Como projetar e construir piscinas de vidro: veja vantagens e cuidados

Cada vez mais comum em empreendimentos de luxo, este tipo de estrutura alia transparência e estética diferenciada. Porém, deve empregar vidros especiais e contar com projeto executivo detalhado. Saiba mais

Publicado em: 07/10/2019

Texto: Juliana Nakamura

piscina-de-concreto-armado
Os vidros utilizados na construção de piscinas são multilaminados, dimensionados para resistir e suportar as pressões hidrostáticas (foto: divulgacao/ LSH)

Ícones de sofisticação, as piscinas de vidro podem ser construídas com uma ampla diversidade de formatos e dimensões. O que garante a essa solução arquitetônica um efeito estético único e impactante são as paredes laterais ou de fundo em vidro transparente inteiras ou parcialmente.

Construídas com tecnologia semelhante às piscinas convencionais, com concreto e alvenaria, impermeabilização e sistema de drenagem, as piscinas com vidro envolvem uma engenharia sofisticada para garantir estanqueidade e segurança aos usuários.

A contratação de uma empresa especializada e com competência para dimensionar a estrutura e a espessura dos vidros é imprescindível
Sandra Marçal

“A contratação de uma empresa especializada e com competência para dimensionar a estrutura e a espessura dos vidros é imprescindível”, comenta a arquiteta Sandra Marçal. Outro cuidado importante é procurar fornecedores que emitam ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), que atendam às normas técnicas da ABNT e ofereçam alguns anos de garantia.

Aquecedores para piscinas – produtos
Equipamentos e instalações para piscinas

VIDROS ESPECIAIS

Os vidros utilizados na construção de piscinas são multilaminados, dimensionados para resistir e suportar as pressões hidrostáticas. Diferentemente do que ocorre em aquários, os vidros para piscinas são especiais e exigem um fator de segurança muito alto. De modo geral, são usados vidros laminados múltiplos, semelhantes aos blindados para altos calibres de rifles e submetralhadoras. “Estes vidros chegam a pesar em torno de 150 quilos por metro quadrado”, afirma o engenheiro Maurício Margaritelli, diretor executivo do TG Group. Para se ter uma ideia, em piscinas mais profundas com largura de vidro superior a 5 m, a espessura do material pode chegar a 80 cm.

É possível utilizar vidros incolores (com aspecto levemente esverdeado) ou extraclaros, que são mais transparentes. Também podem ser especificados acabamentos superficiais que tornam o vidro mais brilhante e resistente à sujeira.

O projeto que antecede a construção de piscinas de vidro deve compatibilizar a geometria desejada e as características do terreno. Um ponto a favor das piscinas de vidro é a flexibilidade quanto ao design. A estrutura pode, por exemplo, ser inteira de vidro acima do solo. Outra tipologia comum é em alvenaria enterrada, apenas com as laterais em vidro acima do solo. Há, ainda, casos de piscinas parcialmente enterradas, com alguns recortes de vidro, e aquelas mais espetaculares, instaladas em um andar superior, com o fundo em vidro.

O projeto que antecede a construção de piscinas de vidro deve compatibilizar a geometria desejada e as características do terreno (foto: divulgação/ LSH)

PRINCIPAIS ETAPAS CONSTRUTIVAS

As etapas iniciais da execução de piscinas com vidro são muito semelhantes às realizadas em piscinas convencionais. Primeiro, escava-se o terreno e, em seguida, parte-se para o preparo do solo, para a concretagem do piso e para a construção das paredes do reservatório.

Em função do projeto, deixa-se um vão onde será encaixado o vidro que chega à obra, com bordas lapidadas.
Somente após a cura da caixa de concreto e da fixação da estrutura de encaixe é que o vidro é finalmente inserido. Para isso, há diferentes tecnologias disponíveis no mercado. A mais usual utiliza quadros de aço inox colados e vedados.

Por se tratar de um material pesado e delicado, o vidro deve ser manipulado com equipamentos especiais como ventosas ligadas a uma bomba de vácuo de alta capacidade
Maurício Margaritelli

“Por se tratar de um material pesado e delicado, o vidro deve ser manipulado com equipamentos especiais como ventosas ligadas a uma bomba de vácuo de alta capacidade”, explica Margaritelli.
A impermeabilização com sistemas flexíveis pode ser realizada antes ou depois do encaixe do vidro, a depender do projeto. É fundamental, contudo, que após a finalização da piscina, seja realizado um teste de estanqueidade para checar a existência de eventuais vazamentos.

EXEMPLOS DE APLICAÇÕES

No Brasil, é possível encontrar piscinas de vidro principalmente em hotéis e condomínios de luxo. No Hotel LSH Barra, no Rio de Janeiro, o vidro foi utilizado na piscina com borda infinita com dois objetivos: favorecer a integração com a vista para a praia e criar recortes de vidro que iluminam o andar inferior. Já no edifício MaxHaus Berrini, em São Paulo, toda a lateral da piscina foi construída com vidro estruturado em quadros e pilares de aço.

CONFIRA TAMBÉM
Projeto de piscinas demanda planejamento e análise do local de instalação 

E mais: acesse o site da Galeria da Arquitetura e confira outros projetos de piscinas

Colaboração técnica

Maurício Margaritelli – Engenheiro civil é diretor da T2G Engenharia.
Sandra Marçal – Arquiteta e urbanista, é sócia do escritório Spazio Arquitetura.