Máquinas e equipamentos compactos: uso vai além da construção

Escavadeiras compactas e minicarregadeiras são exemplos de soluções multiusos empregadas em urbanismo, indústrias, hidrelétricas e até em limpeza de aviários

Publicado em: 23/08/2015Atualizado em: 21/01/2020

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Os equipamentos compactos entraram para o gosto de empreiteiros brasileiros. Na verdade, algumas obras só estão conseguindo melhor rendimento nos trabalhos pela aplicação de determinados modelos, como escavadeiras compactas com peso entre 7 e 8 toneladas, minicarregadeiras entre 2,5 e 3 toneladas. Até manipulador telescópico compacto pode ser melhor dimensionado para trabalhos então feitos por máquinas maiores e mais pesadas.

O crescimento urbano, o trânsito cada vez mais intenso nas metrópoles, a pressão constante por cumprimento de prazos são estímulos para deixar a frota capaz de se ajustar a essa nova realidade. Equipamento bem dimensionado é sinônimo de custo operacional adequado, mas se for superdimensionado gera prejuízos, portanto é loucura utilizar uma escavadeira de 20 toneladas com uma concha de apenas 0,28 metros cúbicos para abrir valas estreitas em obras de saneamento.

A versatilidade de aplicações também é um forte apelo. “Embora os compactos sejam “porta-ferramentas” para obras da construção civil e demolição com variadas opções de implementos, eles podem também ser amplamente utilizados em muitos trabalhos fora da construção civil”, acrescenta Jefferson Recus, diretor administrativo da Romac, distribuidora das marcas Doosan e Bobcat.

Ele se refere a atividades como paisagismo, trabalhos de plantio de arbustos, transplantes de árvores, ornamentação, jardinagem, limpezas de aviários, desempenhar funções como empilhadeira, transporte de material em espaços confinados, indústria de pré-moldados, compostagem, empresas de reciclagem, indústria de fertilizantes entre outros trabalhos.

Atuação em central hidroelétrica no Sul


O diretor da Pasini Terraplenagens, Alexandro Olivo Pasini, é categórico: “Não troco minhas escavadeiras compactas por nenhuma outra”. Localizada na cidade de Água Doce, em Santa Catarina, a Pasini foi a primeira empresa na região a adquirir a escavadeira compacta com lâmina, modelo SY 75, fabricada pela Sany, e atualmente está com três unidades trabalhando em obras dentro de um túnel da PCH (Pequena Central Hidrelétrica) do Rio Chapecó, na cidade de Passos Maia (SC).

As escavadeiras estão com rompedor hidráulico quebrando rocha no local de desvio do rio, onde será instalada a unidade geradora. “Elas trabalham 24 horas com robustez incomparável. Consomem em média de 5 litros de combustível por hora, quantia considerada baixa para esse nesse tipo de atividade”, explica Alexandro. De acordo com ele, tem máquina que já passou das 5 mil horas sem dar problemas de manutenção e só foram realizadas manutenções de rotina”, acrescenta.

Essas escavadeiras normalmente possuem uma lâmina frontal. Segundo ele, esse implemento garante estabilidade quando a máquina está com a lança levantada e o rompedor na ponta quebrando a rocha, a uma altura de trabalho de aproximadamente 7 metros. “Essa estabilidade da máquina foi o diferencial decisivo para a Pasini trabalhar nessa obra da hidrelétrica”, revela Alexandro.


Minicarregadeiras ágeis na Transposição do São Francisco


O Grupo Serveng possui três minicarregadeiras fornecidas pela Auxter para trabalhar na obra da transposição do Rio São Francisco, no Ceará. Segundo William Farkas, engenheiro de equipamentos da Serveng, elas também trabalham 24 horas por dia, em dois turnos de trabalho.

A obra da transposição é uma das mais complexas já executadas no país, não apenas devido à construção de canais por onde vai passar a água, mas também de barragens, bombas elevatórias e até mesmo pequenas usinas hidrelétricas. “As minicarregadeiras JCB 155 dão apoio na execução das obras civis, principalmente na concretagem”, explica o engenheiro. “Elas são versáteis e como muitas vezes precisam trafegar em trechos já prontos, os construtores dão preferência por serem mais leves”, completa Farkas.

A Serveng também possui uma miniescavadeira JCB 8026 trabalhando em obras prediais na cidade de Osasco (SP). “Ela atua no início da terraplenagem, principalmente com escavações. Como geralmente esses terrenos em áreas urbanas são menores, os equipamentos compactos desempenham muito bem nessas condições”, diz.

Manipulador compacto limpa aviários, em granjas


Devido às pequenas dimensões, o manipulador telescópico Wacker Neuson 1245 é uma opção bem dimensionada para trabalhar na limpeza de aviários em granjas. Compacto, tem altura que lhe dá condições para circular em locais onde um homem se movimenta em pé. Ele possui capacidade de elevação da lança acima de 4 metros, o que permite carregamento até das carretas mais altas.

“Muitos aviários utilizam pá-carregadeiras articuladas nesse serviço e, devido às luminárias penduradas e a baixa altura do teto, precisam tirar a cabine das máquinas para que elas possam entrar nos aviários. Isso deixa o operador exposto. Outros usam , mas então não conseguem carregar os caminhões com o material retirado”, informa o especialista de equipamentos compactos da Wacker Neuson Brasil, Mário Neves.

Com base nas demonstrações feitas em granjas, Mário explica que os caminhões que recebem o material têm carrocerias muito altas, mesmo as pás maiores necessitam da ajuda de rampas para atingirem altura de despejo e acomodar a carga no centro do caminhão. O manipulador telescópico faz todo o trabalho sozinho e é facilmente transportado entre as granjas.

Colaboraram para esta matéria

Alexandro Olivo Pasini – Diretor da Pasini Terraplenagens

Jefferson Recus – Diretor administrativo da Romac

Mário Neves – Especialista em equipamentos compactos da Wacker Neuson Brasil

William Farkas – Engenheiro de equipamentos da Serveng