Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Como escolher o sifão para pia de banheiro?

É preciso considerar o alinhamento da cuba com o ponto de esgoto na parede, os materiais e o número de cubas a serem atendidas. Entenda!

Publicado em: 23/05/2023Atualizado em: 30/10/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Sifão instalado na pia do banheiro

Sifão para pia de banheiro é peça-chave da boa instalação hidráulica. A escolha deve considerar fatores como o alinhamento da cuba com o ponto de esgoto na parede, os materiais usados na fabricação e o número de cubas a serem atendidas. Os preços variam desde o comum e o flexível ao oculto – este último é mais sofisticado, portanto, mais caro.

Como comprar corretamente materiais da construção civil

1. Entenda o funcionamento do sifão

Sifão é o dispositivo instalado nas pias de banheiros que represa a água, evitando o retorno de gases e consequente mau cheiro das tubulações do sistema de esgoto sanitário. Além da água, o copo que constitui o sifão armazena resíduos maiores e mais pesados. “Esse copo serve como dispositivo de segurança, pois, quando entupido, pode ser desmontado para a limpeza do sistema”, explica José Wellington Mota, chefa de Instalações Hidrossanitárias, Elétrica e Gases da Set Arquitetura e Construções. O sifão é empregado, também, nos vasos sanitários, ralos, pias de cozinha e tanques.

2. Escolha o modelo adequado

Há três modelos de sifão, um para cada tipo de instalação. São eles: sifão comum, flexível e oculto. Para não errar, é preciso conhecer a configuração das pias a serem atendidas.

2.1 Sifão comum

É um sifão padrão e o mais utilizado. Tem apenas um ponto de entrada e um ponto de saída. Existem medidas diferentes para lavatórios, pias de cozinha e/ou tanques. Portanto, é importante ficar atento para comprar o adequado a cada dispositivo. “É utilizado quando o ponto da pia (eixo da válvula) está exatamente alinhado com o eixo do ponto do esgoto”, explica, observando que é preciso avaliar bem a altura do fundo da cuba até a do ponto de esgoto. Isto porque as marcas fornecem o pescoço do sifão muito curto e vendem, separadamente, o pescoço longo como peça extra. O sifão comum é produzido em metal, PVC ou plástico.

Quando o banheiro tem cuba dupla e apenas um ponto de esgoto, deve ser utilizado o sifão duplo. O produto em metal tem a vantagem de ter o copo e o perfeito sifonamento, com a possibilidade de limpeza. “Mas exige precisão na sua instalação, com pontos de esgoto na altura exata, para evitar vazamento”, alerta. Já os fabricados em plástico ou PVC corrugado são mais simples de instalar, pois a peça é bem flexível. Apresentam menos vazamento, porém alguns modelos não contemplam o copo para limpeza.

2.2 Sifão flexível

São encontrados no mercado com ou sem copo. Em sua grande maioria, o sifão flexível é corrugado e sem copo. Por conta dessa flexibilidade, o formato de “S” pode se movimentar, fazendo com que o cheiro de esgoto retorne. Para evitar o problema, a indústria desenvolveu uma peça simples, um gancho duplo inserido externamente que mantêm a estabilidade do formato do sifonamento. “É uma peça bem versátil facilmente adaptável para casos em que os pontos entre válvula da pia e eixo do esgoto estão desalinhados”, comenta.

2.3 Sifão oculto

Foi desenvolvido pela indústria para que o sifão fique escondido, valorizando a bancada e a pia. É utilizado para projetos mais sofisticados e, também, quando não existe armário ou outro aparato que esconda o sifão.

3. Considere o material do sifão

Em PVC, plástico ou metal, cada sifão tem características técnicas próprias, vantagens e desvantagens. Conheça:

3.1 Sifão de PVC e de plástico

Tanto as peças em PVC como em plástico são mais simples, de acabamento mais popular e com custo inferior. São mais flexíveis, admitindo variações no eixo entre os pontos da cuba e do encanamento. “Dependendo do modelo, o sifonamento não é muito funcional”, cometa Mota.

3.2 Sifão de metal

É mais sofisticado, tem melhor acabamento e aparência. A manutenção e a limpeza do sifão de metal são mais fáceis se comparadas aos outros materiais. Porém, têm custo mais elevado. “E os pontos devem ser executados corretamente alinhados, pois a peça não aceita deformação”, ensina.

Colaboração técnica

José Wellington Mota – É formado em cursos do Senai em Bombeiro Hidráulico, Elétrica Industrial e Residencial. Ocupa a chefia de Instalações Hidrossanitários, de Elétrica e Gases da Set Arquitetura e Construções.