Mangueiras hidráulicas contaminadas param o equipamento

Suscetíveis ao acúmulo de impurezas, as mangueiras entupidas podem comprometer todo o sistema de lubrificação

Publicado em: 23/06/2015Atualizado em: 13/07/2015

Texto: Redação PE

Mangueiras hidráulicas necessitam de cuidadosa manutenção preventiva. As inspeções devem ser realizadas a fim de eliminar do interior da mangueira alguns agentes, como poeira, água e fuligem decorrente do atrito entre os componentes da máquina. Caso contrário, o sistema será contaminado e o equipamento corre sério risco de parar de trabalhar.

O engenheiro mecânico Angelino Carvalho, diretor da Rekom, observa algumas formas desses agentes contaminantes chegarem às mangueiras. Se houver falta de cuidados no armazenamento, por exemplo, elas ficam suscetíveis ao acúmulo de impurezas e a contaminação de componentes ocorre antes mesmo das máquinas começarem a funcionar.

“Elas devem ser tamponadas e terem lacres de proteção”, explica Angelino. “Entupimento e rupturas contaminam todo o sistema de lubrificação, ou pior ainda, provocam acidentes e causam danos ao meio ambiente. Essas ocorrências resultam em multas ou outras penalizações à construtora por parte do contratante”, alerta.

Descontaminação de mangueiras a seco

O sistema UC System para limpeza e descontaminação a seco - sem o uso de água ou produtos químicos - é normalmente utilizado por empresas como Odebrecht, Caterpillar, Bosch Rexroth, Schwing, Parker, Marcopolo, Neobus, Wilson Sons, entre outros fabricantes e dealers.

A descontaminação é feita de forma simples: o sistema utiliza um lançador pneumático que dispara em alta velocidade um projétil de espuma de poliuretano expandido no interior das tubulações. A pressão exercida pelo projétil – mesmo em curvas, cotovelos e juntas em T ou Y – remove impurezas e resíduos prejudiciais aos circuitos hidráulicos.

O diretor executivo da Ultra Clean Brasil, Osíris Rocha, que fornece essa tecnologia ao mercado, explica que o projétil de espuma tem formato cilíndrico e limpa a sujeira, em vez de espalhá-la, porque possui porosidade e densidade correta para fazer uma limpeza eficaz. “A espuma não possui química e nem solventes. O grau de limpeza proporcionado pelo sistema supera as exigências das normas ISO 15/13/10 e NAS 4”, garante Osíris.

Segundo ele, após ser utilizado, o projétil deve ser descartado conforme o tipo de resíduo removido, ou seja, recipientes em que são destinados resíduos de borracha, óleo etc. “Devido a esse padrão de qualidade, essa tecnologia é utilizada por grandes corporações no mundo todo”, informa Osíris.

Tecnologia embarcada

Nos equipamentos mais modernos, de eletrônica embarcada, as mangueiras possuem importância ainda maior diante da sofisticação dos sistemas hidráulicos. As faixas de pressão são cada vez mais elevadas e os movimentos da máquina dependem da capacidade da mangueira em suportar o fluxo de óleo.

“Tratam-se de sistemas mais eficientes, com bombas de deslocamento variável (bomba de pistão) em que o consumo do combustível é menor devido aos motores de nova geração e comandos hidráulicos proporcionais de controle eletrônico”, ressalta o diretor comercial da Auxter/ JCB, Roberto Mazzutti.

“As mangueiras usadas em sistemas hidráulicos de equipamentos como escavadeiras, pás carregadeiras e tratores de esteiras são geralmente de alta pressão ou de super- alta pressão”, acrescenta Mazzutti. Nesse caso, o usuário tem que optar por uma peça com especificações superiores, pois nem sempre as opções mais baratas garantem qualidade. “Vale apena gastar um pouco mais em vez de economizar na aquisição de produtos duvidosos”, diz ele.

Mangueiras hidráulicas estão entre as peças de menor custo no sistema quando comparadas às válvulas, bombas e motores hidráulicos. O presidente da Schwing-Stetter Brasil, Ricardo Lessa, acrescenta que a escolha da mangueira correta e os procedimentos corretos de instalação resultam em benefícios financeiros, e até mesmo, em melhorias operacionais do equipamento.

“A utilização de produtos fora de especificações representa perda de rendimento, desgastes acelerados, acidentes e baixa produção. Em caso extremo, danifica os componentes principais do sistema hidráulico devido à perda de fluido por vazamentos em mangueiras sem que o operador perceba o problema a tempo”, ressalta Lessa.

Instalações das mangueiras

A observação mecânica na instalação da mangueira é de suma importância. O mecânico não deve deixar a mangueira torcida obedecendo aos ângulos de instalação no equipamento. Durante uma operação, elas sofrem esforços e tensões e estouraram em poucas horas se não estiver bem colocada.

O mercado disponibiliza uma grande quantidade de marcas. No corpo de cada uma delas estão as especificações. A maior dificuldade é que no desejo de reduzir custos, os usuários adquirem qualquer tipo, sem observar as especificações e a baixa qualidade na montagem. Os fabricantes de equipamentos se preocupam quanto à embalagem das mangueiras antes da instalação nas linhas de montagem.

“Mangueiras com diâmetros diferentes do especificados pelo fabricante do equipamento provocam sérios problemas. Diâmetros diferentes interferem diretamente nas vazões e pressões do sistema. Caso tenham um diâmetro menor que o recomendado, causam geração de calor e desgaste prematuro nos componentes como bombas hidráulicas e nas próprias mangueiras”, arremata Angelino Carvalho, diretor da Rekom.

 

Colaboraram para esta matéria

Angelino Carvalho – diretor da Rekom

Osíris Rocha – diretor da Ultra Clean Brasil

Ricardo Lessa – presidente da Schwing-Stetter Brasil

Roberto Mazzutti – diretor comercial da Auxter/ JCB