Como comprar piso vinílico?

Características do local de instalação e intensidade de uso são fatores a considerar na hora de escolher o revestimento

Publicado em: 31/10/2022Atualizado em: 14/12/2022

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

foto de uma pessoa segurando uma espátula e uma tabua com argamassa líquida em cima
(Foto: Shutterstock)

Alternativa aos laminados de madeira, o piso vinílico é uma solução de revestimento que está em alta no mercado. Aplicado em novas construções e, também, em reformas, o material é produzido à base de PVC, cargas minerais e aditivos. A depender da quantidade utilizada de cada componente, é possível obter produtos com diferentes propriedades.

O piso vinílico se destaca pelo conforto térmico, uma vez que não fica frio como os revestimentos cerâmicos e as pedras. Outras propriedades atreladas a esse material são: redução de ruídos de impacto, facilidade de limpeza, toque agradável e múltiplas opções de acabamento, inclusive com aparência bastante similar à madeira. “O mercado oferece opções de produtos bons e ruins, e é fundamental que o cliente saiba diferenciar”, alerta Alexandre Mitre, gerente nacional de vendas e especificação da Tarkett.

Qual o melhor piso vinílico?

Diversos fatores devem orientar o consumidor na escolha do piso vinílico. O primeiro deles é a resistência ao tráfego, que deve ser condizente com o local de aplicação.

Tráfego baixo: indicado para residências
Tráfego moderado: ideal para escritórios ou lojas
Tráfego intenso: deve ser aplicado em locais com grande circulação de pessoas

Ao contrário do que se pensa, a resistência ao tráfego não é definida pela espessura do piso vinílico, mas pela capa de uso. Trata-se de uma camada superficial de poliuretano que pode ir de 0,2 mm a 1 mm. “Quanto mais espessa for essa camada, maior será resistência do piso”, explica Ilan Tiktin, diretor-geral da ePiso. Isso significa que revestimentos com capa de uso entre 0,20 mm e 0,30 mm são indicados para projetos residenciais e corporativos de tráfego leve a moderado. Já os produtos com capa de 0,50 mm são ideais para espaços de grande circulação de pessoas e cargas, como shoppings e supermercados.

Qualidade

A norma técnica brasileira que aborda os revestimentos vinílicos é a ABNT NBR 14.917 - Revestimentos resilientes para pisos - Manta e placa vinílica flexível homogênea ou heterogênea em PVC. Há, também, o Programa Setorial da Qualidade (PSQ), que testa periodicamente os produtos para confirmar se eles seguem as normas indicadas na embalagem.

“É fundamental escolher uma marca que tenha certificações de qualidade, que ofereça garantia de fábrica e que tenha uma rede de instaladores treinados”, diz Tiktin.

Segundo Mitre, para evitar problemas como abertura entre as placas, empenamentos, riscos e aspecto envelhecido após pouco tempo de uso, o caminho mais seguro para o consumidor é escolher marcas tradicionais, que já estejam estabelecidas no mercado. “Além disso, é importante fugir de ciladas óbvias, como aqueles produtos com preço muito abaixo do praticado pelo mercado”, continua ele.

Instalação clicada ou colada?

Há dois modos de instalar piso vinílico. O colado consiste na colocação das placas sobre cola, direto no contrapiso. Já no método clicado, as réguas são encaixadas entre si, o que proporciona agilidade de instalação e a facilidade de desmontagem.

“O piso vinílico clicado é um produto mais espesso e, por ser mais rígido, demanda menos cuidado com a preparação do contrapiso. Há casos em que é possível, inclusive, instalar o piso vinílico diretamente sobre o revestimento existente”, diz Alexandre Mitre. O piso colado, em contrapartida, é menos espesso e demanda um tratamento de contrapiso com o uso de massas de regularização e/ou autonivelante. Por isso mesmo, sua instalação é mais demorada.

Outra diferença diz respeito à manutenção. “O piso vinílico colado pode até ser lavado. Já no clicado recomendamos apenas a aplicação de pano úmido, uma vez que a água pode entrar pelas juntas e acumular no contrapiso”, afirma Mitre.

Como calcular a quantidade de piso?

O primeiro passo para determinar a quantidade certa de revestimento vinílico a comprar é medir o local de instalação em metros quadrados. “Os revestimentos vinílicos são comercializados em caixas, então é preciso verificar o quanto cada caixa é capaz de cobrir. Também é recomendado adquirir uma quantidade extra de 5% a 10% dependendo do sentido das réguas”, explica Tiktin. Ele lembra que a paginação em espinha de peixe, por exemplo, utiliza uma quantidade maior de material em comparação à colocação horizontal ou vertical.

Leia também: Aplicar piso vinílico sobre cerâmica é prática possível, mas pede cuidados

Colaboração técnica

Alexandre Mitre – Gerente Nacional de Vendas e Especificação na Tarkett, soma 18 anos de experiência no mercado, com passagens por grandes empresas nacionais e multinacionais.
Ilan Tiktin – Diretor-geral da ePiso, empresa especializada no segmento de revestimentos vinílicos. Tem mais de 30 anos de experiência no setor.