Impermeabilização por cristalização é ideal para estruturas enterradas

Aditivo garante a impermeabilização e a autosselagem do concreto. Pode ser feito durante o preparo da massa ou aplicado posteriormente, através de pinturas especiais

Publicado em: 03/04/2018Atualizado em: 30/03/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

A impermeabilização por cristalização reduz o nível de permeabilidade do concreto (crédito: shutterstock.com / John GK)

A impermeabilização por cristalização é amplamente utilizada em estruturas de concreto armado que ficam em contato direto com a água, em locais de umidade extrema ou com molhagem e secagem constantes. “A técnica tem como princípio melhorar o desempenho contra a penetração de água e agentes agressivos através da formação de cristais nos poros e fissuras do concreto”, explica Cláudio Neves Ourives, diretor executivo e sócio da Penetron.

COMO FUNCIONA?

A impermeabilização por cristalização é feita através da utilização de um aditivo ainda durante a preparação ou em forma de pintura com compostos químicos especiais. “Os compostos químicos da tinta penetram nos poros por osmose ou absorção e reagem com a pasta de cimento e água, formando os cristais em profundidade. A própria água catalisa a reação de cristalização”, explica Ourives.

A técnica tem como princípio melhorar o desempenho contra a penetração de água e agentes agressivos através da formação de cristais nos poros e fissuras do concreto
Cláudio Neves Ourives 

Os compostos químicos presentes no aditivo reagem com a pasta de cimento e água formando uma rede de cristais em toda a massa do concreto, ainda no processo de preparação. “O aditivo reage em contato com a água e com o hidróxido de cálcio, gerando cristais não solúveis na estrutura capilar, selando e protegendo o concreto permanentemente contra a penetração de água e outros líquidos”, destaca Rafael Bitencourt, coordenador nacional de desenvolvimento de negócios da Sika.

Fornecedores:
Aditivos e acessórios para concretagem
Argamassas para impermeabilização
Adesivos e aditivos para impermeabilização rígida

Deve ser feito um estudo antecipado para adequar o aditivo à mistura ideal. Também são necessários alguns cuidados durante a aplicação e cura, como o tratamento de juntas de concretagem e/ou de movimentação para estruturas projetadas para o armazenamento de água.

VANTAGENS

Entre as vantagens da impermeabilização por cristalização destacam-se:

Reduz a permeabilidade à água – dispensa o uso de outros sistemas de impermeabilização

Reduz a penetração de água sob pressão

Melhora a propriedade de autosselagem do concreto em fissuras de até 0,4 mm

Reduz a passagem de vapor

Por ser de base mineral, não se decompõe ao longo do tempo como materiais de base orgânica

Não possui compostos orgânicos voláteis (VOC)

Aumenta a resistência química em relação a efluentes ou agentes com pH variando de 3 a 11

Não é nociva ao meio-ambiente

LOCAIS DE APLICAÇÃO

Sua utilização é ideal para estruturas enterradas, como estacionamentos em subsolos e poços de elevador. O produto também pode ser aplicado em reservatórios de água, efluentes e piscinas. “Este aditivo é recomendado para adição em concreto onde as estruturas têm a necessidade de impedir o ingresso ou a perda de água da estrutura ou as duas condições”, reforça Bitencourt. Já para lajes expostas à variação térmica ou com ações dinâmicas, este não pode ser o único sistema impermeabilizante utilizado.

Túneis

Canais

Galerias

Casas de força e faces de montante em barragens

Paredes diafragmas

Prédios residenciais e comerciais: concretos em lajes e cortinas de subsolos estanques, poço de elevador, reservatórios de água etc.

Paredes de contenção em subsolos moldadas in loco ou em concreto projetado

Fundação: blocos e vigas baldrames

Reservatórios de água e tanques de efluentes na área de saneamento

Portos: aumento da proteção de concretos em áreas agressivas, como zonas 3 e 4 de agressividade conforme a NBR 6118

Este aditivo é recomendado para adição em concreto onde as estruturas têm a necessidade de impedir o ingresso ou a perda de água da estrutura ou as duas condições
Rafael Bitencourt 

APLICAÇÃO

Sua aplicação é simples e pode ser feita de duas maneiras:

Aditivo na preparação

• Pode ser adicionado no misturador juntamente com os outros componentes do concreto na proporção indicada para a produção de uma batelada
• Dependendo da operação, o produto pode ser adicionado à água de amassamento, formando uma pasta que em seguida é adicionada à betoneira
• Também pode ser adicionado ao agregado miúdo e graúdo. Nesse caso, deve ser misturado por 120 segundos antes de adicionar o cimento e a água de amassamento. Obs: o tempo de mistura depende do tipo, condições e desempenho do equipamento. O tempo mínimo de mistura recomendado é de 60 segundos

Pintura com aditivo

• Limpeza e abertura dos poros do concreto com jato de água de alta pressão
• Tratamento das juntas de concretagem e furos de tirante com argamassa de reparo com cristalizante
• Saturação do substrato com água na condição SSS (saturada superfície seca)
• Aplicação da tinta com aditivo
• Cura úmida por pelo menos 3 dias

Leia tambémMelhores práticas para gestão de projetos na construção civil

Colaboração técnica

Rafael Bitencourt  – mais de 14 anos de experiência no mercado de construção civil, especialmente no desenvolvimento e controle de traços de concreto. Apresentando soluções técnicas aos mercados de concreteiras, pré-fabricados, artefatos e obras residenciais e Infraestrutura. Responsável por implementar novas tecnologias ao mercado técnico e varejo, sempre divulgando as boas práticas na construção civil.
Cláudio Neves Ourives  – diretor executivo e sócio da Penetron Brasil desde 2007, trabalha em indústrias químicas para construção há 21 anos; Engenheiro Civil pela FAAP; MBA em Marketing – ESPM; Aluno MBA Executivo – FIA/SP.