Mangueiras hidráulicas: o sistema venoso das máquinas

Qualidade de compra, atenção preventiva e manutenções periódicas são considerações fundamentais com esses componentes

Publicado em: 13/09/2013Atualizado em: 20/01/2014

Texto: Redação PE

A manutenção corretiva dos sistemas hidráulicos em equipamentos é um serviço que corresponde a 20% de manutenção, mão-de-obra, aquisição de peças e logística. As mangueiras hidráulicas são componentes de suma importância que, além de reduzirem custos, fazem a diferença se a devida atenção é dada periodicamente, sem pesar no bolso dos proprietários de equipamentos.

Caso as inspeções não sejam feitas de modo adequado, os vazamentos de fluidos hidráulicos e de óleo geram uma grande dor de cabeça. A princípio, é preciso estar atento aos agentes contaminantes como poeira, água, fuligem decorrente do atrito entre os componentes da máquina. Para realização da manutenção periódica, os especialistas orientam que uma das soluções de menor custo é a substituição das mangueiras.

O entupimento e rupturas também causam a contaminação de todo o sistema de lubrificação, ou pior ainda, também provoca acidentes e causa danos ao meio ambiente, resultando em multas ou outras penalizações à construtora por parte do contratante.

Por exemplo, uma empilhadeira de 2,5 toneladas de capacidade tem um reservatório hidráulico de aproximadamente 50 litros e um vazamento em seu sistema talvez não cause problemas ambientais graves mesmo que não tenha sido identificado a tempo. Entretanto, um equipamento cujo reservatório tem 600 litros, provoca um dano ambiental considerável se todo este conteúdo vazar para o ambiente.

A falha no dimensionamento da tubulação hidráulica também reduz drasticamente a vida útil da mangueira. Elas são fabricadas para suportar determinadas faixas de pressão, definidas por norma da SAE (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade). No Brasil, a norma diz que a peça deve trazer informações, expostas na sua parede externa em alto relevo, sobre a pressão de trabalho para a qual foi projetada, o raio de curvatura mínimo permitido, ano de fabricação e limite de pressão para ruptura.

Cuidado na compra

Na aquisição deste tipo de produto para reposição, economizar comprando mangueiras com qualidade inferior pode representar um gasto extra já que o risco de vazamentos fica eminente e na pior das hipóteses, pode acarretar na perda de potência hidráulica ou até mesmo a parada não programada da máquina. As mangueiras hidráulicas figuram entre as peças de menor custo no sistema quando comparadas às válvulas, bombas e motores hidráulicos.

Cada mangueira pode adotar um padrão construtivo diferente para atender as mais variadas aplicações num equipamento, como o uso em freios a ar comprimido, sistema de refrigeração a gás, a água e outros. Esses dados contribuem com o trabalho da equipe de manutenção, já que falhas na especificação da mangueira podem ocorrer não apenas por economia, mas também por desconhecimento.

Em equipamentos mais modernos, de eletrônica embarcada, a peça adquire importância ainda maior diante da sofisticação dos sistemas hidráulicos. Com faixas de pressão cada vez mais elevadas, os movimentos da máquina dependem da capacidade da mangueira em suportar o fluxo de óleo.

As mangueiras usadas em sistemas hidráulicos de equipamentos como escavadeiras, pás carregadeiras e tratores de esteiras, são geralmente de alta pressão ou de super-alta pressão. Neste caso, opte por uma peça com especificações superiores, pois nem sempre as opções mais baratas garantem qualidade. Vale apena gastar um pouco mais ao invés de economizar na aquisição de um produto duvidoso.

Fontes: Angelino Carvalho, gerente da Rekom, empresa especializada na recuperação, reforma e reparo de componentes hidráulicos
Renato Arena, Gerente de Treinamento da Nacco, fabricante das empilhadeiras Hyster e Yale