Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Desengripantes: os aliados contra parafusos emperrados

Em vez do desenrosco por meio da força manual, o resíduo de ferrugem deve ser eliminado com lubrificantes apropriados

Publicado em: 12/05/2015Atualizado em: 22/05/2015

Texto: Redação PE

Quem nunca perdeu a paciência ao tentar soltar um parafuso enferrujado incrustado numa porca em equipamentos, carros ou até mesmo em portas, janelas, e instalações industriais. Essa mistura de parafuso rosqueado com ferrugem e oxidação é conhecida como engripamento, causado pela ação da umidade, maresia, exposição ao tempo e falta de lubrificação.

Dependendo do grau de engripamento do parafuso, força ou pressão com ferramentas para tentar removê-lo são recursos inúteis que tendem a piorar a situação. O modo mais seguro é aplicar os fluidos desengripantes de parafusos que segue alguns procedimentos operacionais.

Remoção da ferrugem

O primeiro passo é usar uma escova pequena para limpar o resíduo da ferrugem, ou mesmo utilizar um pano seco caso o metal não esteja corroído. Especialistas recomendam que a ferrugem seja completamente retirada, de modo que a porca não quebre durante a distorção. Após isso, pulverize o desengripante e bata a cabeça do parafuso ou a porca com uma ferramenta de grande porte. Esse procedimento ajuda o produto a penetrar nas ranhuras para melhor lubrificação.

“O produto penetra no parafuso e nas roscas, mas o ideal é que não se faça muita força. Em caso de parafusos ou roscas maiores, a ferramenta pode até quebrar”, aconselha o químico sênior da Quimatic Tapmatic, Marcos Pacheco. De acordo com ele, além da penetração do fluido, os componentes da sua fórmula têm elevada capacidade de dissolução da corrosão.

Pacheco explica que um dos desengripantes produzidos pela empresa, o Quimatic 20, dispensa o uso de força na hora de desenroscar o parafuso, por agregar aditivos e solventes com proteção anticorrosiva.

Desengripantes e persistência

Após aplicar o produto, espere alguns segundos – ou até minutos - dependendo do tamanho do parafuso e do local emperrado. Escolha a ferramenta adequada para alavancagem e use-a com pressão constante, sempre atento se o parafuso está cedendo e com muito cuidado para não quebrá-lo ou espaná-lo.

Em seguida, use o alicate para soltar o parafuso. É importante lembrar que a maioria roda para a esquerda, mas alguns parafusos de anel de engrenagem soltam para a direita. De acordo com produtos testados e veiculados pelo guia Quatro Rodas, o desengripante WD-40 tem resultado efetivo para desenroscar parafusos oxidados. “O produto age rapidamente, é fácil de aplicar e tem cheiro suave. Basta uma borrifada para ter efeito”, relatam os testes.

Caso não consiga soltar o parafuso, aplique novamente o desengripante. Construa uma espécie de copo para conter o fluido sobre a cabeça do parafuso e utilize massa para janela ou massa de modelagem sobre ele e todo o entorno. Em seguida, verifique se pode removê-lo. Se não ceder, retire a massa, limpe o fluido, bata o parafuso com um martelo para sacudir o metal e repita a operação, dessa vez deixando o lubrificante agir por mais horas.

Aliar antioxidantes a uma boa dose de persistência é essencial no combate à ferrugem. De acordo com os experimentos feitos pelo guia Quatro Rodas, o desengripante Orbi White Lub Super também teve bom desempenho, sem cheiro forte e aplicação simples, porém o usuário revelou a necessidade de utilizar um pouco mais do produto para obter o mesmo efeito do WD-40. “Também precisou de mais tempo para soltar os parafusos”, divulgou o Quatro Rodas.

Colaboraram para esta matéria

 
Marcos Pacheco – químico sênior da Quimatic Tapmatic
 
Guia Quatro Rodas