Como escolher e comprar a politriz ideal? Entenda!

Ferramenta elétrica, também conhecida como polidora, é utilizada para dar acabamento em superfícies de concreto, granitos e revestimentos cerâmicos

Publicado em: 15/05/2018

Texto: Juliana Nakamura

como-escolher-politriz
O local de aplicação deve ser levado em consideração durante a escolha de porte da politriz (foto: iMoved Studio / shutterstock)

A politriz é uma ferramenta elétrica que realiza movimentos rápidos e circulares e que tem como principal função selar a superfície, deixando-a mais lisa e brilhante, ou seja, com um acabamento mais refinado. Essa máquina, também chamada de polidora ou polideira, costuma ser utilizada em pisos (de rochas naturais, cimento queimado, cerâmicos ou de concreto), bem como em bancadas de granito e em marcenaria.

Veja especificações técnicas de politrizes à venda

A politriz pode ser usada, também, para limpeza mecânica; remoção de cera, cola, material epóxi e tinta; abertura de perfil do piso para garantir a ancoragem de uma nova pintura e, ainda, para texturização leve, tornando o material mais antiderrapante.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Embora seja um equipamento muito versátil, que pode ser usado sobre as superfícies mais diversas, a polidora demanda uma escolha cuidadosa, para não correr o risco de investir em uma máquina que não atenda às necessidades. Durante a especificação, os principais pontos a serem considerados são a energia elétrica disponível no local, a produtividade desejada (em m²/h), o tipo de ambiente onde o serviço será realizado (interno ou externo) e, finalmente, o trabalho a ser executado.

Os equipamentos disponíveis podem distinguir-se com relação ao sistema de rotação (fixo ou variável), ao método de fixação de ferramentas (fixo ou troca rápida) e aos recursos para polimento. As máquinas mais simples contam com disco simples único ou duplo. Já as mais avançadas costumam ter cabeçote planetário com três ou quatro discos, o que aumenta a produtividade em áreas maiores. Algumas máquinas possuem sistema de comando direto na politriz, enquanto outros são acionados por controle remoto sem fio.

Outro ponto de diferenciação é o porte da polidora, que deve ser adequado ao local de aplicação. “As politrizes compactas são ideais para pequenas e médias áreas residenciais e comerciais. Já as de grande porte são indicadas para áreas extensas, como espaços comerciais e industriais”, indica Ricardo Silva, responsável pela venda técnica de equipamentos para preparação de superfícies da Husqvarna.

As politrizes compactas são ideais para pequenas e médias áreas residenciais e comerciais. Já as de grande porte são indicadas para as áreas de grande extensão, como espaços comerciais e industriais
Ricardo Silva

Regulagem e trava de velocidade de rotação da ferramenta, assim como a empunhadura são outros aspectos a serem considerados no momento da comparação de politrizes.

APRIMORAMENTOS TECNOLÓGICOS

“Nos últimos anos, a diversidade de modelos, tamanhos e potências, além da maior opção de ferramentas, como insertos diamantados, insertos de metal duro, lixas, pads abrasivos e pedras abrasivas, ampliaram sensivelmente o leque de aplicação das politrizes de piso”, comenta Stefan Lindenhayn, sócio-gerente da Betomaq Industrial.

Silva, da Husqvarna, cita, entre os desenvolvimentos recentes mais impactantes, o sistema de controle e rotações, que otimiza o processo de desbaste de acordo com as condições do piso. “Também destaca-se a politriz autopropulsionada com controle remoto, que funciona com um sistema de controle da oscilação através de um software”, informa. Ele conta que essa inovação permite obter pisos ainda mais planos e dá ao operador mais acesso às informações sobre a performance do trabalho e do equipamento.

MANUTENÇÃO E VIDA ÚTIL

Nos últimos anos, a diversidade de modelos, tamanhos e potências, além da maior opção de ferramentas, ampliaram sensivelmente o leque de aplicação das politrizes de piso
Stefan Lindenhayn

As politrizes para pisos costumam ser equipamentos robustos, com manutenção simples. De modo geral, basta a lubrificação de mancais e a verificação de correias e filtros de ar do aspirador.

Para não comprometer a vida útil da máquina, é importante dar atenção ao dimensionamento dos cabos de extensão, de acordo com a potência do modelo e a distância do ponto de fornecimento de energia. Também vale ficar atento à especificação da rede onde a polideira será ligada (voltagem, disjuntor e aterramento).

“Antes de iniciar a operação, deve ser feita uma inspeção no equipamento. Caso algum dano seja encontrado, o reparo precisa ser feito por um profissional treinado, com peças originais e com o equipamento desconectado da rede elétrica”, salienta Silva.

Por ser usada em ambientes expostos à poeira e lama, recomenda-se a limpeza diária da politriz no final do dia de trabalho. Tal cuidado é necessário para prevenir desgastes e danos aos sistemas girantes, em especial o sistema planetário. Além disso, para a segurança das atividades, é fundamental que os operadores utilizem sempre os equipamentos de proteção individual (EPIs) exigidos para esses serviços, como luvas, óculos e vestimentas adequadas.

Leia também: Acabamento de pisos depende da escolha correta de politrizes e acessórios

Colaboração técnica

stefan-lindenhayn
Stefan Lindenhayn – Sócio-gerente da Betomaq Industrial. Foi diretor da Associação dos Locadores de Equipamentos para a Construção Civil (Alec)
ricardo-silva
Ricardo Silva – Responsável pela venda técnica de equipamentos para preparação de superfícies na Husqvarna