Concreto compactado com rolo é solução sustentável em pavimentos

A consistência seca diferencia o concreto rolado do convencional. Entre os benefícios, ele aumenta a vida útil dos pavimentos quando usado como sub-base

Publicado em: 03/06/2021

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Concreto compactado com rolo (CCR)
O concreto compactado com rolo é amplamente utilizado em obras de pavimentação (Foto: Terelyuk/Shutterstock)

O concreto compactado com rolo (CCR), também conhecido por concreto rolado, é solução amplamente utilizada em obras de pavimentação e na construção de barragens. Pode ser utilizado como camada de sub-base de pavimentos flexíveis ou pavimentos rígidos e, ainda, revestindo pavimentos rígidos.

No CCR, é necessária a aplicação de energia de compactação através de rolos compressores, para executar o adensamento do concreto
Cláudio Oliveira Silva

O engenheiro Cláudio Oliveira Silva, gerente da Área de Inovação e Sustentabilidade da ABCP – Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), explica que a principal diferença entre o concreto compactado com rolo e o concreto plástico (convencional) é a sua consistência. “No CCR, é necessária a aplicação de energia de compactação através de rolos compressores, para executar o adensamento do concreto”, diz.

Composição

A consistência seca é característica do concreto rolado. “Assim, se medirmos seu abatimento por meio do ensaio de tronco de cone, o resultado será zero ou próximo de zero”, destaca. Nesse tipo de concreto, o adensamento depende da aplicação de energia e, portanto, a correlação existente do concreto plástico entre a resistência mecânica e a relação água/cimento do concreto, conhecida como Lei de Abrams, não é considerada.

“Desse modo, a dosagem do CCR é elaborada buscando-se obter a maior compactação possível”, afirma, lembrando que a compactação depende diretamente do teor de umidade, ou seja, quantidade de água na mistura em relação ao total de materiais secos. O teor de umidade do CCR que proporciona a maior densidade possível é chamado de teor de umidade ótima.

Vantagens do CCR

A maior vantagem do CCR em relação às alternativas de pavimentação é a facilidade de execução. Por conta de sua consistência seca, o concreto compactado com rolo pode ser espalhado manualmente ou mecanicamente, o que pode ser feito com o uso de motoniveladora, pá carregadeira ou vibroacabadoras, equipamento que garante maior uniformidade da camada. Após o espalhamento, são usados os rolos compressores que irão garantir o adensamento do concreto.

Benefício importante do CCR é o menor consumo de cimento, se comparado ao concreto plástico ou ao concreto massa para o mesmo nível de resistência. “Isso se deve à maior densidade do concreto proporcionada pela compactação do rolo compressão”, comenta Silva.

Cura e resistência

A cura do concreto rolado deve ser executada normalmente, do mesmo modo que no concreto convencional. Por se tratar de aplicações com grande área de superfície expostas às intempéries, é preciso monitorar a taxa de evaporação de água no momento da execução.

A cura propriamente dita, entendida como o processo para evitar a perda de água de amassamento para o ambiente ou substrato em contato com o concreto, pode ser feita com aspersão de água, sacos de estopa ou aniagem umedecidos e cura química. “Caso o CCR seja utilizado como sub-base de pavimento, é comum a especificação de uma pintura com emulsão betuminosa”, recomenda.

O concreto CCR usado em sub-base ou em barragens normalmente apresenta resistência à compressão aos 28 dias entre 5 MPa e 10 MPa. Já em concretos compactados com rolo usados como camada final de pavimento, é possível atingir resistência em torno de 50 MPa aos 28 dias de cura.

Solução sustentável

Comparado com outras soluções, o CCR é uma opção muito sustentável
Cláudio Oliveira Silva

“Comparado com outras soluções, o CCR é uma opção muito sustentável”, declara o engenheiro. No caso do pavimento, como sub-base, o CCR aumenta a vida útil dos pavimentos e, se for usado como camada de rolamento, é mais viável que o asfalto. Sua coloração clara proporciona menor temperatura superficial, diminuindo o efeito de ilhas de calor comum nos centros urbanos que utilizam os pavimentos de asfalto.

“A grande área exposta de concreto simples (sem armadura) proporciona uma excelente estrutura para captura de CO2, através da carbonatação do concreto. Essa condição, aliada ao baixo consumo de cimento do CCR, ajuda a minimizar os impactos ambientais”, completa.

De acordo com Cláudio Oliveira Silva, o concreto compactado com rolo é amplamente utilizado no Brasil. Há, ainda, um grande mercado para uso do CCR como camada final de pavimentação, principalmente para substituir o asfalto como camada de revestimento. “Esse tipo de utilização tem conquistado espaço no Estados Unidos e cada vez mais se mostra viável também no Brasil”, conclui.

Norma técnicas

• ABNT NBR 16312-1:2014 - Concreto compactado com rolo. Parte 1: Terminologia
• ABNT NBR 16312-2:2015 - Concreto compactado com rolo. Parte 2: Preparação em laboratório
• ABNT NBR 16312-3:2015 - Concreto compactado com rolo. Parte 3: Ensaios de laboratório em concreto fresco
• ABNT NBR NM 4:2000 - Concreto compactado com rolo - Determinação da densidade in situ com o uso de densímetro nuclear
• ABNT NBR NM 5:2000 - Concreto compactado com rolo - Determinação da umidade "in situ" com o uso de densímetro nuclear
• Norma DNIT 059/2004 – ES. Pavimento rígido. Pavimento de concreto de cimento Portland compactado com rolo. Especificação de Serviço

Leia também:

Vazios da concretagem põem em risco desempenho de estruturas de concreto armado
Compra de concreto exige conhecimento de normas técnicas e concreteiras

Colaboração técnica

Cláudio Oliveira Silva
Cláudio Oliveira Silva – Gerente da Área de Inovação e Sustentabilidade da ABCP – Associação Brasileira de Cimento Portland. Responsável pelo desenvolvimento de produtos e ferramentas, focando o aumento de competitividade econômica/ambiental dos produtos à base de cimento, com 21 anos de experiências em sistemas construtivos à base de cimento. Atuante na ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, participando na elaboração e revisão de normas de pavimentos intertravado, pavimentos permeáveis, alvenaria estrutural, tubos de concreto, telhas de concreto, agregados reciclados, pré-fabricados entre outros. Autor e coautor de trabalhos, livros, manuais técnicos, entrevista e palestras ligadas ao tema dos sistemas construtivos à base de cimento. Professor da Universidade São Judas Tadeu/SP nas disciplinas de Materiais de Construção Civil, Tecnologia do Concreto, Tecnologia de Construção Civil, Patologias das Construções, Desempenho de Edificações e Projeto de Rodovias e Aeroportos.