Fechaduras devem aliar segurança e qualidade

Na hora de escolher a fechadura ideal é importante avaliar resistência, durabilidade, grau de segurança e de resistência à corrosão

Publicado em: 14/12/2012Atualizado em: 15/06/2020

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Redação AECweb / e-Construmarket
fechaduras
A escolha da fechadura ideal considera a frequência de uso do produto e a resistência (foto: shutterstock/Victoria Nochevka)

Item de segurança fundamental, as fechaduras exigem cuidado no momento da especificação. Atualmente, os modelos disponíveis são variados e adequados para cada caso.

Produzidas a partir do aço, latão, plásticos de engenharia, pedras e madeira, as fechaduras apresentam design e desempenho diversos. “Nos últimos anos, surgiram também alternativas relacionadas ao acionamento, ou seja, além da velha dupla chave e cilindro, já podem ser encontrados modelos digitais com senha de acesso e biométricos com identificação pela impressão digital”, informa o engenheiro Roney Honda Margutti, gerente de Tecnologia do Sindicato da Indústria de Artefatos de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo (Siamfesp).

EspecificaÇÃo

Para especificar o modelo de fechadura a ser utilizado, é necessário levar em consideração duas características: a frequência de uso do produto e a resistência desejada. Em cada caso há um projeto específico e um desempenho a ser alcançado. “Por exemplo, uma fechadura de porta de entrada deve ser mais resistente contra arrombamentos do que a de um banheiro. Em um sanitário de shopping, o dispositivo deverá resistir a mais acionamentos em comparação a uma porta de dormitório residencial”, explica Margutti.

Existe uma classificação de aplicação das fechaduras que tem como objetivo auxiliar a escolha do especificador e do próprio consumidor final. O primeiro parâmetro é a Classe de Utilização, que considera o número de vezes que a fechadura será acionada:

- Tráfego leve - utilizadas em edificações de tráfego leve, como portas de residências unifamiliares, portas de comunicação entre cômodos etc.

- Tráfego médio - utilizadas em edificações de tráfego médio, como portas de consultórios médicos, portas de escritório de serviços etc.

- Tráfego intenso - utilizadas em edificações de tráfego intenso, como portas de hospitais, postos de saúde, shoppings etc.

A segunda classificação refere-se ao Grau de Segurança, ou seja, à resistência da fechadura ao arrombamento, de acordo com cinco diferentes faixas:

- Segurança mínima - resistência da lingueta a um esforço lateral exercido pela contra testa de 200 Kg

- Segurança média - resistência da lingueta a um esforço lateral exercido pela contra testa de 300 Kg

- Segurança alta - resistência da lingueta a um esforço lateral exercido pela contra testa de 500 Kg

- Segurança muito alta - resistência da lingueta a um esforço lateral exercido pela contra testa de 700 Kg

- Segurança máxima - resistência da lingueta a um esforço lateral exercido pela contra testa de 1.000 Kg

O terceiro parâmetro é o Grau de Resistência à Corrosão, que trata do quanto os acabamentos e o mecanismo da fechadura resistem à corrosão provocada pela exposição ao sol, à chuva e névoa marinha. Existem quatro graduações nesta esfera:

- Grau 1 - utilizadas em ambientes sem ação de condensação e intempéries, como salas e dormitórios

- Grau 2 - utilizadas em ambientes com possibilidade de condensação, mas sem intempéries, como cozinhas e banheiros

- Grau 3 - utilizadas em ambientes com possibilidade de condensação e intempéries, caso das regiões urbanas e rurais

- Grau 4 - utilizadas em ambientes com condições excepcionalmente severas quanto à condensação e intempéries, situação frequente nas regiões litorâneas e industriais

AplicaÇÃo

No momento de instalar o produto, é necessário ler as instruções fornecidas pelo fabricante, que podem conter informações específicas, como fazer a reversão do trinco para portas direitas e esquerdas. Outra recomendação é verificar se a posição do trinco está no sentido correto de fechamento da porta. A altura do centro da maçaneta em relação ao piso deve ser de cerca de 1,10 metro. Se a porta for de madeira, é necessário deixar uma folga de, aproximadamente, um milímetro de cada lado da caixa da fechadura.

Qualidade

Os padrões de qualidade estão calcados no atendimento de todos os requisitos de desempenho especificados na ABNT NBR 14913 - Fechadura de embutir - Requisitos, classificação e métodos de ensaio, revisada em outubro de 2011. De acordo com a normativa, a fechadura deve atender às seguintes exigências: manobra e resistência da lingueta e do trinco submetidos a um esforço lateral exercido contra testa; funcionamento do trinco por ataque lateral, da lingueta e recolhimento do trinco por rotação da chave/rolete; resistência a um movimento aplicado ao cubo e funcionamento do trinco comandado pelo cubo; resistência da lingueta a um esforço contrário ao seu avanço; introdução e retirada da chave; resistência a um movimento aplicado à chave e à maçaneta; resistência à corrosão.

