Montagem de andaimes fachadeiros deve ser precedida de planejamento

Indicados para trabalhos em fachadas, equipamentos devem ser montados sobre uma base de apoio rígida, em alinhamento com normas técnicas e de segurança, como a ABNT NBR 6494

Publicado em: 16/01/2018

Texto: Redação PE

montagem-de-andaimes
O andaime fachadeiro pode ser usado em prédios industriais e em obras de infraestrutura (foto: divulgação / Mrak.hr)

Composto por quadros e plataformas metálicas, o andaime fachadeiro é um equipamento muito utilizado para viabilizar serviços em fachadas, como a execução de acabamentos e alvenarias. Esse tipo de andaime também pode ser empregado em prédios industriais e em obras de infraestrutura, por exemplo, na montagem de ferragens e de fôrmas de concreto.

A vantagem do fachadeiro é garantir um corredor livre para o trânsito de pessoas e materiais ao longo de toda a fachada. Dessa forma, é possível que várias frentes de trabalho atuem simultaneamente, maximizando a produtividade.

PRINCIPAIS TIPOS

É possível encontrar fachadeiros de diferentes modelos para compra ou locação. O mais usual é o andaime fachadeiro modular, com painéis metálicos simples e/ou com escada tipo marinheiro acoplada, diagonal X de travamento, guarda-corpo horizontal, barras de ligação, pisos metálicos e/ou elementos horizontais para suportar o piso em madeira, além de escada interna com alçapão.

Há também os fachadeiros multidirecionais, mais aproveitados em obras de infraestrutura e industriais. De custo mais elevado, esses equipamentos são compostos por postes com rosetas e/ou estribos multidirecionais, travessas horizontais e diagonais de travamento com engate e pinças, piso metálico e/ou apoios para forração em piso de madeira, além da opção de escada interna.

NORMAS TÉCNICAS

Tanto a montagem quanto o uso do fachadeiro devem atender às normas regulamentadoras, especialmente a NR 18 do Ministério de Trabalho e Emprego (MTE) e a ABNT NBR 6494 – Segurança nos Andaimes. A NR-18 exige que os andaimes sejam dimensionados por profissional legalmente habilitado e que os projetos de montagem sejam acompanhados pela respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Já a NBR 6494 regulamenta a fabricação dos componentes desse tipo de equipamento.

Hoje, as estruturas contam com componentes mais leves e resistentes, além de engates rápidos que agilizam o processo de montagem e desmontagem
Miguel Henrique de Oliveira Costa

Ao longo dos anos, os andaimes fachadeiros evoluíram para atender às exigências das normas de segurança e à demanda por maior produtividade nas obras. “Hoje, as estruturas contam com componentes mais leves e resistentes, além de engates rápidos que agilizam o processo de montagem e desmontagem”, cita o engenheiro Miguel Henrique de Oliveira Costa, coordenador do comitê técnico da Associação Brasileira de Fôrmas, Escoramentos e Acesso (Abrasfe).

REQUISITOS DO PROJETO

Uma característica importante dos andaimes fachadeiros são os encaixes simples. Mas isso não significa que sua montagem não deva ser precedida de planejamento.

Os andaimes devem ser dimensionados e construídos para suportar, com segurança, as cargas de trabalho às quais estarão sujeitos. O projeto de montagem precisa especificar claramente as cargas para as quais o equipamento foi dimensionado, levando em conta outros fatores incidentes, como peso próprio e carga de vento.

De modo geral, considera-se um bom projeto aquele que dispõe de plantas, cortes, vistas e detalhes técnicos que definam claramente os encaixes, o posicionamento de elementos estruturais, o dimensionamento das peças, as cargas adotadas, os pontos de amarração e a sequência de montagem do fachadeiro.

MONTAGEM COM FOCO NA SEGURANÇA

Quando o solo ou a base não forem capazes de suportar as cargas previstas no projeto, deve ocorrer a troca do solo ou a execução de base
Miguel Henrique de Oliveira Costa

Segundo o coordenador da Abrasfe, erros na montagem de andaimes costumam ter início ainda na preparação das bases de apoio, que devem ser rígidas e niveladas o suficiente para receber as cargas, evitando o recalque da estrutura e a perda do prumo. “Quando o solo ou a base não forem capazes de suportar as cargas previstas no projeto, deve ocorrer a troca do solo ou a execução de base”, diz Costa, ressaltando que não é recomendado o apoio de estruturas de carga em solos moles ou argilosos de baixa consistência.

Boas práticas relacionadas à montagem de fachadeiros preveem, ainda, que os montantes tenham encaixes travados para evitar deslocamentos, assim como os painéis e as peças de contraventamento.

QUESTÃO DE SEGURANÇA

Durante o uso de qualquer tipo de andaime, o principal risco é a queda do trabalhador e de materiais. Para minimizar tais acidentes, é fundamental a colocação de tela para proteção de todo o equipamento, instalada desde a primeira plataforma de trabalho até dois metros acima do último nível. Também é obrigatório o cumprimento das normas regulamentadoras sobre trabalho em altura.

Os trabalhadores que usarão o andaime precisam receber treinamento específico para andaimes fachadeiros. Não custa ressaltar que qualquer trabalho realizado pelos operários sobre os andaimes deve ser feito com equipamentos de proteção individuais (EPIs). O cinto de segurança, por exemplo, deve estar bem fixado no trabalhador e ligado a um cabo de vida instalado na estrutura do edifício.

LEIA TAMBÉM:
Montagem de andaimes exige projeto minucioso para evitar acidentes
Escolha do equipamento de acesso depende do serviço realizado na fachada

Colaboração técnica

miguel-henrique-de-oliveira-costa
Miguel Henrique de Oliveira Costa – Doutor em engenharia civil, é coordenador do comitê técnico da Associação Brasileira de Fôrmas, Escoramentos e Acesso (Abrasfe) e coordenador técnico do departamento de engenharia da Mills