Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Construmeet 2021 debate inovações que vão revolucionar projetos prediais

Especialistas mostram como aplicativos BIM, realidade aumentada e outros avanços tecnológicos estão transformando o mercado brasileiro

Publicado em: 15/10/2021Atualizado em: 18/10/2021

Texto: Juliana Nakamura

Tecnologia construção civil
A tecnologia está transformando a construção civil (Foto: paulista/Shutterstock)

(15/10/2021 | 14:32 - Atualizada em 18/10/2021 | 13:40) Nos últimos anos, a construção civil brasileira vem sendo fortemente impactada pela evolução tecnológica, impulsionando as empresas para um necessário processo de transformação digital com foco em ganho de produtividade e de eficiência. Um estudo da consultoria McKinsey, com base em conversas com executivos da indústria no mundo todo, apontou que o setor terá uma aparência radicalmente diferente em um prazo de cinco a dez anos. Em linhas gerais, as mudanças relacionam-se a requisitos de sustentabilidade, pressões de custo, escassez de habilidades requeridas, novos materiais, abordagens industriais e digitalização.

O impacto dessas transformações nas empresas brasileiras será objeto de discussão da mesa de debate "Avanços Tecnológicos na Arquitetura e Engenharia de Projetos Prediais", que vai abrir o segundo dia do encontro online Construmeet 2021: Novas formas de concretizar o futuro, que será transmitido pela Internet, nos dias 8 e 9 de novembro de 2021.

Para participar, clique aqui e inscreva-se gratuitamente.

O painel terá a participação de Abram Belksócio diretor da TQS; e de Enio Canavello Barbosa, presidente da Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural; além de Eduardo Toledo Santos, professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, que também apresentará uma palestra temática. A mesa será realizada ao vivo no dia 9 de novembro (terça-feira), às 15h.

O Construmeet 2021 é uma correalização AECweb – o maior portal de conteúdo, relacionamento e negócios para empresas e profissionais da Arquitetura, Engenharia e Construção Civil – com a Atex do Brasil – líder na América Latina e referência em soluções para lajes nervuradas.

Houve evolução tanto nos materiais estruturais, a exemplo dos concretos com maior desempenho, quanto nos processos construtivos
Abram Belk

O que se nota é a inserção gradativa de novas tecnologias em todas as etapas do processo de construção, desde a concepção do produto imobiliário até o final da vida útil dos empreendimentos. “Houve evolução tanto nos materiais estruturais, a exemplo dos concretos com maior desempenho, quanto nos processos construtivos”, afirma Abram Belk, sócio-diretor de desenvolvimento da TQS Informática. Segundo ele, avanços significativos ocorreram, ainda, nas ferramentas de gerenciamento e gestão da construção, com olhos para a Indústria 4.0.

COLABORAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

Os escritórios de projetos também vêm se transformando com a evolução da tecnologia computacional. “Os projetos de arquitetura, estrutura, instalações e complementares, que eram desenvolvidos isoladamente e depois compatibilizados, passaram a ser feitos de maneira simultânea e colaborativa, incorporando informações geométricas, de materiais, custos, fornecedores e tempo de execução”, explica Belk, referindo-se ao BIM (Building Information Modeling). Segundo ele, a modelagem da informação na construção trouxe a possibilidade de testar rapidamente alternativas, antecipar e solucionar problemas, reduzir erros, integrar as disciplinas de projeto, e auxiliar a operação dos empreendimentos.

Atualmente, os aplicativos permitem fazer diversos estudos diretamente a partir do modelo BIM
Eduardo Toledo Santos

A sustentabilidade tem sido um vetor de mudanças no desenvolvimento de projetos. “Atualmente, os aplicativos permitem fazer diversos estudos diretamente a partir do modelo BIM. Destaque para as análises energéticas e de impacto ambiental, que passaram a ser facilmente obtidas com o processamento em nuvem”, revela o professor Eduardo Toledo, da Poli-USP.

Ele destaca, também, as soluções de captura da realidade, como o escaneamento 3D a laser e a fotogrametria, seja em terra ou embarcados em drones. “Essas tecnologias permitem que se desenvolvam projetos partindo de informações precisas sobre as condições existentes do terreno ou da edificação a reformar, em caso de retrofits. Isso confere maior precisão ao projeto e poupa tempo com retrabalhos e repetidas visitas a campo”, destaca Toledo.

“Na área de cálculo estrutural, os processos se refinaram e viabilizaram a aplicação de análises que antes eram restritas a poucos, como análise estática e dinâmica da estrutura tridimensional completa e consideração de não linearidade física e geométrica. Tudo isso para permitir projetar edifícios cada vez mais altos, esbeltos, estruturalmente mais seguros e econômicos, com entregáveis em BIM”, adiciona Abram Belk.

EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

Em um contexto em que a inovação acontece de maneira cada vez mais ágil, as tendências apontam para a busca de soluções que garantam a produção de projetos de melhor qualidade, desenvolvidos em menos tempo.

Nesse sentido, o professor Toledo destaca o projeto generativo, que permite gerar inúmeras alternativas de projeto, visando a otimização de parâmetros ou a geração de uma solução automatizada, quando isso é possível. “O desenvolvimento de aplicações baseadas em Inteligência Artificial também é uma tendência, mas ainda vamos demorar um tempo para ver usos mais consistentes no Brasil”, analisa o professor da Poli-USP.

No mais, a expectativa é a de que o BIM continue progredindo em número de usuários e em sofisticação. “O Brasil está em estágio intermediário de maturidade BIM, mas percebe-se que cada vez mais empresas adotam essa metodologia no país. As que estão iniciando, desenvolvem usos básicos, enquanto as que já têm mais maturidade, avançam em aplicações mais complexas em planejamento, gestão de custos e uso no canteiro de obras”, comenta Eduardo Toledo, informando que muitas empresas têm recorrido à programação nos aplicativos de autoria, usando ambientes como Dynamo e Grasshopper para automatizar tarefas de projeto repetitivas.

Os engenheiros Eduardo Toledo e Abram Belk estarão entre os debatedores do Construmeet 2021, evento promovido pelo AECweb, com patrocínio da Atex Brasil, nos dias 08 e 09/11. Clique aqui para fazer sua inscrição de forma gratuita e participe!

Colaboração técnica

 
Eduardo Toledo Santos — Engenheiro eletricista com mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. É professor na Poli-USP, relator do GT Objetos BIM da Comissão Especial de Estudos sobre BIM da ABNT e diretor do BIM Fórum Brasil.
 
Abram Belk — Engenheiro civil pela Escola Politécnica da USP com carreira dedicada ao desenvolvimento de sistemas técnicos computacionais para engenharia civil. É sócio-diretor de desenvolvimento da TQS Informática.