Macadame é opção de pavimento para locais onde não há cascalho

Entre as técnicas de pavimentação, o macadame tem vida útil e comportamento similar às demais, com a vantagem de projeto executivo simples

Publicado em: 10/12/2021

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Macadame
O pavimento macadame tem a vantagem de ser uma opção em regiões com carência de materiais granulares apropriados (Foto: Andrei Ksenzhuk/Shutterstock)
Em decorrência dos recentes aumentos dos materiais betuminosos, vêm ganhando destaque os pavimentos rígidos em placas de concreto
Ruiter da Silva Souza

No Brasil, são várias as técnicas de execução de pavimentos para rodovias e vias públicas nas cidades. De acordo com o engenheiro Ruiter da Silva Souza, professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), os betuminosos são os principais e estão em pleno uso. Abrangem os tratamentos superficiais, macadames betuminosos, pré-misturados a frio e a quente, areia asfalto, microrrevestimentos asfálticos, lama asfática, SMA, CPA e concreto asfáltico (CA ou CBUQ). “Em pavimentos rígidos, temos os de concreto de cimento portland e macadames cimentados”, acrescenta.

Os paralelepípedos e a alvenaria poliédrica, empregados no passado, caíram em desuso. Hoje, estão restritos a condomínios residenciais e estacionamentos. O tipo de pavimento mais utilizado é o flexível em concreto asfáltico, conhecido como CBUQ. “Em decorrência dos recentes aumentos dos materiais betuminosos, vêm ganhando destaque os pavimentos rígidos em placas de concreto”, diz.

Leia também:

Equipe comprometida pode definir o sucesso de obras rodoviárias
Asfalto borracha garante vias mais seguras e duráveis

Pavimento macadame

Técnica antiga, datada do século 19, o pavimento macadame tem a vantagem de ser uma opção em regiões com carência de materiais granulares apropriados (cascalho), porém com acesso a pedreiras em operação ou que sejam viáveis de implantar.

“Outra vantagem é o processo executivo, que não possui maiores segredos e/ou dificuldades. E, ainda, pode ser implementado com equipamentos convencionalmente já adotados correntemente em outros serviços”, destaca o professor, lembrando que existem três tipos básicos de macadame: betuminoso, hidráulico e seco.

O macadame betuminoso é uma técnica que consiste em aplicar, sobre uma superfície imprimada ou pintada, um agregado do tipo "macadame" seguido de ligante asfáltico. “Geralmente, se utiliza essa camada como revestimento, porém pode ser também usada como camada de base”, explica Souza.

Já o macadame hidráulico é o pavimento constituído por uma ou mais camadas de agregados graúdos, geralmente com diâmetros variando de 0,5 polegadas a 3,5 polegadas. São compactadas e têm seus vazios preenchidos com agregado de enchimento. Nesse caso, a água é utilizada como lubrificante. O macadame seco tem o mesmo princípio do hidráulico, porém sem a utilização de água como lubrificante.

“Nessas três técnicas, inicia-se pela aplicação das camadas de agregado mais graúdo, diminuindo os diâmetros nas camadas subsequentes”, ensina.

Matéria-prima do macadame

A brita utilizada é conhecida como "brita macadame". Trata-se de um agregado graúdo com graduação uniforme e, na maioria dos casos, tem dimensões bastante significativas. “Com isso, as camadas de macadame apresentam um núcleo com as chamadas ‘pedras pulmão’, que são preenchidas com agregados de diâmetros menores”, relata.

O tratamento dessa matéria-prima é feito em pedreiras – muitas delas, comerciais, que identificam sua brita 4 de "macadame". Mas, para ser utilizada em camadas de macadame, devem apresentar a característica de faixa granulométrica uniforme e atender aos diâmetros especificados. “Portanto, faz-se necessário o controle das peneiras adequadas”, aponta Souza.

Execução do pavimento macadame

Em caso de utilização em camadas de base e/ou sub-base de macadame, o tratamento da camada de sub-base e ou subleito devem atender às mesmas especificações dos demais tipos de pavimento. “Ou seja, precisam atender às normas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)”, orienta, ressalvando que, no caso de utilização do macadame hidráulico, é necessário tomar cuidado para que não ocorra o "encharcamento" da camada inferior. E, no caso de utilização em camada de revestimento, o tratamento da base deverá atender às especificações.

Quanto a patologias, ocorre o mesmo, com a vantagem de, dependendo do caso, o macadame ter melhor desempenho com relação à drenagem
Ruiter da Silva Souza

Para a execução de pavimento, há vários detalhes técnicos que devem ser observados em cada camadas. “Esse detalhamento faz parte das normas DNIT 152/2010-ES, DNIT 149/2010-ES e DNER-ES 394/99 no caso do macadame com asfalto polímero. Essas normas descrevem detalhadamente todo o processo executivo”, fala.

Quando bem especificado e executado, o pavimento terá a mesma vida útil dos executados com as demais técnicas. “Quanto a patologias, ocorre o mesmo, com a vantagem de, dependendo do caso, o macadame ter melhor desempenho com relação à drenagem”, observa Souza.

Normas técnicas

O DNIT tem as seguintes normas técnicas referentes a execução de pavimento do tipo macadame:

• DNIT 152/2010-ES – Pavimentação – Macadame hidráulico
• DNIT 149/2010-ES – Pavimentação asfáltica – Macadame betuminoso com ligante asfáltico convencional por penetração
• DNER-ES 394/99 – Pavimentação – Macadame por penetração com asfalto polímero

Há, ainda, a norma ABNT NBR 12564:1992 – Materiais para macadame betuminoso por penetração – Especificação e, no DER-SP, a norma ET-DE-P00/012 – Materiais para macadame betuminoso por penetração – Especificação.

Colaboração técnica

Ruiter da Silva Souza
Ruiter da Silva Souza – Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Goiás (2007) e mestrado em Geotecnia e Construção Civil pela Universidade Federal de Goiás (2010). Atualmente é Analista em Infraestrutura de Transportes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes/DNIT e professor do Curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC-GO. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Fundações e Projetos de Rodovias, atuando principalmente nos seguintes temas: radier estaqueado, métodos numéricos, estacas, interação entre estacas, projetos de rodovias, pavimentação, terraplanagem e fundação de linhas de transmissão.