Forros minerais reduzem ruídos em até 45 decibéis

Veja essa e mais vantagens desse material

Publicado em: 02/04/2015Atualizado em: 18/10/2022

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket


Forro mineral Polaris da Hunter Douglas aplicado em ambiente corporativo (Divulgação Hunter Douglas)

Os forros minerais são responsáveis pela redução de ruídos, e podem, portanto, aumentar o conforto acústico das edificações. “São sistemas removíveis compostos por fibras biossolúveis, aglutinantes orgânicos, argila, perlita e celulose reciclada em proporções controladas. E fibra mineral é sinônimo de desempenho acústico. Eles são oferecidos em diversos níveis de absorção, que variam entre 25 e 45 dB”, informa o engenheiro Marcelo Pezzin, gerente comercial da Hunter Douglas.

Eles são oferecidos em diversos níveis de absorção, que variam entre 25 e 45 dB
Marcelo Pezzin

Além da absorção acústica, os forros minerais também proporcionam outras vantagens às obras. Uma delas é a agilidade no processo de instalação. “Devido à sua composição em módulos (painéis) apoiados em uma estrutura metálica leve, seu grande diferencial está na facilidade de montagem e manutenção, permitindo que a qualquer momento seus painéis sejam deslocados ou removidos”, explica Cristiano Othon de Amorim Costa, arquiteto e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

A resistência ao fogo e o apelo estético também devem ser considerados. Os forros minerais podem, ainda, agregar pontos para certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), já que são fabricados com componentes biossolúveis, pré e pós-consumo.
“As placas minerais não têm na sua composição amianto, formaldeídos ou outros materiais que possam poluir o solo. E ainda são biodegradáveis”, acrescenta Othon. “Entretanto não há uma proposta para a reutilização e esses materiais não permitem sua reciclagem”, pondera.

Devido à sua composição em módulos (painéis) apoiados em uma estrutura metálica leve, seu grande diferencial está na facilidade de montagem e manutenção, permitindo que a qualquer momento seus painéis sejam deslocados ou removidos
Cristiano Othon 

ONDE E COMO USAR?

Utilizados em ambientes internos e apoiados em estruturas metálicas leves, os forros minerais são ideais para edifícios comerciais, igrejas, escolas, universidades, call centers, escritórios, halls de circulação, teatros e cinemas.

Antes de aplica-los, é necessário analisar a fixação e localização dos tirantes que sustentarão os perfis metálicos, já que estes tirantes irão garantir a rigidez estrutural, e sua fixação não pode comprometer outros sistemas, como o hidráulico ou o condicionamento de ar. Também é preciso analisar a funcionalidade do espaço, a performance acústica requerida e definições estéticas e financeiras.

Confira também: 

Acessórios para forro

Forros acústicos

Forros termo acústicos

CONTRAINDICAÇÃO

Os forros minerais apresentam limitações para aplicação em locais úmidos e, portanto, são contraindicados para tal aplicação.



Detalhe da placa Polaris (Divulgação Hunter Douglas)

INSTALAÇÃO

Os forros são fornecidos, geralmente, em frações de 2,5 m e modulações de 625 x 625 mm ou 625 x 1.250 mm — com outras dimensões disponíveis sob consulta. Os produtos são instalados na fase final de acabamento da obra. “Toda a estrutura, normalmente feita de perfis de aço ou alumínio, é fixada por meio de tirantes. Os painéis (removíveis) são apoiados nesta estrutura”, conta Othon.

A instalação é rápida e não gera resíduos. “O produto é apoiado em perfis metálicos tipo T invertido com base de 15 ou 24 mm, sendo estes configurados em malha segundo a modulação das placas definidas no projeto”, detalha Pezzin.

MANUTENÇÃO

A manutenção do sistema é básica, e resume-se à pintura, limpeza e troca de painéis danificados. “A limpeza deverá ser feita mediante escova seca com cerdas macias periodicamente”, aconselha Pezzin.

Procurando forros? Veja mais de 150 forros no catálogo de produtos do Portal AECweb

Colaboraram para esta matéria

Cristiano Othon de Amorim Costa – Doutorando em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) e Mestre em Ensino de Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Faculdade Oswaldo Cruz (2000) e graduação em Arquitetura e Urbanismo pela USP. É professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e autor de material didático do Sistema Mackenzie de Ensino.
Marcelo Sérgio Pezzin – É engenheiro e gerente comercial da Hunter Douglas.