Embora a norma de fechaduras seja adequada com relação aos requisitos exigidos, assim como no tocante às classificações indicadas, é muito importante o consumidor e o especificador conhecerem as marcas que estão em conformidade ou não com a ABNT NBR 14913. O Programa Setorial da Qualidade (PSQ) de Fechaduras vinculado ao Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) avalia tanto os produtos de empresas participantes quanto daquelas que não desejam participar.

“A cada três meses é elaborado um relatório setorial indicando o nome e a marca da empresa e sua respectiva situação de conformidade, ou seja, é publicada no site do Governo Federal a lista dos fabricantes que possuem produtos em conformidade com as normas técnicas brasileiras, bem como daqueles em situação inversa e que, evidentemente, não têm suas fechaduras especificadas e não devem ser compradas”, fala o engenheiro.

ManutenÇÃo

A lubrificação da fechadura deve ser feita de acordo com as instruções e frequência recomendadas pelo fabricante e somente com o tipo de produto indicado. Não utilizar lubrificantes líquidos, como óleos para a lubrificação do cilindro, pois, com o acúmulo de poeira, o mecanismo pode travar. A limpeza deve ser feita com pano macio e água. Químicos como, solventes, álcool e polidores devem ser evitados. No caso de pintura da porta, o conjunto da fechadura deve ser retirado.

Margutti também recomenda atenção quando for necessário trocar o mecanismo. “É importante se certificar que o tipo e as medidas da nova fechadura sejam compatíveis com a antiga, assim como se os novos espelhos ou rosetas cobrem todas as marcas deixadas pela antiga”, detalha.

Vantagens

As fechaduras dotadas de chave e cilindro ainda são as mais utilizadas e, portanto, existem mais profissionais especializados no produto, assim como uma vasta rede de chaveiros aptos a fazer suas devidas manutenções e reparos. Já as biométricas e as eletrônicas são mais confiáveis quanto à segurança e dispensam chaves, o que facilita o uso. Entretanto, há sempre o risco de o usuário esquecer a senha ou ainda de acabar a bateria.

É bom saber

“É importante ressaltar que tamanho ou beleza não significam, necessariamente, bom desempenho. Nem sempre uma fechadura maior e mais bonita é, de fato, a melhor e mais resistente. O mesmo se aplica a questão do preço, pois, um espelho feito em metal e pedras preciosas pode ter um mecanismo montado com material frágil e de baixo desempenho”, aborda Margutti.

Para eliminar dúvidas, existem as classificações das fechaduras, que permitem comparar produtos e preços dentro de uma mesma modalidade. As embalagens são obrigadas a apresentar tabelas contendo as diferentes classificações e, na sua etiqueta, identificar a classe de utilização, grau de segurança e grau de resistência à corrosão.

O mercado nacional está bem abastecido, há oferta de todos os tipos de fechaduras e os produtos podem ser encontrados em qualquer loja de material de construção. As que apresentam maior participação de mercado ainda são as tradicionais, com chave e cilindro. Já as biométricas e eletrônicas ainda são pouco utilizadas e podem ser encontradas apenas em lojas especializadas do ramo.

“As fechaduras eletrônicas e biométricas normalmente custam mais, porém, há modelos tradicionais que podem ser mais caros, dependendo do produto escolhido”, diz o engenheiro.

A melhor relação custo-benefício ocorre quando o consumidor ou especificador escolhe a fechadura com base na sua classificação e aplicação, já que, além de escolher corretamente, estará contribuindo com a sustentabilidade do planeta.

“Isso porque o produto comprado não terá mais material que o necessário para a sua aplicação e tampouco terá de ser substituído antes da hora. Assim, economizamos e usamos racionalmente os recursos naturais”, finaliza Margutti.


COLABOROU PARA ESTA MATÉRIA

Roney Honda Margutti – É engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Possui especialização em Administração de Negócios pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e MBA Executivo em Gestão Empresarial e Inovação pelo B.I. International, com módulos internacionais pela Babson School Executive Education e Columbia University. É gerente de tecnologia do Sindicato da Indústria de Artefatos de Metais Não Ferrosos no Estado de São Paulo (SIAMFESP) e membro da Câmara Ambiental da Indústria Paulista da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Atualmente é coordenador da ABNT/CEE-188 - Comissão de Estudo Especial de Ferragens. Tem mais de 10 anos de experiência em elaboração e gestão de Programas Setoriais de Qualidade e implantação de laboratórios de ensaios acreditados pelo INMETRO nas Escolas SENAI e L.A. Falcão Bauer.