Manutenção criteriosa de geradores reduz a possibilidade de falhas

No caso de o equipamento ser alugado, os custos das intervenções corretivas podem ser arcados pelo locador ou locatário: tudo depende das causas que levaram ao problema

Publicado em: 01/10/2019Atualizado em: 15/06/2021

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

camimnhoes-eletricos
O gerador de energia tem que estar sempre aterrado, além de posicionado em ambiente livre de umidade e perfeitamente nivelado (Foto: ballchadowdesign/ Shutterstock)

Empreendimentos que não podem ter o abastecimento de energia interrompido encontram nos geradores a solução ideal. Geralmente alugados, os equipamentos precisam passar por verificações periódicas para garantir seu perfeito funcionamento. Os custos dessas manutenções preventivas costumam estar embutidos nos valores pagos pelo locatário e o trabalho é executado por equipe fornecida pela empresa locadora.

Se o problema não foi ocasionado por operação inadequada ou erros de instalação do usuário, é comum que a locadora se responsabilize pelas despesas
Giovanni Cunha

Por outro lado, as intervenções corretivas podem ser pagas tanto por uma parte quanto pela outra, dependendo da situação. “Se o problema não foi ocasionado por operação inadequada ou erros de instalação do usuário, é comum que a locadora se responsabilize pelas despesas”, informa o engenheiro Giovanni Cunha, encarregado do pós-venda na Norte Geradores, destacando que, para isso, é necessário que o locatário respeite as normas regulamentadoras.

O gerador tem que estar sempre aterrado, além de posicionado em ambiente livre de umidade e perfeitamente nivelado. “Se o local atende a esses requisitos, está apto a receber o equipamento de acordo com as normas. Porém, se uma única característica estiver fora do padrão e colaborou para a quebra do aparelho, é considerada instalação inadequada e os custos da manutenção corretiva serão arcados pelo locatário”, afirma Cunha.

Operação do gerador

Outro exemplo que isenta o locador dos custos de manutenção corretiva tem relação com a operação do gerador. É preciso ter o conhecimento técnico adequado para lidar com o equipamento, principalmente quando é mais moderno e equipado com módulos de controle eletrônico. “Se a pessoa não for preparada para trabalhar com o equipamento, pode causar danos”, complementa o especialista.

No momento do aluguel, o empreendimento recebe o manual de operação do gerador. Entretanto, esse documento é de difícil leitura e voltado para o público com conhecimento técnico. “Ele não explica o que é corrente ou o porquê da necessidade de bater o disjuntor antes de entrar em carga”, exemplifica Cunha. Quem elabora os textos pressupõe que serão consultados apenas por especialistas. Isso evita que pessoas sem experiência em geração de energia tentem operar o equipamento.

“É uma máquina que deve ser usada somente por profissionais devidamente preparados e treinados. Caso contrário, há risco maior de acontecerem defeitos ou quebras. E, nesse caso, o locatário assumiu o risco”, comenta Cunha.

Desgastes de componentes

Quando o gerador está funcionando perfeitamente e sofre algum problema motivado, por exemplo, pelo rompimento de correias ou motores quebrados, o custo da manutenção costuma ser responsabilidade do locador. “Afinal, há um desgaste natural dos componentes dentro da máquina”, diz Cunha. Em alguns casos, pode ser feita a substituição total do equipamento para o empreendimento não ficar desassistido completamente.

Com o uso de ferramentas avançadas, como ultrassom e laser, é possível detectar se a falha foi motivada por desgaste natural ou erros de operação. “Existe também um novo tipo de manutenção, a preditiva. Por meio dela, os especialistas detectam possíveis desgastes que poderão acontecer no futuro”, informa Cunha, lembrando que todas as responsabilidades de manutenções devem estar previstas no contrato de locação do equipamento.

Frequência

A manutenção preventiva visa evitar a ocorrência de falhas no equipamento ou mesmo desgastes prematuros. A ação é capaz de reduzir eventuais tempos de parada e até os custos de intervenções corretivas indesejadas. “O mais comum são visitas mensais, em que os técnicos fazem todas as verificações, apertos, ajustes e avaliações”, afirma Fábio Bonilha, gerente Técnico da Seitec Geradores.

Além da periodicidade, é importante realizar durante a manutenção preventiva do gerador os testes com carga, que permitem aferir o funcionamento do equipamento em condições reais. Já quando existe um problema na máquina, é gerado algum tipo de sintoma que deve ser percebido pelo operador. “Ele é o responsável pelo monitoramento da rede concessionária e proteções do gerador”, diz Bonilha.

Ao receber esse alarme, o profissional tem que verificar todo o sistema que o equipamento abastece. Essa busca precisa localizar a anormalidade ou avaria responsável por acionar o alerta. “Com o problema encontrado, deve ser feita a devida correção pela equipe técnica competente. A solução pode vir por meio de ajustes ou com a troca dos componentes que foram comprometidos”, explica Bonilha.

O tipo de uso do gerador pode influenciar na realização das manutenções preventivas. Em um hospital, a frequência tende a ser menor devido à função crítica do equipamento. “Nesses casos, itens são trocados com maior rigor e correções realizadas de forma imediata”, destaca Bonilha. Por outro lado, em um shopping a rigidez pode ser menor, com verificações a cada dois meses e análise de falhas com maior tempo de resposta.

Leia também: Conheça os principais indicadores de manutenção

Contrato de serviço

Durante as inspeções preventivas, existe um check list de atividades que devem ser realizadas. Entre elas, está a verificação de todos os sistemas do motor (arrefecimento, admissão, escape, combustível, além dos periféricos), quadros de força e comando. É interessante que esse trabalho seja sempre realizado pela mesma equipe técnica. Com isso, haverá histórico registrado de todos os problemas que determinado equipamento enfrentou.

O contrato minimiza a possibilidade de falhas e quebras prematuras, diminui os custos de manutenção e também fornece ao cliente final suporte telefônico e equipe técnica de plantão 24 horas para atendimentos emergenciais
Fábio Bonilha

Há, ainda, outras vantagens quando o empreendimento conta com serviço de manutenção do gerador. “O contrato, além de manter o equipamento apto para operar, minimiza a possibilidade de falhas e quebras prematuras, diminui os custos de manutenção e também fornece ao cliente final suporte telefônico e equipe técnica de plantão 24 horas para atendimentos emergenciais”, enumera Bonilha.

Problemas comuns

Os problemas mais comuns nos geradores estão relacionados ao diesel. Como se trata de combustível fóssil com grande capacidade de degradação, ele sofre com o acúmulo de água proveniente da armazenagem, distribuição ou pela decantação. “Isso permite a proliferação de bactérias que afetam a qualidade do óleo, que se torna mais ácido e cria borras que entopem os sistemas de injeção do motor e causam falhas no equipamento”, finaliza Bonilha.

Leia também: Comprador deve garantir o fornecimento de energia para o canteiro

Colaboração técnica

leandro-siqueira
Giovanni Cunha — Graduado em Engenharia de Produção, em Engenharia Elétrica e pós-graduado em Gerência de Projetos. Entrou para a equipe da Norte Geradores em 2011, empresa em que atualmente ocupa o cargo de encarregado do pós-venda.
marcos-andrade
Fábio Bonilha — Gerente Técnico na Seitec Geradores, atua no mercado de grupos geradores há 19 anos, tendo papel importante na manutenção de equipamentos, coordenação de equipes, coordenação de equipes de engenharia de aplicação, além da criação e implantação de softwares de controle de manutenções. Atuou nos maiores fabricantes do mercado.