Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

MPD comemora mercado em franco crescimento

Entrevista com Milton Meyer, presidente executivo da MPD Engenharia

Publicado em: 26/10/2023Atualizado em: 07/11/2023

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

foto de uma pessoa segurando uma espátula e uma tabua com argamassa líquida em cima
(Imagem: Adobe Stok)

Em entrevista ao portal AECweb, Milton Meyer, presidente executivo da MPD Engenharia, analisa o atual momento de expansão do mercado imobiliário e conta que a empresa lançará, ainda este ano, três novos empreendimentos. Ele estima que, até o final de 2024, o volume da carteira passe dos atuais 4 mil para 6 mil clientes ativos. Investidores que antes aportavam recursos principalmente em unidades de um dormitório agora se voltam, também, para o segmento de alto padrão.

AECweb – Qual a sua avaliação do atual momento de forte expansão do setor imobiliário, principalmente nas capitais brasileiras?

Milton Meyer  A expansão do mercado é muito positiva, não apenas para as capitais, mas também para as regiões próximas. O aumento dos preços dos imóveis na capital paulista, devido à expansão do mercado, fez com que os consumidores passassem a considerar, favoravelmente, as cidades vizinhas com preços mais atraentes, o que levou os incorporadores a expandir seus produtos para essas áreas. Outro fato importante é a redução dos juros que possibilitará a inserção de mais consumidores, aumentando ainda mais o interesse pelo imóvel pronto.

AECweb – Em 2020, início da pandemia, a MPD tinha 24 canteiros ativos de obras imobiliárias. O que mudou desde então?

Meyer – Hoje, contamos com 16 obras imobiliárias em andamento. Durante a pandemia, reforçamos as medidas de segurança a fim de garantir a saúde dos funcionários, mas não pausamos nossas operações. Mesmo em meio a esse ambiente desafiador, alcançamos um recorde de receita, além de estabelecermos novos processos e controles para enfrentar o ambiente de variações de preços ocorridas a partir da pandemia. Atualmente, ainda vemos um mercado bastante demandado, fazendo com que as empresas precisem trabalhar ainda mais em processos industrializados e ajustes nas áreas de supply chain, antecipando suas necessidades e treinando suas equipes.

AECweb – Estão previstos lançamentos ainda este ano?

Meyer – Sim, teremos um grande lançamento em Alphaville, mais precisamente no condomínio no Alphagran, novo polo de desenvolvimento imobiliário da região. O produto é bastante inovador, de altíssimo padrão, com metragens variando de 420 a 575 m². Além disso, temos em fase de lançamento um belíssimo produto na rua Borges Lagoa e outro a ser lançado na região de Perdizes. Para 2024, serão mais quatro lançamentos, sendo dois na cidade de São Paulo e dois em Alphaville, que completarão a grade de produtos da MPD.

AECweb – A empresa está implementando estratégias ESG?

Meyer – Atualmente, estamos desenvolvendo um inventário de CO2 em nossos canteiros de obras para determinar com precisão a pegada de carbono nesses locais. Com base nessa análise, estamos elaborando uma série de medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Uma das ações decorrentes envolve a redução do uso de caminhões no transporte de materiais, ao mesmo tempo em que estamos implementando sistemas mais industrializados, que minimizam a necessidade de ajustes, cortes e descarte de materiais.

foto de uma pessoa segurando uma espátula e uma tabua com argamassa líquida em cima

AECweb – O BIM é um aliado desse processo?

Meyer – Um projeto que indica, com precisão, a quantidade de materiais necessários não apenas ajuda a reduzir o impacto da geração de resíduos, mas também otimiza a gestão dos canteiros de obras. Esse feito é alcançado por meio da aplicação da tecnologia BIM, processo digital que envolve a criação de modelos 3D inteligentes, usados para calcular as quantidades de materiais, estimar a mão de obra necessária, calcular os custos e auxiliar no planejamento das atividades, diminuindo por consequência suas perdas. Tudo isso é feito em colaboração entre as equipes de um projeto, que trabalham em conjunto em um ambiente online. Essa abordagem possibilita a criação de dados dinâmicos que contribuem significativamente para tornar o planejamento, execução e manutenção de obras mais eficientes.

AECweb – A velocidade de vendas é semelhante para os imóveis de alto padrão e de compactos que empresa incorpora?

Meyer – Historicamente, apartamentos de um e dois dormitórios são os que apresentam a melhor velocidade de vendas. Um levantamento do Secovi aponta que o segmento de um dormitório sempre teve uma velocidade de vendas superior à dos produtos de quatro dormitórios, devido ao valor final do imóvel ser mais acessível. No entanto, os primeiros sete meses de 2023 nos mostraram que, enquanto os apartamentos de um dormitório vendem, em média, 6,2% do estoque disponível por mês, os de quatro dormitórios vendem 6,1% por mês.

