Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Como especificar, comprar e instalar o coletor solar

Saiba os critérios para ter o coletor solar, uma solução que usa energia gratuita e renovável, contribui com o meio ambiente, gera conforto no banho e economia

Publicado em: 03/10/2012Atualizado em: 12/07/2019

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Redação AECweb / e-Construmarket

Aquecimento Solar

“No Brasil e no mundo, predomina o uso do sistema de coletor solar fechado, em função da relação custo-benefício e das condições climáticas favoráveis”, diz Amaurício Gomes Lúcio, presidente do Departamento Nacional de Aquecimento Solar (Dasol) da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), acrescentando que as aplicações vão desde a moradia de interesse social até soluções mais complexas em grandes empreendimentos residenciais, comerciais, industriais e institucionais. Para o aquecimento de piscinas são utilizados os painéis abertos.

Há, ainda, uma terceira opção, pouca aplicada no Brasil, que são os coletores de tubos evacuados. “É uma tecnologia mais difundida na China e como não existem fabricantes aqui, essa alternativa depende da importação”, explica. Ele alerta que a tecnologia, dimensionamento, instalação e aplicação, ainda que simples, requerem uma melhor validação, principalmente em relação à certificação do produto perante o Inmetro - Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

COLETOR SOLAR

O clima tropical do Brasil é ideal para a utilização do coletor solar que, por utilizar energia gratuita e renovável contribui com o meio ambiente, gera conforto no banho e economia na conta de energia elétrica. O coletor solar plano é aplicado no país há mais de 30 anos.

Na época de sua entrada no Brasil, o sistema de aquecimento solar era bem mais caro. Com o crescimento do mercado, o investimento inicial chega a ser inferior a outros tipos, como o aquecimento central elétrico, de passagem a gás ou mesmo de acumulação a gás. O payback de um sistema simples de aquecimento solar depende de quantas pessoas irão utilizá-lo, da localização da moradia, do percentual do antigo sistema de aquecimento sobre a conta de energia, entre outras variáveis. “Pode-se prever um retorno do investimento a partir de dois anos”, diz o presidente.

COMO COMPRAR

O planejamento e dimensionamento do sistema são fundamentais para seu melhor aproveitamento. Para a instalação, é necessário destinar uma área proporcional e adequada à demanda prevista de água quente. Além disso, a face solar da área definirá o índice de insolação e, consequentemente, a eficiência energética do equipamento. Há necessidade de encanamentos resistentes ao calor para transporte da água quente. Para um sistema padrão em uma unidade unifamiliar, o reservatório deve ter capacidade para 200 litros.

O custo aproximado de um sistema com essas características, diz Amaurício, é de R$1,8 mil, partindo do princípio que a unidade esteja em fase de construção. Para a adaptação em uma unidade já construída, os valores variam conforme o porte da reforma do sistema hidráulico.

Para comprar o produto, o ideal é tratar com um representante ou fabricante de renome do mercado, que, se necessário, visitará o local para o correto dimensionamento do equipamento. Essa empresa deverá estar apta a instalar. “No website do Dasol, existe uma lista das melhores empresas do setor, atuando em escala nacional. É importante adquirir produtos com procedência conhecida e certificados pelo Inmetro”, complementa.

COMO INSTALAR

As indústrias orientam como instalar o coletor solar e, dependendo da complexidade, dão a orientação por meio de um projeto. Tanto a instalação, quanto a manutenção, são feitas por revendas autorizadas, instaladoras habilitadas e profissionais do setor. Os coletores e os reservatórios são planejados para uma vida útil de 25 anos. A limpeza e manutenção anual dos painéis e do reservatório, bem como a qualidade da água podem interferir na durabilidade do equipamento.

SISTEMAS - VANTAGENS E DESVANTAGENS

Para definir qual sistema será mais vantajoso, é preciso considerar custo do produto, investimento inicial, conforto proporcionado, facilidade de instalação, consumo de energia, manutenção e durabilidade. Para auxiliar nesta missão, Amaurício Gomes Lúcio faz uma avaliação de cada sistema.

