Coberturas tensionadas são soluções eficientes e econômicas

Indicadas para cobrir grandes vãos livres que precisam de proteção contra raios solares, elas têm estrutura do tipo tração, resistindo a ventanias

Publicado em: 01/11/2013Atualizado em: 23/10/2022

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Cobertura tensionada

Piscinas e outros espaços abertos que necessitam de proteção contra os raios solares podem encontrar na cobertura tensionada uma ótima aliada. “Essa cobertura possui todas as partes de sua estrutura do tipo tração”, explica o arquiteto Vinícius Arcaro, “o que oferece grande capacidade de resistência aos esforços externos”. Ou seja, nem o sol forte nem ventanias são capazes de prejudicar seu desempenho.

Assim, a gama de possibilidades que ela oferece é extensa e versátil, podendo tanto servir de sombreamento para grandes espaços ao ar livre quanto de abrigo temporário para eventos e armazenamento. “Mas a cobertura tensionada também é útil para construções permanentes, indo desde cobertura para piscinas até aeroportos e estádios de futebol”, revela o profissional.

A grande vantagem deste tipo de material é a sua estrutura, que é leve e ao mesmo tempo bonita, não atrapalhando o projeto em si – uma vez que possibilita designs diferenciados com variedade de formas. “Também é rápido de montar e desmontar em casos de coberturas provisórias”, explica o arquiteto Paulo Maier.

No entanto, há uma desvantagem: como é uma tecnologia pouco aplicada no Brasil se comparado à Europa, por exemplo, o número de profissionais especializados é ainda pequeno, o que acaba encarecendo seu custo, segundo esclarece a arquiteta Marcy Ricciardi.

Um pouco de história

CristovaoVinícius Arcaro conta que o Brasil teve sua primeira cobertura tensionada construída em 1958 pelo engenheiro Paulo Rodrigues Fragoso e o arquiteto Sergio Wladimir Bernardes, no Rio de Janeiro. O Pavilhão de São Cristóvão foi uma das maiores coberturas tensionadas da época, com um vão livre da ordem de 150 metros. Hoje em dia, é possível encontrar coberturas com 460 m², como a que fica em frente à sede social do clube A Hebraica, na cidade de São Paulo.

Onde aplicá-la

Essa cobertura possui todas as partes de sua estrutura do tipo tração

A cobertura tensionada pode ser aplicada praticamente em qualquer espaço aberto, pois é feita de cabos de aço presos a tubos flexionados, a uma combinação de dois tecidos sintéticos ou telhas metálicas, ou ainda fixada a cordoalhas de aço.

A instalação é como qualquer outra estrutura com fase adicional de estiramento dos cabos de aço em oposição aos mastros (únicos a resistirem a esse esforço da compressão), para que a estrutura trabalhe predominantemente à tração. O projeto exige apenas cálculos rigorosos de ancoragem e reforço estrutural, já que a grande área fechada se torna uma cobertura pesada e sem muitos pontos de sustentação.

Os cuidados envolvem tratamento antichamas (autoextinguível) e também contra mofo e fungos, dependendo da utilização. Pode ser útil, ainda, fazer tratamento para raios ultravioletas e infravermelhos, a fim de bloquear a luz solar. Mas há outras opções, como resistência à umidade e poluição.

Veja também:
Malha pop

Fique atento!

Esse tipo de cobertura não aceita erros de projeto e execução, porque não tem como alterar, de última hora, o resultado final. “Isso provoca uma subtensão em uma das partes da cobertura, ou seja, o erro produz o enrugamento da lona ou a deformações na estrutura de sustentação”, alerta Paulo Maier.

Outro fator complicador é que a tenso-estrutura não possui grande resistência aos sons em geral, especialmente os de baixa frequência, por conta de sua baixíssima massa. “Dessa forma, faz-se necessário dedicar atenção à manutenção, à limpeza da cobertura, a possíveis furos e rasgos, e à corrosão”, finaliza Marcy Ricciardi.

Normas reguladoras

A cobertura tensionada também é útil para construções permanentes, indo desde cobertura para piscinas até aeroportos e estádios de futebol

No Brasil, não existe nenhuma norma que regulamente a aplicação das coberturas tensionadas. Apenas nos Estados Unidos pode-se encontrar a norma International Building Code, cujo capítulo 31 é sobre a construção de estruturas de membranas tensionadas.

Outra norma é a International Fire Code, que disciplina a utilização das várias membranas em função do tipo de ocupação da edificação.

O European Design Guide for Tensile Surface Structures é um guia geral válido para os países da Europa, onde, para cálculo estrutural, existem as normas Minimum Design Loads for Buildings and Other Structures e Structural Applications of Steel Cables for Buildings.

Na Alemanha, a regulamentação em vigor é a DIN 4134, que também vale para os países da Comunidade Europeia. Um dado interessante é que existe um curso de mestrado sobre coberturas tensionadas oferecido nesse país. Majoritariamente à distância, com duas semanas de aula presencial por ano, durante dois anos, o curso oferece diploma reconhecido em toda a União Europeia.

Os tipos de cobertura em tecido

Suncoast Dome

The Florida Suncoast Dome é uma cobertura tensionada com fio redondo e treliças de plano radial, feita de fibra de vidro revestido de Teflon. Um anel de compressão de 210 metros de diâmetro é suportado por 24 pilares de concreto de 1,83 metros de diâmetro, sendo que a altura das colunas varia de 30,48 m a 53,22 m, resultando em uma inclinação para o anel de compressão de 6,258 graus. A tensão desse anel de aço é colocada no topo. Além disso, existem quatro aros paralelos feitos de fios de cabo (40, 45, 80 e 140 fios); “cada fio é composto por sete fios de aço de 5,08 mm de diâmetro”, explica Vinícius Arcaro.

Cobertura tensionadaA Folding Pergola, da Stobag, é uma cobertura para vão livres, mas de menor área: até 70 m². Uma de suas vantagens é que, por ser um produto retrátil e flexível, pode ser fechada ou aberta totalmente. Também possibilita o fechamento vertical preso a postes frontais, sob estrutura já existente, entrevão, entre paredes ou através de estaios/ tirantes. É fabricada com estrutura em alumínio e tecidos de membranas têxteis de alto desempenho feitos exclusivamente para a proteção solar externa.

Colaboraram para esta matéria

Vinícius Arcaro – Arquiteto e proprietário do site voltado para Coberturas Tensionadas: www.arcaro.org com propósito apenas educativo.
Paulo Maier – Arquiteto.
Marcy Ricciardi – Arquiteta de Interiores.