Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Conheça as diferenças entre tratores de esteira ou de pneus

A topografia do local e o tipo de solo são determinantes para a escolha da unidade básica de tração. É importante também considerar a velocidade de cada um, que vai impactar a produtividade

Publicado em: 29/09/2021Atualizado em: 16/11/2022

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Trator de pneus
O trator de pneus é ideal para terrenos com topografia favorável (Foto: asharkyu/Shutterstock)

Também denominados unidades básicas de tração, os tratores são utilizados em todas as fases dos serviços de terraplanagem, como escavações e execução de aterros, uma vez que podem ser modificados para cada uma das operações. Assim, eles podem puxar (tração) ou empurrar outras máquinas e implementos acoplados.

O equipamento conhecido como ‘trator convencional’ pode ser montado com sistema de tração sobre pneus ou esteiras
Ruiter da Silva Souza

“O equipamento conhecido como ‘trator convencional’ pode ser montado com sistema de tração sobre pneus ou esteiras”, esclarece o engenheiro Ruiter da Silva Souza, analista em Infraestrutura de Transportes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes/DNIT e professor de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.

Veja também: Trator de esteira Komatsu D61ex preço

Tratores de esteiras são indicados para terrenos com rampas de maiores declividades, com topografias acidentadas ou terrenos com baixa capacidade de suporte. Já o trator de pneus é ideal para terrenos com topografia favorável, onde as declividades não são grandes e as condições de suporte e aderência ao terreno são aceitáveis.

Veja também: Preço trator de esteira Komatsu D51 novo

Diferenças técnicas

O trator de esteiras geralmente tem elevado esforço trator, aliado com boa aderência sobre o terreno, o que permite tracionar ou empurrar elevadas cargas sem patinamento, ainda que o terreno apresente rampas com alta declividade. Outra vantagem do veículo de esteiras é que, devido às baixas pressões de contato entre a esteira e o terreno, pode andar sobre solos com baixa capacidade de suporte, permitindo trabalhos onde o trator de pneus atolaria.

“Já o trator de pneus apresenta baixa aderência ao terreno quando comparado com o trator de esteiras, o que provoca patinamento, principalmente em terrenos argilosos mais úmidos e terrenos arenosos mais secos”, diz. Em função dessa tendência de patinamento, a carga tracionada ou empurrada fica limitada à aderência ao terreno. Outra característica negativa do trator de pneus é transferir ao terreno uma pressão de contato maior, o que provoca afundamentos em terrenos de baixa capacidade, podendo fazer com que o veículo atole mais facilmente.

Desempenho e manutenção

No entanto, o desempenho é a maior vantagem do trator de pneus em relação ao de esteiras. Enquanto o trator de esteiras atinge velocidades de, no máximo 10 km/h, o equipamento de pneus pode atingir até 70 km/h. “Quando a velocidade de deslocamento aumenta, o tempo de ciclo de terraplanagem é reduzido, melhorando a produtividade. Portanto, entre outros parâmetros, a velocidade é fator importante na hora de escolher qual equipamento deverá ser usado”, ressalta Silva.

Além disso, os fabricantes dos tratores de pneus têm buscado novas tecnologias para tentar reduzir a limitação de aderência e flutuação no terreno, como tração nas quatro rodas e pneumáticos revestidos com correntes metálicas, entre outras.

Por outro lado, em geral, a durabilidade do equipamento de esteiras é superior ao de pneus, em cerca de 50% a mais. “O desgaste em relação à vida útil do equipamento é menor que no trator de pneus”, afirma. Mas o custo com manutenção do trator de esteiras é maior, em função da natureza das peças e quantidade envolvida. “Para se ter uma ideia, o SICRO, sistemas de custos do DNIT, apresenta uma diferença de 30% no fator k de manutenção. Esse valor é definido pelo fabricante do equipamento com base na série histórica dos custos com manutenção”, relata.

Operação dos tratores

O trator de pneus tem volante, câmbio e pedais muito próximos ao que observamos em veículos de passeio, portanto, com condução parecida
Ruiter da Silva Souza

As funções desempenhadas pelo câmbio, motor, embreagem, entre outras, são análogas entre os dois tipos de veículos. Os tratores de esteiras são conduzidos, em sua maioria, por comandos manuais em forma de "alavancas" – alavanca de transmissão, alavanca de direção, acelerador manual, controle de posições de lâmina, entre outras – e, geralmente, freios e aceleradores em forma de pedais.

“O trator de pneus tem volante, câmbio e pedais muito próximos ao que observamos em veículos de passeio, portanto, com condução parecida”, fala o professor. O equipamento apresenta, também, um sistema que não existe no de esteira, chamado diferencial, que permite velocidades diferentes entre rodas, internas e externas. “Isso ocorre em função das velocidades altas desenvolvidas”, conclui.

Leia também:

Contaminação hidráulica reduz desempenho de tratores de esteiras

Colaboração técnica

Ruiter da Silva Souza
Ruiter da Silva Souza – Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Goiás (2007) e mestrado em Geotecnia e Construção Civil pela Universidade Federal de Goiás (2010). Atualmente é Analista em Infraestrutura de Transportes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes/DNIT e professor do Curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC-GO. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Fundações e Projetos de Rodovias, atuando principalmente nos seguintes temas: radier estaqueado, métodos numéricos, estacas, interação entre estacas, projetos de rodovias, pavimentação, terraplanagem e fundação de linhas de transmissão.