Faria Lima Square conquista certificação LEED SILVER EB O&M

Além de implantar medidas para reduzir o impacto ambiental do edifício, certificação de uso e manutenção altera positivamente os hábitos dos usuários iniciando uma mudança cultural

Publicado em: 22/11/2012Atualizado em: 31/01/2024

Texto: Hosana Pedroso

Redação AECweb / e-ConstrumarketCom consultoria da OTEC, o edifício Faria Lima Square, localizado na avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo, acaba de conquistar a certificação LEED SILVER para EB O&M, concedida pelo U.S. Green Building Council a edificações que têm redução do seu impacto ambiental na fase de uso e manutenção. Trata-se de um edifício triple A, cujos requisitos são exigidos pelo Núcleo de Real Estate da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Com incorporação da CCP – Cyrela Commercial Properties – e projeto arquitetônico de Collaço e Monteiro Arquitetos, o prédio teve suas obras concluídas em 2007.

Medidas

Para a certificação, foi necessária a implantação de uma série de boas práticas de eficiência energética e consumo de água, assim como adaptação de serviços de coleta de lixo, limpeza e controle de pragas, envolvendo mudanças na cultura dos usuários. De acordo com Hilton Rejman, diretor de Desenvolvimento da CCP, “o processo, desde a contratação da consultoria até a obtenção da certificação, durou dois anos e contou com um dedicado comprometimento da equipe técnica e administrativa da BRC Gestão de Propriedades, além do envolvimento das empresas ocupantes do edifício”. Para o arquiteto David Douek, diretor da OTEC, mais do que orgulhar-se pela obtenção da certificação LEED, a equipe da BRC, braço de gestão de facilitiesda Cyrela, tem o que comemorar. “A primeira certificação LEED do grupo para operação e manutenção também apresentou inúmeras vantagens aos condôminos, tais como a identificação de oportunidades de redução de consumo de energia e de água potável”.

Douek explica que a certificação LEED EB O&M, difere das certificações voltadas a novas edificações como LEED Core and Shell, LEED New Construction e a etiquetagem do PROCEL EDIFICA. “Ela permite a edifícios que já estejam ocupados há pelo menos um ano, mas que não tiveram a oportunidade de certificarem suas instalações durante o projeto e construção, que vejam reconhecidas as suas medidas ambientalmente responsáveis”, afirma.

Leia também: 8 benefícios de utilizar um software de gestão de facilities

SoluÇÕes simples

De acordo com Douek, medidas tais como a instalação de capachos adequadamente dimensionados nas entradas do edifício contribuíram para a obtenção da certificação LEED. Eles são responsáveis por reduzir em até 85% a penetração de pó, segundo a Environmental Protection Agency(EPA) dos Estados unidos. Destaca-se ainda o desempenho energético do edifício, garantindo uma das mais altas pontuações em eficiência energética no respectivo crédito da certificação LEED. Douek lembra que os usuários também puderam contribuir com o processo. No caso específico do Faria Lima Square, para a obtenção do LEED EB O&M, o fato de 62,5% dos ocupantes do edifício fazerem uso de transportes alternativos para se deslocar no trecho residência-trabalho contou pontos. “De acordo com pesquisa realizada, identificamos que os meios mais utilizados são a carona solidária; o transporte coletivo; veículos movidos a etanol; e o deslocamento a pé”, conta Douek.

COLABOROU PARA ESTA MATÉRIA

David Douek – Arquiteto e administrador, é fundador e diretor da OTEC, empresa de consultoria de desempenho do ambiente construído, atuando em áreas que vão do urbanismo ao projeto, obra, operação e manutenção do edifício. Inclui serviços de processo de certificações como LEED, AQUA e Procel Edifica. É professor convidado de universidades como a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e do Mackenzie, e palestrante em congressos nacionais como o Green Building Brasil, e internacionais, como o Ecobuild, em Londres. Assina artigos técnicos publicados na mídia especializada em Construção Civil e Sustentabilidade. Introduziu no mercado brasileiro o software inglês de simulação de desempenho energético DesignBuilder, utilizado pelos laboratórios de auditoria do Procel Edifica.