre os dias 8 e 10 de agosto no SP EXPO Exhibition & Convention Center, na zona sul da capital paulista, a feira, que esperava receber cerca de 14 mil visitantes, ocorreu simultaneamente à High Design – Home & Office Expo.

Dividindo espaço com a High Design, o evento tinha expectativa de receber cerca de 14 mil visitantes (foto: Salvi Cruz)

Durante os três dias de evento, quem visitou o complexo pôde acompanhar diversas seções educacionais e palestras ministradas por renomados profissionais, como Maíra Macedo, da GBC Brasil, Victoria Burrows, da WGBC, e pelo arquiteto Sérgio Athié. Além disso, cerca de 30 empresas expuseram produtos e soluções sustentáveis, como geração de energia solar, reúso de água sanitária etc.

Certificações

A feira foi escolhida pela GBC Brasil para o lançamento da Certificação Zero Energy Building, ou Edifícios de Energia Zero, que são aqueles que produzem mais energia do que consomem ao longo de um ano, tornando-se altamente eficientes do ponto de vista energético. Segundo país a implementar essa certificação, o Brasil já conta com 11 projetos pioneiros que buscam a GBC NET ZERO.

Além disso, foi lançado um novo selo de sustentabilidade para projetos residenciais, que já premiou, com nível ouro, dois projetos: a Casa Eudóxia, em Campinas (SP), e a Casa de Henrique Cury, em São Paulo (SP), sendo que ambos receberam suas placas de certificação no evento.

Palestras

Realizado no segundo dia de evento, o Café da Manhã para Mulheres “Women in Green Breakfast” celebrou o crescimento do número de mulheres envolvidas na construção verde. Com a presença de Gal Martins, Diana Meirelles da Motta, Maíra Macedo e Kimberly Lewis, o tema da conversa foi o empoderamento feminino na economia global e os desafios do movimento de transformação em sustentabilidade nos Estados Unidos.


A palestra Women in Green Breakfest mostrou o crescimento do número de mulheres no mercado de construção verde (foto: reprodução/Instagram.com/gbcbrasil)

O Expo Hall Stage foi palco de uma série de palestras pocket (duração de 15 a 20 min) sobre eficiência energética por meio da automação, energia solar nos dias de hoje, entre outros temas, além de workshops exclusivos para apresentações de produtos, materiais e novas tecnologias, incluindo as últimas novidades do mundo da construção verde. Ainda foi exibido um case sobre a certificação da residência de Henrique Cury – pioneiro na certificação referencial casa.

Soluções

Ao circular pela feira, os visitantes puderam conhecer os sistemas fotovoltaicos desenvolvidos pela Ebes – empresa com vasta experiência no mercado de energia solar, atendendo a projetos residenciais, comerciais e especiais, como o Museu do Amanhã. De acordo com Marcos Alves, diretor de marketing e de produtos da empresa, além de auxiliarem na obtenção da Certificação LEED, esses sistemas conseguem “se pagar”. “Os clientes buscam não só a sustentabilidade, mas também a rentabilidade. Por exemplo, em um projeto com custo de 15 a 30 mil reais; se a pessoa investir esse dinheiro em um fundo de investimento, o retorno deverá ficar abaixo de 1% ao mês. Com a nossa solução, ele ‘rende’ entre 1,5% e 2%. Você ‘investe’ seu dinheiro no telhado da sua casa, deixando de pagar o valor na conta de luz.”

Os clientes buscam não só a sustentabilidade, mas também a rentabilidade
Marcos Alves – diretor da Ebes

Ainda na linha de sustentabilidade e economia, a Enviromix, uma divisão do grupo ThermoMix, apresentou uma estação de reciclagem de água indicada para prédios comerciais. “Nosso processo é baseado em três pilares: espaço reduzido, baixa mão de obra, sendo que apenas uma pessoa consegue controlar todo o sistema, e a isenção de produtos químicos no tratamento, preservando o meio ambiente”, explica Leandro Sartori, sócio-diretor da empresa. A estação de tratamento hídrico, que recolhe a água proveniente das descargas, realiza a limpeza e deixa o líquido pronto para reutilização em vasos sanitários, reduzindo o consumo de água potável, gerando economia e preservando o meio ambiente. “O sistema é alugado e gera em torno de 30% a 40% de economia. Nós calculamos a quantidade de água tratada e cobramos referente apenas ao volume de água utilizado”, finaliza Sartori.

Além das exposições, a feira mostrou os critérios para obter as certificações e cases de projetos (foto: Pedro Miranda)

A UL Environment é uma multinacional de segurança que atua no Brasil há 16 anos, avaliando e certificando uma grande variedade de indústrias e produtos. Ela destacou em seu estande o aplicativo SPOT, que reúne produtos sustentáveis para auxiliar empreendimentos na obtenção de certificações sustentáveis, como o LEED. “Todos os produtos certificados por nós vêm para esse banco de dados, onde os produtos podem ser consultados gratuitamente. Caso seja necessário o download de alguma documentação, como a certificação do produto, é preciso apenas fazer o cadastro”, explica Cintia Cespedes, gerente de projetos da UL do Brasil. O aplicativo ainda não conta com muitos fabricantes brasileiros certificados, mas a UL espera mudar esse cenário após a presença na GBC Expo.

A casa conceito Green Escape tinha diferentes enigmas
para o público desvendar e conhecer mais sobre os
conceitos de sustentabilidade (foto: Pedro Miranda)

Green Escape

Com o tema “sustentabilidade”, a Greenbuilding Brasil – Conferência Internacional e Expo montou uma casa onde os participantes tinham até 15 minutos para resolver alguns enigmas relacionados à construção sustentável – ao estilo dos Escape Rooms, jogos em que os participantes precisam resolver charadas a partir de pistas escondidas no ambiente para sair de labirintos. De acordo com a organização do evento, o objetivo da atividade era mostrar que a sustentabilidade pode, simplificadamente, fazer parte do nosso dia a dia.