Instalação de kit porta pronta pede profissional capacitado

Os sistemas oferecidos pela indústria são de fácil instalação, mas exigem verificação de tolerâncias e cuidados que começam no armazenamento em canteiro. Saiba mais!

Publicado em: 06/02/2023Atualizado em: 01/11/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

foto de uma pessoa segurando uma espátula e uma tabua com argamassa líquida em cima
(Foto: Shutterstock)

A indústria facilitou e trouxe maior produtividade à tarefa de instalação de portas nas obras ao produzir os kits portas prontas. O sistema é oferecido em madeira, alumínio, aço e PVC. O tecnólogo José Miguel Evangelista, instrutor de formação profissional no Senai SP “Orlando Laviero Ferraiuolo”, detalha os componentes dos kits, de acordo com a tipologia de cada porta.

“Em portas pivotantes de giro ou de abrir, teremos folhas lisas ou trabalhadas, batente, marco e contramarcos, alisar, pivôs de fixação, fechaduras, dobradiças, puxador, parafusos, grapas ou chumbadores. As portas de correr podem ser acompanhadas, ainda, de sistemas de trilhos, pinos e fechaduras tipo bico de papagaio. Já os kits de portas camarão são constituídos por dobradiças com alça, fecho para porta camarão, kit trilho de correr com os componentes, pinos com molas, porca garra e parafuso, chapa serrilhada em L, chapa dupla do perfil superior, trilho carrinho deslizante”.

Leia também

Esquadrias de PVC oferecem estanqueidade e fácil manutenção

Portas de madeira precisam ter qualidade comprovada por ensaios

Da preparação do vão às fixações

O vão que receberá a porta pronta deverá estar com 10 mm de folga entre todos os lados dos batentes que estão em contato com o substrato. A regularização dessa folga é feita com argamassa. “Para obtenção do prumo, nível, requadramento e esquadro, é preciso usar espuma expansiva”, explica Evangelista. Mas alerta que esse material é recomendado somente para portas internas, não devendo ser exposto ao sol que vai degradar a espuma.

“Se for utilizar fixação por grapas, além dessas correções, é essencial deixar uma distância de 20 mm entre o batente ou contramarco e aberturas, para fixação dos chumbadores com areia e cimento no traço 1:3”, ensina. Alguns kits porta pronta são fixados através de parafusos e buchas direto na parede regularizada ou parafusos direto nos contramarcos.

Evangelista reforça que, para executar as fixações, o primeiro passo é a conferência dos travamentos dos kits, que deverão manter a porta no esquadro e com as tolerâncias de vãos entre a folha e o batente. É preciso, também, verificar o posicionamento das fechaduras e puxadores, se foram montados conforme orientação da norma ABNT NBR 15930-2:2018, específica para portas de madeira.

Geralmente, os kits prontos já vêm com as fechaduras, dobradiças e puxadores instalados. “Entretanto, em alguns casos, a montagem da fechadura e dobradiças não são finalizadas. Caberá ao profissional que faz a instalação corrigir esse ajuste, antes de fixar o marco ou contramarco”, observa.

Apesar de bem simples, a instalação deve ser feita por profissional capacitado. “Somente ele poderá realizar o serviço com perfeição, conforma solicitado em norma, principalmente pela exigência de verificações”, diz.

Armazenamento dos kits

O armazenamento na obra merece cuidado especial. Os componentes de madeira devem ser acomodados sobre um estrado de madeira ou plástico, do tipo palete, para permitir movimentação mecanizada. O empilhamento máximo é de 2m, em local arejado por até 90 dias.

“O kit deve ser armazenado sempre com o montante do marco do lado das dobradiças como apoio e, também, sobre palete”, orienta. Neste caso, o empilhamento máximo é de dois kits porta.

Para obtenção do prumo, nível, requadramento e esquadro, é preciso usar espuma expansiva
José Miguel Evangelista

Saiba mais

O guia de Esquadrias para Edificações – Desempenho e Aplicações, lançado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em parceria com o Senai Nacional, alerta para a exigência de cumprimento dos requisitos das normas técnicas. O documento abrange janelas e portas fabricadas em aço, alumínio, madeira ou PVC, ou compostas por mais de um material, produzidas com sistemas desenvolvidos pelo fabricante ou fabricadas conforme projetos específicos, em fábricas ou eventualmente em obras. No caso de o fornecedor optar por produzir janelas e portas em fábrica ou eventualmente em obra, conforme projeto específico, deverá apresentar evidências de atendimento aos requisitos de desempenho do produto. Para todos os casos, sugere-se que a negociação tenha cláusula específica em contrato.

Leia também:
Como comprar portas?

Colaboração técnica

José Miguel Evangelista – É Tecnólogo em Controle de Obras pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo – Fatec SP e Técnico em Edificações pela Escola Técnica Estadual Presidente Vargas - ETEC. Empreiteiro de obras desde 1985 e Instrutor de Formação Profissional no Senai SP desde 2008, atualmente na Escola Senai “Orlando Laviero Ferraiuolo” nos cursos Técnico de Edificações na oficina de práticas profissionais de Sistemas e Processos Construtivo; de formação continuada e em treinamentos a empresas nas modalidades de alvenaria estrutural e de vedação; revestimento cerâmico e argamassado; armador e carpinteiro de fôrmas; coberturas de laje e telhados; fixação de portas e esquadrias; pintura; locação de obra; leitura e interpretação de projetos; revestimento em fachadas; fundações; e armador.