Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Construtora levanta prédios sustentáveis. Saiba as práticas

Diretor da Ecoesfera explica que os empreendimentos construídos focam em sistemas de tratamento de esgoto, captação da água de chuva, energia solar e mais

Publicado em: 03/02/2010Atualizado em: 15/10/2019

Texto: Redação AECweb

Entrevista: Luiz Fernando Lucho do Vale


A Ecoesfera iniciou suas atividades há três anos, apostando na onda verde de empreendimentos amigáveis ao meio ambiente. Até agora, lançou 22 empreendimentos residenciais, num total de 2600 unidades nas cidades de São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e Porto Alegre, sendo que dois já foram entregues.

Luiz Fernando Lucho do Valle, diretor da Ecoesfera, em entrevista ao AECweb, fala sobre as práticas sustentáveis que adota, a reestruturação da empresa que desistiu de abrir seu capital e de suas expectativas para o mercado em 2009.

AECweb - Quais os itens sustentáveis incorporados aos seus edifícios?
Chegamos a implantar até 16 itens ecoeficientes, porém, eles variam de acordo com o projeto. Priorizamos os que promovem o uso consciente e o aproveitamento dos recursos naturais (água, energia e gás), o que permite uma economia de até 30% na redução da taxa de condomínio e a reutilização de resíduos, que gera diminuição de custos no orçamento do morador. Considero como itens principais os sistemas de tratamento de esgoto; captação da água de chuva para irrigação das áreas verdes; uso de energia solar para pré-aquecimento da água e iluminação das áreas comuns; e coleta de lixo e óleo de cozinha que podem ser vendidos, resultando em receita para o condomínio.

AECweb - Mesmo custando mais caro, seus empreendimentos são sucesso incontestável. Por quê?
O custo da construção de um prédio sustentável varia entre 5% e 10% mais caro que a de um prédio convencional. Nos projetos da Ecoesfera, conseguimos reduzir esse custo para 2%, através do conceito de  padronização e economia de escala, criado pelo Henry Ford - fundador da Ford Motor Company. O meu ‘benchmarking’ não é o setor da construção e, sim, o automobilístico. Construindo com o mesmo padrão, é possível comprar materiais em grandes quantidades e ganhar no preço. Não repassamos o percentual para o consumidor e, ainda, oferecemos imóveis mais baratos que os convencionais.

AECweb - A sustentabilidade na construção civil no Brasil tornou-se uma febre a partir de 2007, com seu auge no ano passado. Houve quem duvidasse dos reais propósitos da Ecoesfera?
O setor da construção civil é muito competitivo e resistente à inovação. Iniciativas como a da Ecoesfera são positivas para motivar o mercado, mas nesse setor, como em outros, as novas práticas passam a ser copiadas. Hoje existem empresas com o mesmo foco. Porém, para a Ecoesfera, sustentabilidade não é acessório, faz parte do nosso dia-a-dia, não envolve apenas projetos, mas contribui para a vida de todos nossos colaboradores.

AECweb – Como surgiu a ideia de explorar esse mercado?
A questão ambiental sempre esteve presente na rotina da minha família. Meu pai, por necessidades financeiras, nos ensinou a apagar a luz, após sair de um ambiente, e não demorar durante o banho. Estabeleci que usaria meu conhecimento para ajudar a construir um mundo melhor. Para isso, elaborei um ‘business plan’ com um foco: construção habitacional ecológica. No segundo semestre de 2004, vendi o apartamento em que morava e coloquei os dois carros da família como garantia para constituir a  Ecoesfera Empreendimentos Sustentáveis.

AECweb - Na sua opinião, a crise economico-financeira que atinge o planeta adiará o debate e a implementação das boas práticas na construção civil?
Sou um otimista e acredito que esse movimento irá crescer, até porque, hoje, o consumidor está mais atento e exigente quando o assunto é o futuro de sua família. O brasileiro está mais sensível às questões ambientais, de acordo com uma pesquisa realizada pelo IBGE, em julho de 2007, que apontou que 53% dos consumidores deixariam de comprar sua marca preferida se soubessem que o fabricante faz algo prejudicial à sociedade ou ao meio ambiente. Tal mudança cultural reflete automaticamente na economia de um país.

AECweb - Qual a sua posição quanto a certificação de edifícios? É um luxo para poucos? 
A certificação é importante, pois avalia, entre outros critérios, o uso racional da água; economia da energia; materiais que emitem menor índice de CO2 na atmosfera. Temos dois projetos pré–certificados pelo LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, emitido pelo Green Building Council. Se houver uma demanda maior de empreendimentos ecoeficientes, a tendência é que essas certificações sejam acessíveis para todos que atuam no setor da construção.

AECweb - A sua equipe técnica domina o conceito e a maioria das práticas e tecnologias ou há grande dependência das consultorias?
Meus colaboradores são profissionais maravilhosos, todos muito engajados com o DNA da empresa. As consultorias, por sua vez, são grandes parceiras nesse processo - a troca de experiência é sustentável.

AEC web – O senhor declarou que pretendia abrir o capital da sua empresa até 2009. Ainda pretende fazê-lo?
Realmente, o mercado até alguns meses atrás era propício para abrirmos capital.  Mas, após os primeiros sinais da crise, reestruturei a empresa e reavaliei nosso modelo de gestão. A abertura de capital não se enquadra no novo posicionamento da empresa. Todo o mercado está cauteloso e não  há previsão de abrirmos capital.

AECweb – A Ecoesfera também pisou no freio ou manterá o ritmo de obras e lançamentos?
Nós verticalizamos a empresa, que passa a ter imobiliária e construtora própria, o que garantirá agilidade e economia tanto na construção, como na revenda de nossos projetos. Faremos lançamentos, mas não no mesmo ritmo do ano passado.

AECweb - Quais as suas perspectivas para 2009?
Creio que o primeiro semestre será de cautela, muitos setores estão passando por uma fase de reestruturação.  A crise mostrou o que não devemos fazer: pensar a curto prazo. Sou otimista, acredito que vamos superar essa primeira fase e aprender a crescer, mesmo com a crise.

AECweb - Acredita que a sustentabilidade da construção civil é irreversível?
Sustentabilidade é uma jornada sem fim na vida de todos nós. São escolhas conscientes, sustentadas por fundamentos sólidos que durarão muito mais que o entusiasmo do momento. Acredito que a sustentabilidade será irreversível em todos os setores que adotarem práticas que ajudem a reverter os danos causados ao planeta.