Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Glass South America traz inovações e boas expectativas para o setor vidreiro

Maquinários italianos de última geração, vidros que mudam de cor, envidraçamento de sacadas e sistema para tratamento de efluentes foram alguns dos destaques do evento

Publicado em: 14/06/2016Atualizado em: 30/10/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Nem mesmo o frio paulistano foi capaz de abaixar a temperatura da Glass South America, realizada entre os dias 8 e 11 de junho no Transamerica Expo Center, em São Paulo. O evento contou com a presença de 12.889 visitantes e 200 marcas expositoras, que apresentaram suas novidades e soluções para vidros e persianas.

Além disso, a feira teve palestras e diversas interações com o público, conforme conta Lígia Amorim, diretora geral da NürnbergMesse Brasil. “Trouxemos ações interessantes, como a Arena do Conhecimento, com acesso aberto para as pessoas buscarem mais informações sobre produtos e tecnologias, e o espaço Vidro em Ação, uma iniciativa nossa com a Abravidro [Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos] que mostra os vidros sendo testados e a importância disso para a segurança do usuário”.

novos-projetos-corporativos
Reprodução: Facebook/Glass South America

Apesar da queda de 9,9% no consumo aparente de vidros planos em 2015, Alexandre Pestana, presidente da Abravidro, ressaltou durante a Glass South America que ainda há oportunidades de crescimento e melhora para o setor. “No Brasil, temos ciclos agudos de crescimento e queda. De 2006 a 2013, o consumo de vidro cresceu o equivalente ao triplo do PIB. Mesmo com essa queda recente, temos certeza que teremos condições de voltar a crescer e mostrar o vigor da indústria do vidro no Brasil”.

mesas-compartilhadas

PAVILHÃO ITALIANO

Mostrando a força do mercado italiano na indústria de processamento de vidro, o Pavilhão Italiano, promovido através de uma parceria da GIMAV com a Vitrum e com o apoio da ITA (Italian Trade Agency), contou com 15 empresas que apresentaram o que há de mais moderno no processamento de vidro plano. Michele Pala, Cônsul Geral da Itália no Brasil, destaca, além da modernidade, a tradição da Itália na produção de vidros.

“Aqui estão produtos de pequenas e médias empresas italianas que vêm de uma tradição artesanal, mas que souberam se atualizar. Criatividade e inovação são as principais fórmulas de sucesso dessas empresas. O modo de trabalhar com o vidro vem de uma tradição milenar. Isso que faz a distinção de empresas excelentes de outros países. É o coração que nós colocamos no vidro”.

Nós não estaríamos presentes na Glass South America com 15 empresas se não tivéssemos certeza de que o mercado voltará a crescer
Erica Di Giovancarlo

Em 2014, o Brasil importou R$ 212 milhões em maquinário, produtos e alta tecnologia do setor vidreiro da Itália. Esse número caiu para R$ 84 milhões em 2015, mas nada que abale a confiança do mercado italiano em nosso país. “Em 2014, o Brasil era o 4º maior importador de vidros da Itália. Em 2015, foi o 12º, o que é normal com o mercado em crise. Não nos causou estranheza, aconteceu a mesma coisa com a Rússia. Nós não estaríamos presentes na Glass South America com 15 empresas se não tivéssemos certeza de que o mercado voltará a crescer”, afirma Erica Di Giovancarlo, diretora para o Brasil da ITA.

R+T SOUTH AMERICA

Paralelamente à Glass South America, a Messe Stuttgart, em parceria com a NürnbergMesse Brasil, realizou a primeira edição da feira R+T South America, a versão sul-americana da feira internacional líder do mercado de persianas de rolo, portas/portões e sistemas de proteção solar. Entre os 52 expositores, dois terços eram empresas estrangeiras, como a Cubretex (México), Eymes (Turquia) e DongWon (Coreia). Além da exposição, o evento teve a ExpeR+T Conference, uma conferência voltada para arquitetos, que apresentou as novidades e tendências do setor.

LANÇAMENTOS E NOVIDADES

Engana-se quem pensa que a utilização de vidro pode resultar em ausência de privacidade. A PKO do Brasil expôs o Privacy Glass, que passa por um processo de laminação de dois vidros com um filme de cristal líquido com polímeros dispersos. Quando uma voltagem é aplicada, as moléculas se organizam em uma direção específica, tornando o produto incolor. Isso permite a passagem de luz por meio do vidro. Quando o dispositivo é desligado, volta a sua condição original, de branco translúcido.