Coletor Solar
No caso dos aquecedores solares, o custo de aquisição e instalação é alto, com investimento inicial mais significativo, porém, praticamente sem despesas mensais para geração de energia e baixo custo de manutenção. Além disso, o investimento valoriza o imóvel. Requer aquecimento auxiliar para dias sem insolação e necessita de dutos especiais para água quente. Sua instalação deve ser feita por profissionais especializados. Tem vazão da água confortável e reduz em 30% a conta de energia, além de contribuir com a matriz energética e com o planeta.

Chuveiros Elétricos
Alguns modelos representam menor investimento inicial, porém, têm impacto maior na despesa mensal com energia elétrica. São vários os modelos e potências elétricas; têm aquecimento no ponto de uso e fácil instalação.


A vazão da água oferece baixo conforto na maioria dos modelos e o consumo de energia elétrica representa em torno de 30% da conta de energia.

Aquecedor de Passagem Elétrico
Seu custo de aquisição e instalação é mais alto, com investimento inicial mais expressivo. Tem despesa mensal com energia elétrica, vários modelos e potências elétricas e o aquecimento fica centralizado em algum ambiente do imóvel. Requer dutos especiais para água quente e instalação por profissionais especializados. O consumo de energia elétrica equivale a 30% da conta de energia.

Aquecedores de Passagem a gás
Seu custo de aquisição e instalação também é alto. Com vários modelos e capacidades, tem investimento inicial médio, acrescido da despesa mensal com gás. O aquecimento é centralizado e deve ser instalado em ambiente ventilado no imóvel. Requer dutos especiais para água quente e instalação por profissionais especializados. Vazão da água com conforto, mas exige significativo consumo de gás.

Aquecedor de Acumulação Elétrico
Seu custo de aquisição e instalação é alto, com investimento inicial elevado. Apresenta a vantagem de ter um reservatório para água quente e é encontrado em vários modelos e potências elétricas. O aquecimento centralizado em algum ambiente do imóvel requer dutos especiais para água quente e instalação por profissionais especializados. Possui termostato para regulagem de horário de funcionamento e manutenção da temperatura. O consumo de energia elétrica representa em torno de 30% da conta mensal de energia.

Aquecedores de Acumulação a gás
O custo de aquisição e instalação é alto, exigindo investimento elevado. Tem vários modelos e capacidades. O aquecimento é centralizado em algum ambiente do imóvel. Requer dutos para água quente e instalação por profissionais especializados. Possui termostato para regulagem de horário de funcionamento e manutenção da temperatura. Vazão da água com conforto, mas exige significativo consumo de gás.

É bom saber

Há 12 anos, o setor de aquecimento solar participa do PBE - Programa Brasileiro de Etiquetagem, do Inmetro, seguindo os critérios da Etiquetagem Voluntária. Essa certificação define a qualidade e a performance do equipamento, segundo uma qualificação pré-estabelecida pelo Inmetro e Procel, Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica. A partir de 2014, ao vigorar a nova legislação, a etiquetagem será compulsória. “Isso dará mais confiança ao comprador em sua escolha e segurança ao fabricante nacional para investir em tecnologia e qualidade, sem a concorrência desleal de equipamentos de baixa qualidade”, afirma Amaurício Gomes Lúcio. O processo de transição começou em junho deste ano. As principais mudanças definem que a fabricação, importação e comercialização dos SAS - Sistemas de Aquecimento Solar no mercado nacional deverão ter registro no Inmetro. Em dois anos os equipamentos estarão sujeitos à certificação compulsória realizada por um Organismo de Certificação de Produto (OCP) acreditado pelo Inmetro. Cada unidade de produto fabricada deverá trazer afixada a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE).


Redação AECweb / e-Construmarket