Os primeiros sete meses de 2023 nos mostraram que, enquanto os apartamentos de um dormitório vendem, em média, 6,2% do estoque disponível por mês, os de quatro dormitórios vendem 6,1% por mês
Milton Meyer

AECweb – Quem está comprando, investidor ou consumidor?

Meyer – Os dois públicos têm tido destaque no setor imobiliário. Os investidores, obviamente, têm se beneficiado dos retornos financeiros devido à Selic elevada. Afinal, os investimentos em imóveis sempre foram considerados seguros, fazendo parte de boa parcela da carteira desse público. Temos vendido imóveis de alto padrão para esse público, o que demonstra o apetite do investidor não apenas por produtos compactos, mas também por imóveis maiores. Enquanto isso, o consumidor, apesar de ser afetado pela alta taxa de juros, continua gerando demanda por imóveis. As principais demandas desse público incluem a busca por sua primeira moradia, o aumento da família ou a melhoria na qualidade de vida.

AECweb – Como os juros elevados afetam o mercado imobiliário?

Meyer – A elevação das taxas de juros tem um impacto direto no mercado, pois o poder de financiamento do consumidor diminui devido ao comprometimento de renda mensal. Por exemplo, um financiamento de R$ 300 mil com uma taxa de juros de 7% ao ano tinha uma parcela de cerca de R$ 2.950. Hoje, esse mesmo valor financiado a uma taxa de 11% ao ano resulta em uma parcela de aproximadamente R$ 4.000. No segmento de alto padrão, onde a MPD atua, não observamos muitas restrições na aquisição do imóvel em relação às taxas de financiamento.

A elevação das taxas de juros tem um impacto direto no mercado, pois o poder de financiamento do consumidor diminui devido ao comprometimento de renda mensal
Milton Meyer

AECweb – O mercado paulistano ainda comporta o lançamento de mais apartamentos compactos?

Meyer – A capital paulista é um local que comporta bem esse tipo de produto, porém, há um ponto de atenção em relação aos apartamentos estúdios. O volume de lançamentos desse tipo de residência nos últimos anos foi surpreendente, com uma valorização de 6,6% nos últimos 12 meses, de acordo com o levantamento da FipeZap. Existe uma grande busca por esses espaços, no entanto, deve-se estudar cuidadosamente a região antes de lançar um empreendimento desse tipo. Em geral, esses imóveis devem sempre contar com uma boa infraestrutura de mobilidade e estar localizados estrategicamente na cidade.

AECweb – Qual o peso para o setor da retomada do programa MCMV pelo governo?

Meyer – Tem um peso fundamental. Apesar de não atuarmos nesse segmento, observamos que essa retomada aquece ainda mais o mercado e impulsiona a economia. Com mais recursos circulando no mercado, toda a cadeia é beneficiada, desde imóveis compactos até os de alto padrão.

AECweb – Outro braço da MPD é a construção de obras para terceiros. Qual segmento está mais movimentado este ano?

Meyer – Além das oportunidades de crescimento no mercado imobiliário, a MPD vem se consolidando como uma empresa especializada em obras hospitalares e laboratórios de alta complexidade, dedicando-se sempre em aprimorar seu acervo técnico e a formação de nossas equipes.

AECweb – Quais as suas expectativas para o próximo ano?

Meyer – A expectativa é que 2024 seja um ano ainda mais forte para o mercado imobiliário. Com o distanciamento da pandemia e a superação da crise logística global, os consumidores se sentem mais seguros ao fazer suas aquisições. Portanto, a previsão é que a demanda por moradias continue elevada. Há expectativas no mercado de que, no próximo ano, a taxa básica de juros volte a cair. As incorporadoras já possuem terrenos que permitem o lançamento de empreendimentos variados, desde os mais simples até os mais luxuosos, de acordo com o perfil de cada empresa e de seus respectivos clientes. Esperamos encerrar este ano com quase 4 mil clientes ativos. Já temos lançamentos programados e pretendemos aumentar esse volume, projetando terminar 2024 com uma carteira que varia entre 5,5 mil e 6 mil clientes ativos.

Colaboração técnica

Milton Meyer – É Engenheiro civil formado pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP). Com uma carreira de mais de 30 anos de atuação na área, faz parte da MPD Engenharia desde 1986, ocupando diversas posições na empresa, como engenheiro, coordenador, diretor técnico e vice-presidente, sendo responsável pela coordenação, operação e execução de diversos projetos da construtora e incorporadora durante todo esse tempo. Desde julho de 2020, assumiu a presidência executiva da corporação.