A ScreenLine apresentou durante o evento a linha Twin, que une as persianas e cortinas blackout em um único sistema insulado entre vidros. Ele apresenta excelente desempenho energético com fator solar ≤15%)e de transmissão luminosa ≥60%. “Isso significa que nos dias de sol temos um desempenho duas a três vezes superior ao do vidro no controle do calor e que nos dias nublados temos uma transmissão luminosa também aumentada e que evita gastos com iluminação interna”, afirma Philippe Faucon, diretor comercial da ScreenLine. O sistema também pode ser instalado com a utilização de vidros antibacterianos AB da AGC, permitindo a eliminação completa das cortinas em clinicas e hospitais.

mesas-compartilhadas

Pensando no conforto e na comodidade, a Landy Kits inovou e apresentou para o público o sistema HautomaticS, que automatiza todo o processo de abertura e fechamento de fachadas envidraçadas. A solução é controlada por um aplicativo em smartphones ou então por controle remoto, permitindo a abertura ou fechamento da sacada envidraçada sem contato manual.

Segundo Paulo Francescheli, diretor comercial da empresa, o produto é uma novidade mundial. “Esse é o único produto no mundo. A HS, nossa parceira, viajou por diversas feiras internacionais e não encontrou nenhum produto similar. Esse produto é patenteado no Brasil, na comunidade europeia e nos EUA. É um orgulho uma empresa nacional conseguir sair na frente de países desenvolvidos”.

A Ideia Glass também apresentou algumas novidades na Glass South America, entre elas o Box Certo. Por não possuir trilho inferior, o produto torna-se ideal para promover acessibilidade ao banheiro, conforme explica David Caballi, do setor de Inteligência de Mercado da Ideia Glass. “O conceito do box certo é a acessibilidade. Por não ter perfis inferiores, ele é utilizado como box para cadeirantes, abrindo de canto ou frontal”.

novos-projetos-corporativos

A Lopes Máquinas apresentou ao setor maquinário a lapidadora copo 09 rebolos modelo hge9, que, através de um painel digital, registra a espessura do vidro e exibe a velocidade do trabalho. “A máquina, que vai de 3 mm a 25 mm, atende a toda a expectativa do mercado moveleiro, de engenharia, construção civil, entre outros. É uma máquina compacta e com o funcionamento simples. O marcador de espessura e de velocidade é digital e torna o processo mais prático”, explica Rodolfo Lopes, representante comercial da empresa.

O vidro pode agregar beleza, oferecer conforto térmico e acústico e até mesmo praticidade, como os vidros autolimpantes, antibactericidas, entre outros
Alexandre Pestana

A sustentabilidade também marcou presença na Glass South America. A Idroricirculo apresentou um sistema voltado para o tratamento de efluentes industriais sem a utilização de produtos químicos. O sistema pode ser aplicado tanto na produção de vidros como em indústrias que trabalham com pedras, mármores etc. “A água é 100% reutilizada, e o resíduo de vidro é totalmente reciclado. O sistema ainda diminui o desgaste da lapidadora. Nosso produto consegue um ótimo desempenho em todos os equipamentos que utilizem água como fluído de refrigeração de ferramenta”, atesta Paulo Colle, projetista da Idroricirculo.

mesas-compartilhadas

VIDRO EM AÇÃO

O espaço Vidro em Ação, iniciativa conjunta entre a Abravidro, Instituto Falcão Bauer, NürnbergMesse Brasil, Universidade do Som e Setor Vidreiro, mostrou ao público durante os quatro dias de evento como o vidro se comporta durante os testes de resistência e seu desempenho acústico e térmico, conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o regulamento do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

“Nós precisamos mostrar para o consumidor que o vidro não é só um material transparente que não deixa a chuva passar pela janela, ele pode agregar beleza, oferecer conforto térmico e acústico e até mesmo praticidade, como os vidros autolimpantes, antibactericidas, entre outros. E tudo isso disponível no Brasil já há algum tempo e que o mercado consumidor vai experimentando devagar. O Vidro em Ação é uma pitada de todas as possibilidades do vidro”, destaca Pestana, presidente da Abravidro.

mesas-compartilhadas
Reprodução: Facebook/Abravidro

ARENA DE GESTÃO E TECNOLOGIA

Visando ampliar o conhecimento e o debate sobre diversos temas envolvendo o vidro, a Arena de Gestão e Tecnologia contou com 13 palestras durante os dias 8, 9 e 11. Além disso, no dia 10, a Conferência ExpeR+T, parte da feira R+T South America, apresentou painéis e palestras relacionadas ao setor de portas, portões e sombreamento.

“Em período de crise, a feira tem que trazer novas alternativas para os expositores e novas oportunidades para os visitantes para que, em conjunto, a gente consiga saber quais são as novas competências necessárias para atravessar esse momento e seguir em frente”, afirma Ligia.

mesas-compartilhadas
Reprodução: Facebook/Abravidro

ESTANDE EM DESTAQUE

Com a temática circense, a Abravidro trouxe para a Glass South America a importância da reinvenção do setor. “Foi algo que surgiu no Simpovidro em 2014. A proposta era mostrar para uma indústria ameaçada que a renovação é algo necessário, fazendo um paralelo com o circo, que se reinventou. Ele manteve as raízes do passado, porém adaptado ao momento. Mudou a aparência, deixou para trás os números ultrapassados e se reinventou com criatividade e tecnologia. Algo que era fadado ao esquecimento, hoje está ativo como nunca”, conclui Pestana.